Menu
SADER_FULL
domingo, 9 de maio de 2021
Busca
Brasil

Leia o artigo “OBRIGADO” A UM EX-GOVERNADOR" por Marcos Troquez

27 Out 2010 - 18h06Por

Certa feita, meu filho e eu fomos a uma instituição estadual de ensino em busca de um documento. Para minha surpresa, lá pude rever vários colegas dos meus tempos de professor e diretor de escola pública nas décadas de 80 e 90. Entre estes heróis estava um senhor muito dedicado e compenetrado nas tarefas que executava (serviços burocráticos). Este, além do par de óculos com vários graus, necessitava ainda do auxílio de uma “lupa” para enxergar os escritos dos livros e documentos. Chamei a atenção de meu filho para tal situação e lhe falei que aquele ali seria eu se não tivesse dado ouvidos aos conselhos de meu ex-governador.
Hoje sou funcionário público federal quase aposentado, com um salário razoável e ainda com boa saúde, graças a Deus. E aquele cidadão, será que já aposentou? Será que viverá para isto? Será que poderá curtir um pouco a vida após aposentar? O meu amigo ex-governador, eu sei pela mídia que está muito bem.
Recentemente, encontrei-o em uma festa, porém não tive oportunidade de agradecê-lo. Mas agradecê-lo por quê? Vamos lá:
Lá pelos fins dos anos 80 e início dos 90. Eu era professor e diretor de escola na rede estadual de ensino do Mato Grosso do Sul. Estávamos já há 7 meses sem o pagamento dos nossos salários. Então a classe dos professores decidiu fazer um movimento reivindicando seus pagamentos.
Assim como os demais colegas de profissão, “comi o pão que o diabo amassou” para sobreviver. Casado há pouco tempo, com uma filhinha recém-nascida, eu e minha esposa sobrevivemos com a ajuda de parentes e amigos. Pra piorar as coisas, no dia em que eu recebi todo o atrasado no banco (de uma só vez), perdi todo o dinheiro no caminho pra casa. Não fui assaltado, não. Perdi mesmo. Mas com a ajuda de Deus sobrevivi e hoje estou aqui.
Na ocasião das reivindicações pelos salários atrasados, tivemos que ouvir ainda do governador o seguinte conselho: “Quem não está contente, que faça concurso para outra coisa”. E foi o que eu fiz.
Tenho orgulho, respeito e admiração pelos meus companheiros heróis que permaneceram na educação e também pena por muitas vezes estarem submissos a inescrupulosos governantes que não valorizam uma das mais importantes categorias para a formação de uma sociedade melhor: o professor.

Esta história leva-nos a refletir sobre a atitude do referido governador que, ao invés de buscar melhorar os salários e as condições de trabalho dos professores, fez “pouco caso” da profissão docente sugerindo-lhes a mudança de emprego, como se os professores não merecessem receber salários dignos e em dia.

Deixe seu Comentário

Leia Também

ESCALADA DA VIOLÊNCIA
Operação mais letal da história deixa 25 mortos no Jacarezinho
VITIMA DO MASSACRE
'Fiquei vendo costurarem os ferimentos. Chorava, orava e agradecia por ele estar vivo, diz mãe
FRIO - FÁTIMA DO SUL NOVA ONDA DE FRIO
Frio de origem polar começa a ser sentido novamente e terá geada
TERROR NA CRECHE
Sob forte emoção moradores de Saudades realizam velório coletivo das vítimas do ataque à creche
CHEGANDO FORTE
Frio chega com força e provoca geada no Sul
TERROR EM CRECHE
Jovem invade escola e mata três crianças e duas funcionárias
PÉSSIMA PROJEÇÃO
Covid-19: Brasil deve alcançar 575 mil mortes em 1º de agosto, diz instituto
SONHO INTERROMPIDO
Jovem perde noivo para a Covid-19 no dia do casamento: 'Nossos sonhos ficaram para trás'
PANDEMIA CORONAVIRUS
Triste número: Brasil ultrapassa 400 mil mortes por Covid-19
REVOLTA
Pastor zomba da fé dos indígenas Trukás que revoltados quebram templo em construção; veja o vídeo