Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
sábado, 31 de outubro de 2020
SADER_FULL
Busca
SITIOCA ALVORADA
Brasil

MPE quer explicações sobre asfalto Amambai Caarapó

24 Mar 2007 - 04h48
O Ministério Público Estadual vai cobrar explicações do Governo do Estado e da empresa responsável pela execução da pavimentação da rodovia MS 156, no trecho que liga Amambai a Caarapó em relação aos problemas de deterioração do asfalto que foi inaugurado a menos de 4 meses.

 Segunda o Promotor de Justiça da 1ª Promotoria da Comarca de Amambai Dr. Thalys Franklin de Souza, fotos e documentos relatando a situação da malha viária foram anexados e serão encaminhados para a Procuradoria-Geral de Justiça do Estado em Campo Grande, órgão competente para tomar as medidas cabíveis em situações dessa natureza.

 A rodovia MS 156, no trecho que liga Amambai a Ponta Porã teve a pavimentação asfáltica concluída no final do ano passado e já apresenta diversos problemas, entre eles buracos ba pista, asfalto arrepiado para as margens da rodovia em diversos pontos ao longo dos 70 quilômetros da rodovia estadual e problemas em cabeceira de pontes que provocam solavancos nos veículos.

 

A Gazeta News

Deixe seu Comentário

Leia Também

TENTATIVA DE ESTUPRO
Vídeo mostra empresário assediando jovem na entrevista de emprego
PANE EM AVIÃO
'Sobrevivemos só com a água chuva', diz cantor de MT que ficou 24 dias na mata
PANDEMIA AINDA NÃO ACABOU
Pandemia avança e MS registra 555 novos casos de Coronavírus em apenas 24h
INCÓGNITA
Governo ainda não definiu como será o 13º de quem teve corte salarial
ANTICORPOS
Bebê nasce com anticorpos contra covid-19
Vítima contou violência sexual para a tia ESTUPRO DE VULNERÁVEL
Idoso é denunciado por estuprar filha de amigos e a enteada
FENÔMENO DA NATUREZA
Evento raro: Lua Azul poderá ser vista no Dia das Bruxas
AUXILIO POPULAÇÃO
Caixa deposita auxílio emergencial nesta 5ª feira para nascidos em novembro
FOI MAL
Bolsonaro recua e revoga decreto que facilita privatização dos postos do SUS
90% RECUPERADOS
Brasil tem 158,4 mil mortes por covid-19 desde início da pandemia