Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
terça, 4 de agosto de 2020
SADER_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
angélica

Dono de serraria ilegal é multado pela PMA em quase R$ 2 mil

3 Out 2013 - 08h16Por Dourados News

Durante fiscalização realizada ontem (2) à tarde no município de Angélica, policiais da PMA (Polícia Militar Ambiental) fecharam uma serraria que funcionava ilegalmente próximo à área urbana, onde foram encontradas madeiras serradas das espécies Garapa e Canafístola sem origem, ou seja, que tinha sido exploradas sem a autorização do órgão ambiental necessária, no caso, o DOF (Documento de Origem Florestal).

Os policiais apreenderam a madeira e também serras, e fecharam a serraria. O dono do estabelecimento, um homem de 46 anos que não teve o nome divulgado pela PMA, foi autuado e multado em R$ 1.900.

Ele foi levado para a delegacia de Polícia Civil de Angélica, e vai responder por crime ambiental, por fazer funcionar uma atividade potencialmente poluidora e por armazenar e explorar madeira ilegalmente. Caso seja condenado, o acusado pode pegar pena de detenção de até dois anos somando os dois crimes.

Deixe seu Comentário

Leia Também

AÇÕES DO GOVERNO DE MS
Governo de MS reforça estrutura das polícias para combater criminalidade
TRAGEDIA NA RODOVIA
Familia se despede de parentes mortos em acidente na BR-277
NA CASA DELE
Tio estupra criança de 4 anos e dá chocolate para ela não contar
FATIMA DO SUL - ROUBO
Polícia Militar recupera veículo Fiat Palio furtado e autor de furto é preso em Fátima do Sul
FORA DO HABITAT
Garotos tentam comprar ‘ração’ para jacarezinho, mas abandonam ‘pet’ selvagem em MS
ACIDENTE FATAL
Acidente deixa 9 feridos; 3 crianças estão entre as vítimas em MS
VIOLENCIA DOMESTICA
Esposa se nega a manter relações sexuais e acaba espancada e mantida em cárcere por 6 dias em MS
ACIDENTE TRÁGICO
Vitimas do acidente na BR 177 são identificadas: 3 são da mesma familia
ASSASSINATO
Mulher é encontrada morta e sem roupa; ex-marido é procurado
CORRUPÇÃO NA SAUDE
MP aponta 'vergonhosa fraude' e aciona prefeito a devolver R$ 4,136 milhões