Menu
SADER_FULL
segunda, 8 de agosto de 2022
BANNER IMPRESSORAS
Busca
Brasil

OIT diz que desemprego entre os jovens no mundo chegou a 13% em 2009

12 Ago 2010 - 06h39Por Agência Brasil

A taxa de desemprego entre os jovens em todo o mundo aumentou para 13% em 2009, o que representa 81 milhões de pessoas economicamente ativas desempregadas de acordo com relatório da Organização Internacional do Trabalho (OIT), denominado Tendências Mundiais de Emprego para a Juventude 2010, divulgado hoje (11).

A organização afirma que essa é a maior taxa de desemprego entre pessoas de 15 a 24 anos desde 2007, quando o número chegou a 73,2 milhões. Entre 2008 e 2009, a taxa de desemprego entre os jovens aumentou 1 ponto percentual, a maior variação anual registrada nos 20 anos de estimativas da organização.

Segundo o relatório, os mais afetados são os jovens que vivem em países em desenvolvimento. Isso porque eles são os mais vulneráveis ao subemprego e à pobreza. O relatório diz ainda que nos países de baixa renda o impacto da crise é mais sentido pela redução das horas trabalhadas e pela redução dos salários daqueles que têm emprego assalariado.

A América Latina e o Caribe, segundo o estudo, têm passado por um crescimento significativo do desemprego, principalmente porque a estrutura do mercado de trabalho é ligada a economias desenvolvidas. Nestas regiões também houve um aumento do emprego vulnerável e dos empregos informais entre 2008 e 2009, quando o número de trabalhadores por conta própria aumentou 1,7 ponto percentual e o número de trabalhadores informais aumentou 3,8 pontos percentuais.

Entre as regiões em desenvolvimento, a taxa de desemprego dos jovens aumentou no Oriente Médio (0,4), Norte de África (0,4), África Subsaariana (0,1), e diminuiu ligeiramente no Sudeste da Ásia e Pacífico (-0,1 ponto percentual).

Na União Européia e nos países desenvolvidos a taxa de desemprego registrada no ano passado foi de 17%, a maior desde 1991, quando as estimativas regionais começaram a ser medidas. Os impactos da crise foram sentidos por um aumento do emprego vulnerável e no setor informal. O relatório afirma que grande parte dos jovens de países desenvolvidos têm dificuldades para encontrar empregos assalariados e preferem procurar trabalho informal ou acabam contribuindo no trabalho familiar. 

Segundo o relatório, há uma correlação entre as taxas de desemprego mais baixas e maiores taxas de emprego vulnerável em todas as regiões do mundo devido à falta de redes de segurança social, como subsídios de desemprego nos países de baixa renda.

O relatório foi divulgado hoje para coincidir com o lançamento do Ano da Juventude da Organização das Nações Unidas (ONU) comemorado em 12 de agosto.

Leia Também

COVID NO BRASIL
Covid-19: Brasil registra 261 óbitos e 40,4 mil casos em 24 horas
LENDA DO HUMORISMO
Jô Soares morre em São Paulo aos 84 anos
A CONTA GOTAS
Petrobras anuncia corte de R$ 0,20 no preço do diesel
100 PERÍCIA
Senado aprova regras que podem dispensar perícia médica do INSS
CAIXA PARA ELAS
Caixa anuncia programa voltado para o público feminino
COVID NO BRASIL
Brasil registra 265 novas mortes por Covid nas últimas 24 horas
CONFUSÃO DE TORCIDAS
Briga entre torcida do Flamengo e Corinthians deixa feridos em Campo Grande; veja vídeos
PREOCUPANTE
Covid-19: Brasil registra 295 óbitos e 34,4 mil casos em 24 horas
SOB INVESTIGAÇÃO
Brasileiro e estudante de medicina é encontrado morto em carro na fronteira
MILAGRE DA MEDICINA
Siameses brasileiros unidos pelo crânio são separados após 9 cirurgias