Menu
SADER_FULL
quarta, 3 de março de 2021
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
Brasil

Índios e ruralistas devem ceder para resolver conflitos em MS

26 Mai 2011 - 16h39

Índios e ruralistas devem ceder para que os conflitos agrários em Mato Grosso do Sul sejam resolvidos. A afirmação é da ministra do STJ (Superior Tribunal de Justiça) Eliana Calmon, sobre as questões fundiárias realizado na manha de hoje em Dourados.

Eliana disse que a conciliação é a única forma resolver definitivamente a disputa por terras entre índios e produtores rurais. “Temos que respeitar a dívida histórica com índios ao mesmo tempo em que devemos ficar atentos aos produtores rurais que trabalham a terra e contribuem para a economia”, enfatizou a corregedora.

Na opinião de Eliana Calmon as duas partes têm que ceder um pouco dos seus direitos e o CNJ (Conselho Nacional de Justiça) surge como uma ferramenta para a negociação e a conciliação já que não há uma resposta jurídica para a disputa da terra. “O CNJ tem o compromisso de desatar os nós dentro do Poder Judiciário”, disse a ministra que pediu aos dois lados da questão que “desarmem seus espíritos”.

Eliana Calmon comentou o discurso do governador André Puccinelli que chegou a receber vaias de lideranças indígenas. A ministra disse respeitar a visão do governador acerca da disputa pelas terras. “Se ele tivesse uma solução adequada o conflito já teria cessado”, disse a ministra.

Participaram da solenidade o governador André Puccinelli, o prefeito Murilo Zauith; o presidente do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul, Luis Carlos Santini; o advogado geral da União Luiz Inácio Adams; e o presidente da Assembléia Legislativa, deputado Jerson Domingos. O presidente da FUNAI (Fundação Nacional do Índio) Márcio Meira estava presente ao encontro, mas não fez parte da mesa das autoridades.

O seminário prosseguiu com um debate sobre “A situação dos guaranis e a demarcação de terras em Dourados”, com palestras de Antonio Brand, professor da Universidade Católica Dom Bosco, e de Eugênio José Guilherme de Aragão, subprocurador-geral da República.

Deixe seu Comentário

Leia Também

ESTUPRO DE VULNERÁVEL
Filho de fazendeiro reclama de dor anal e mãe descobre estupro cometido por funcionário
BOA NOTICIA
Governo zera PIS e Cofins do diesel e do gás de cozinha
RIGOR DA LEI
Cidade vai multar em até R$ 60 mil quem descumprir decreto de combate ao Covid-19
PANDEMIA 100 FIM
Brasil tem 30.484 mortes por Covid-19 em fevereiro, 2º maior número em toda a pandemia
charge_gasolina 100 TRÉGUA
Facada: Petrobras anuncia novo aumento nos preços da gasolina e diesel
CARCERE PRIVADO
Homem é preso por cárcere privado e violência doméstica após mulher pedir socorro com foto nas redes
NOVO AUXILIO
Presidente afirma Auxílio emergencial deve voltar em março, com parcelas de R$ 250
ALERTA EPIDEMIOLÓGICO
Covid-19: Brasil registra 1.541 mortes em 24 horas
MUNDO DO CRIME
Após morrer de Covid-19 no mesmo dia, casal tem oficina invadida e furtada
TRISTEZA NA FAMILIA
Pai e filho morrem de Covid-19 com poucas horas de diferença