Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
sexta, 21 de janeiro de 2022
Busca
CRIME EM MS

Mãe que enterrou filha viva para encobrir estupro é condenada a quase 40 anos de prisão em MS

12 Jan 2022 - 20h22Por G1/MS

Emileide Magalhães, de 30 anos, foi condenada, nesta quarta-feira (12), a 39 anos, 8 meses e 4 dias de prisão em regime fechado pela morte da própria filha de 10 anos. A mulher teria asfixiado e enterrado a menina viva de ponta cabeça para encobrir que a vítima tinha sido estuprada pelo padrasto.

À época, a mulher teria obrigado outro filho, de 13 anos, a ajudar a enterrar a irmã. O crime aconteceu em março de 2020, em Brasilândia (MS) - a 366 km de Campo Grande -. Emileide foi condenada por homicídio qualificado, ocultação de cadáver, falsa comunicação de crime e corrupção de menores por ter obrigado o filho adolescente, de 13 anos, a participar do assassinato da irmã.

O júri, realizado em Três Lagoas (MS), teve transmissão ao vivo pela internet. Questionada pelo juiz Rodrigo Pedrini Marcos sobre o porquê de ter agredido a filha, Emileide respondeu: “não sei falar para o senhor”.

A mulher confessou durante a audiência ter enterrado a filha e alegou achar que a menina já estivesse morta. “Joguei pedaço de terra dentro do buraco, mas pra mim ela já estava morta”.

Em pergunta à acusada sobre os abusos sofridos pela filha, Emileide respondeu que "talvez" tivesse escutado a menina ter falado sobre o caso de estupro.

O marido da condenada na época, André Luiz Ferreira Piauí, está preso por estupro de vulnerável. Durante o julgamento, Emileide contou que ainda recebe cartas de André, mas negou ter um relacionamento com ele.

Na audiência, a dona de casa disse ter se arrependido do crime cometido contra a filha. O garoto cumpre medidas socioeducativas em uma Unidade Educacional de Internação (UNEI).

O crime
Investigações realizadas pela polícia apontaram que a criança estava denunciando abuso sexual, por parte do padrasto, quando o crime ocorreu. O irmão da vítima, de 13 anos à época, ajudou a mãe no crime e chegou a ser apreendido. À polícia, o garoto contou que a vítima pedia por socorro de dentro do buraco.

A polícia soube do caso pela própria mãe. Depois de ir três vezes ao local do crime para constatar se a filha estava morta, a mulher procurou a delegacia de Polícia Civil e disse que a menina havia desaparecido após ter sido deixada por ela em uma praça com o irmão. Horas depois, ligou para a Polícia Militar (PM) e contou que havia matado a criança e queria se entregar.

Conforme a Polícia Civil, o médico legista observou, no exame necroscópico, que a vítima apresentava várias lesões pelo corpo, indicando possível ocorrência de tortura. A causa da morte foi asfixia mecânica por compressão do tórax, compatível com o relato do adolescente.

O filho da acusada revelou ainda que a mãe ficou enfurecida porque a irmã havia dito que estava sendo abusada sexualmente pelo padrasto e prometeu matá-la caso continuasse falando sobre o assunto. Em seguida, ela chamou ambos para sair de carro e parou em uma estrada fora da cidade, onde iniciou as agressões e matou a filha.

Leia Também

LUTO NA PM
PM emite nota de pesar pela morte do Oficial Fátimassulense encontrado sem vida em hotel
LUTO NA PM
Ex-morador em Fátima do Sul, Tenente da PMMS é encontrado morto em quarto de hotel na Capital
PROCESSO
Mulher de Fátima do Sul processa Gustavo Lima por citar número de seu celular em música
Imagem Ilustrativa - Menina foi estuprada dentro de uma conveniência - Crédito: André de Abreu/Arquivo CRIME
Criança de sete anos é estuprada dentro de conveniência
Jaqueline Hahn Tente, SECIC DOURADOS
Delegacia de Atendimento à Mulher de Dourados passa a contar com intérprete de Guarani
SEGURANÇA PÚBLICA
Feminicídios reduzem 83,3% em Campo Grande, aponta Secretaria de Justiça e Segurança Pública
POLÍCIA FEMINICÍDIO
FEMINICÍDIO: Ex-marido mata mulher com machado na frente da filha de 4 anos e se entrega em MS
PLANTÃO CASO DE POLÍCIA
Mulher tenta pedir socorro, mas é morta com pedrada na cabeça em MS
Jardim MS News VÍTIMA IDENTIFICADA
Motorista que morreu em acidente era procurado pela polícia
Hoje de manhã, ainda havia vestígios do incêndio no local onde ocorreu a confusão.  INCENDIÁRIA
Mãe é presa após atear fogo em casa com bebê dentro