Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
terça, 3 de agosto de 2021
Busca
rebelião em Cascavel no PR

Termina rebelião em penitenciária no Paraná; cinco presos morrem

Após 44 h, termina rebelião em Cascavel com 5 mortos e 25 feridos

26 Ago 2014 - 08h20Por Folha

Após 44 horas, terminou na madrugada desta terça-feira (26) a rebelião na Penitenciária Estadual de Cascavel (498 km de Curitiba) com um saldo de cinco mortos –sendo dois decapitados– e pelo menos 25 feridos.

Os dois agentes feitos reféns foram liberados por volta das 3h30 após a transferência de 851 presos dos pouco mais de mil do presídio, que ficou destruído com o motim, iniciado do último domingo (24).

O final da rebelião só foi possível após várias rodadas de negociações entre os presos, que dizem pertencer à facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital), e as autoridades da segurança pública do Paraná.

O motim teve momentos de tensão, principalmente no domingo, quando os presos amotinados jogaram vários detentos do telhado do presídio –uma altura de cerca de 15 metros. Ao menos dois deles morreram com a queda.

Dezenas de presos da ala do seguro, onde ficam os condenados por crimes sexuais, foram tomados reféns. Pelo menos oito deles foram colocados no telhado da penitenciária de bruços e com as mãos amarradas para trás.

Nesta segunda-feira (25), os detentos já tinham feito um acordo com o governo para encerrar o motim e entregar o último refém, mas apenas depois do término das transferências.

A expectativa da Secretaria da Justiça do Paraná é realizar uma vistoria no presídio ainda na manhã nesta terça.

Os presos reclamaram da violência de agentes e pediram melhorias na comida e na estrutura do local.

Advogados que acompanharam as negociações relataram à reportagem ter sentido um forte cheiro de carne queimada na segunda-feira (25).

BARRIL DE PÓLVORA

A violenta rebelião da Penitenciária Estadual de Cascavel expõe problemas do sistema carcerário presentes em outras unidades do Paraná.

O presídio "inflou" sua capacidade nos últimos anos com a colocação de mais camas sem aumento do espaço físico. Onde havia cinco colchões, por exemplo, passou a haver seis, e celas individuais foram transformadas em coletivas. Com isso, a capacidade pulou de 908 para 1.116 vagas sem que houvesse melhorias na infraestrutura.

O mesmo ocorreu em outros presídios do Paraná. O governo de Beto Richa (PSDB) prometeu acabar com os presos em delegacias, mas, para isso, encheu as penitenciárias.

Deixe seu Comentário

Leia Também

AMOR BANDIDO
Homem leva facada da esposa, perdoa e casal sai de mãos dadas da delegacia
VIOLENCIA NA CIDADE
Mulher invade culto e esfaqueia ex-marido em Campo Grande
SOB INVESTIGAÇÃO
Empresário é encontrado morto pelo pai em frente à residência em MS
FATALIDADE
Trabalhador rural de Cassilândia morre com suspeita de coice de vaca enquanto ordenhava
VIOLENCIA DOMESTICA
Agosto Lilás, a maior campanha de enfrentamento à violência doméstica de MS será lançada nesta terça
ACIDENTE FATAL
Trabalhador rural morre atropelado após atravessar rodovia para urinar
MARIA DO JACARÉ
Comerciante que atraía jacarés com berrante morre após acidente doméstico em Miranda
EXECUÇÃO
Primos são executados com mais de 30 tiros na fronteira de MS
AÇÃO DA PMA
Fazenda com 520 cabeças de gado sem comida, alguns são encontrados mortos, PMA autua arrendatário
Corpo foi encontrado no quintal da casa da vítima, em Sidrolândia (MS).  Foto: PMMS/Reprodução CASO DE POLÍCIA
Polícia encontra corpo de idoso enterrado em quintal e sobrinha confessa homicídio