Menu
SADER_FULL
quarta, 3 de junho de 2020
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

Moka diz que PT vetou seu nome no Ministério da Agricultura

20 Mar 2007 - 13h12

Indicado pela bancada ruralista da Câmara para o Ministério da Agricultura, o deputado Waldemir Moka (PMDB-MS) disse hoje que houve um veto político ao seu nome. Ele disse que o veto ocorreu porque ele fez oposição "muito dura" ao PT quando o partido governou o Mato Grosso do Sul e ao governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva nos últimos quatro anos.

Moka disse que entende o motivo do "veto" ao seu nome e afirmou que não se sentirá preterido caso a escolha seja pelo deputado Reinhold Stephanes (PMDB-PR), como se especula. "É claro que se o presidente puder escolher entre um nome que esteve com ele desde o início e outro que lhe fez oposição, o presidente ficará com a primeira opção", afirmou.

O deputado disse que independentemente da escolha do presidente Lula, irá manter uma postura de aliado do governo, seguindo orientação do seu partido. O deputado afirmou que fez oposição a Lula nos últimos quatro anos porque o PMDB tinha decidido por este caminho.

No Estado, o deputado é um dos principais adversário do ex-governador Zeca do PT, a quem acusou de irregularidades no governo. Moka tem forte influência na bancada ruralista no Congresso e sua posição é importante para tranquilizar o governo de que o novo ministro não terá a oposição dos deputados e senadores ligados ao setor.

O líder do PMDB na Câmara, deputado Henrique Eduardo Alves (RN), negou que Lula já tenha escolhido o novo ministro. "O presidente Lula ainda não decidiu. Hoje ele vai ter algumas conversas para tomar sua decisão. Vamos aguardar", afirmou.

Ele não descarta a indicação de Moka, embora nos bastidores o nome de Stephanes seja dado como certo.

 

 

 

Folha Online

Deixe seu Comentário

Leia Também

COVID-19
Brasil registra mais de 31 mil mortes por covid-19
COISA MEDONHA
Mulher é desenterrada e estuprada um dia após ser sepultada
DOURADOS - NOVO EPICENTRO COVID-19
Dourados é novo epicentro do coronavírus em MS com mais de 300 casos confirmados
AUXÍLIO EMERGENCIAL
Caixa LIBERA 2ª parcela do auxílio de R$ 600 em contas dos beneficiários, veja os meses
ABSURDO
Médica relata ter sofrido agressões por parte de frequentadores de 'festas de corona'
TRAGÉDIA NA FAMILIA
Menino de 9 anos, acidentalmente mata irmã de 7 anos com espingarda
TRAGEDIA NA RODOVIA
Mulher gravida e marido morrem e criança fica ferida em acidente trágico
PANDEMIA CORONAVIROS
Vai ser ''um massacre'', diz ex-diretor da Saúde sobre flexibilizar isolamento
BOA NOTICIA
Bolsonaro diz que auxilio emergencial pode ter quarta parcela, mas pagando menos
PRAZO MÁXIMO
Acordo prevê máximo de 20 dias para análise de auxílio emergencial