Menu
SADER_FULL
quinta, 3 de dezembro de 2020
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ZANZI
Dengue

Mosquito da dengue transgênico pode ser liberado no Brasil

10 Abr 2014 - 16h52Por Uol

Desde junho de 2013, moradores do município baiano de Jacobina fazem parte de um projeto que pretende acabar com a dengue na região sem uso de produtos químicos. Conhecida como Cidade do Ouro ou Princesinha do Sertão, o município de pouco mais de 80 mil habitantes testa a liberação controlada de mosquitos Aedes aegypti geneticamente modificados no ambiente.

O método consiste em inserir um gene letal no mosquito macho (que não transmite a doença) criado em laboratório, que o repassa à fêmea selvagem durante a cópula. Com isso, a fêmea acaba gerando filhotes que morrem prematuramente.

O projeto, fruto de uma parceria entre pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP) e da ONG Moscamed, tentam comprovar que a liberação dos mosquitos pode reduzir o tamanho da população de transmissores da dengue. Por enquanto, o trabalho é financiado com recursos da Secretaria de Saúde da Bahia.

Conheça alguns mitos e verdades sobre a dengue

O mosquito infectado pode não transmitir a doença VERDADE: o vírus se aloja na saliva do mosquito, que é utilizada durante a picada para sugar o sangue. A chance de transmissão, nestas condições, é grande e praticamente inevitável, mas pode eventualmente não acontecer. Isso porque, apesar de contaminado, o vírus presente no mosquito pode estar ainda em período de incubação que dura, em média, dez dias. Só depois desse período ele pode ser transmitido, o que pode acontecer várias vezes durante o ciclo de vida do mosquito, de cerca de um a dois meses Leia mais Divulgação/Folha Imagem

Em julho de 2012, o então ministro da saúde Alexandre Padilha, inaugurou uma fábrica de machos estéreis transgênicos na cidade, com capacidade de produzir 4 milhões de insetos por semana.

A iniciativa recebeu o nome de Projeto Aedes Transgênico (PAT). Ainda que pareça distante dos grandes centros, a novidade pode chegar em breve ao resto do Brasil. A Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio) pode aprovar em sua reunião de amanhã a liberação comercial da patente, que pertence à britânica Oxitec. O processo, em que a Oxitec é a beneficiária, só não foi aprovado ainda devido a um pedido de vistas de integrantes do colegiado.

O experimento, segundo os responsáveis, já reduziu a população de transmissores de dengue em mais de 50%. Os críticos ao experimento, porém, são radicalmente contra o projeto. "É a primeira vez que um produto ainda não liberado para comercialização é testado em humanos. Seria como se a Monsanto pedisse a liberação de uma soja e, antes mesmo da aprovação, a empresa já a comercializasse. Hoje, a população de Jacobina está sendo feita de cobaia", disse um membro da CTNBio.

Deixe seu Comentário

Leia Também

FÁTIMA DO SUL - CORONAVÍRUS
Após funcionária testar positivo para o coronavírus, Gazin fecha pela 2ª vez em Fátima do Sul
ALERTA VERMELHO
Naviraí entra na pior faixa de risco para Covid-19
VACINA COVID 19
Brasil recebe 1 milhão de doses da vacina contra Covid-19
MS - 1.804 MORTES
Com 1,1 mil confirmados em 24h, MS tem 102,2 mil casos e 1,8 mil mortes por coronavírus
CORONAVÍRUS EM MS
Prosseguir: Governo volta a registrar municípios em grau de risco extremo
f14b7ef8 0f4a 4835 aa6c 0095b61b9d25 FÁTIMA DO SUL - BOLETIM CORONAVÍRUS
Culturama registra mais 07 casos em dia de 22 positivos de coronavírus em todo município
PANDEMIA AVANÇA
Brasil segue com média móvel de mortes por Covid acima de 500; total de óbitos passa de 174,5 mil
COVID-19 NO EUA
EUA registra pela 1ª vez 3 mil mortos por Covid-19 em 24 horas
Casal Roberto e Magally foi infectado pelo coronavírus - Crédito: Foto: Arquivo Pessoal/Patrícia Küne JUNTOS PARA SEMPRE
Casados há 57 anos, idosos morrem de covid-19 no mesmo dia
COPA DE 94
'Bebê do Tetra', na Copa de 94, filho do jogador Bebeto é pai pela primeira vez