Menu
BANNER IMPRESSORAS
quinta, 11 de agosto de 2022
BANNER IMPRESSORAS
Busca
Brasil

Meninas Cantoras e Cras recebem palestra em Glória de Dourados

12 Nov 2009 - 09h50Por Demerval Nogueira / Fátima News

A secretaria municipal de Assistência Social e Cidadania (Sasc), pasta conduzida pela assistente social Mary Solange Bega através das psicólogas e assistentes sociais do Cras e Creas ministrou palestra aos participantes do projeto Meninas Cantoras de Glória – As Glorinhas e também do Cras realizado na sala de reuniões da 1ª Cia. Mixta de Guardas Mirins Dalva da Silva Leite, com o tema Violência Psicológica. A psicóloga do Conselho de Referência Especializado de Assistência Social (Creas), Isloany Dias Machado argumenta que, “a violência psicológica é um conjunto de atitudes, palavras e ações para envergonhar, censurar e pressionar a criança”.

 

 

Durante a palestra foram explicados diversos tópicos sobre o tema, tais como, a Negligência que é uma forma de violência caracterizada por ato de omissão do responsável pela criança ou adolescente em prover as necessidades básicas para seu desenvolvimento sadio. Também discorreu sobre Abandono que é uma forma de violência muito semelhante à negligência, ele se caracteriza pela ausência do responsável pela criança ou adolescente. A psicóloga e responsável pelo Centro de Referência de Assistência Social (Cras), Mary Anne do Nascimento Ernandes disse que, “a violência física é o uso da própria força física de forma intencional, não acidental, por um agente agressor adulto”.

 

 

As palestrantes descreveram também o Bullyng, que compreende todas as formas de atitudes agressivas, intencionais e repetidas que ocorrem sem motivo evidente, adotados por um ou mais estudantes contra outro, causando dor e angústia. Foram citados diversos tipos de bullyng, colocar apelido, zoar, humilhar, discriminar, bater, isolar, intimidar, assediar, aterrorizar e outros. Isloany Dias dimensiona que, “o bullyng é um problema mundial, sendo encontrado em toda e qualquer escola, não estando restrito a nenhum tipo específico de instituição, pública ou privada”. Ainda com referência ao bullyng, Mary Anne comenta, “as testemunhas são representadas pela grande maioria dos alunos, que convivem com a violência e se calam com medo de se tornarem as próximas vítimas e, apesar de não sofrer as agressões diretamente, muitas delas pode sentir incomodadas com o que vêem e inseguras sobre o que fazer”.

 

 

A coordenadora do Conviver e Cras, professora Rosalice Voltatone de Oliveira disse aos alunos, “o maior prêmio é o conhecimento que vocês adquirem, porque o conhecimento ninguém rouba, ninguém tira, é um bem que cada um de vocês carregará para o resto da vida”. A pedagoga, psicóloga e 1ª dama do município, Mariângela Vieira Barbosa Athas destaca, “tudo isto é muito importante e que todos devem levar para casa este ensinamento de comportamento, tanto para vocês, tanto quanto no seio familiar e no convívio social”. Participaram também ativamente da palestra as assistentes sociais Ana Paula Andrade e Luciana de Mendonça Agostinho, bem como, a coordenadora e a regente do projeto As Glorinhas, Noemia Jacinto Bortoluzi e Gisele Ferreira de Oliveira. Após a palestra os alunos participaram de atividades referentes ao tema.

 

Leia Também

NOITE DE TERROR
Moradores relatam medo vivido em confronto com oito mortos
ACIDENTE DE TRABALHO FATAL
Trabalhador morre soterrado ao fazer limpeza em silo de grãos
AGRESSÃO NA ESCOLA
Mulher invade escola e espanca aluna a pauladas
COVID NO BRASIL
Covid-19: Brasil ultrapassa o número de 680 mil mortos pela doença
AUXÍLIO BRASIL AUXILIO POPULAÇÃO
Auxílio Brasil de R$ 600 e vale-gás saem hoje para mais um grupo
BRASIL + POBRE
Estudo mostra alta da pobreza em regiões metropolitanas
ESTERILIZAÇÃO
Senado aprova redução da idade mínima para realização de laqueadura
ASSUSTADOR
VÍDEO: Tromba d´água é registrada no Litoral e assusta moradores
TEMPESTADE
Temporal derruba teto de UTI covid em hospital e pacientes são transferidos às pressas
COVID NO BRASIL
Brasil registra 365 mortes e 30,2 mil casos de covid-19 em 24 horas