Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
terça, 28 de setembro de 2021
Busca
Brasil

Governo federal libera R$ 16,8 mi para desfavelizar 6 cidades de MS

10 Nov 2009 - 09h52Por Mídia Max

Logo mais às 16 horas (horário de Brasília), o presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva assinará convênios para destinar R$ 1,2 bilhão do FINIS (Fundo Nacional de Interesse Social) a 90 municípios brasileiros. Seis cidades de Mato Grosso do Sul serão contempladas. O dinheiro atenderá projetos de urbanização e melhorias em locais com habitações precárias. Juntas, as prefeituras de Campo Grande, Dourados, Naviraí, Amambai, Bodoquena e Maracaju, receberão R$ 16,8 milhões.

O evento no Palácio do Planalto deverá contar também com a presença da ministra- chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff e do ministro das Cidades, Márcio Fortes.

A capital do Estado, Campo Grande, receberá R$ 4,3 milhões. O prefeito Nelsinho Trad (PMDB) informou que não participará da cerimônia. O presidente da Emha (Empresa Municipal de Habitação), Paulo Matos, deverá representa-lo.

Nelsinho conta que o dinheiro a ser liberado hoje é referente a um projeto para construção de moradias encaminhado ao Ministério das Cidades. “Acho que vai dar para fazer umas 300 casas”, mencionou.

Paulo Matos explicou que o dinheiro atenderá a famílias do bairro Dom Antonio Barbosa e região, que hoje vivem em sub-habitações. “Essas famílias terão um lar dotado de infraestrutura básica, como ligação de água, esgoto e energia elétrica. Hoje, você tira a família de uma favela e leva para um lugar equipado com todos os equipamentos municipais”, afirmou.

Outra cidade que receberá valor significativo do Fundo é Dourados. O convênio para o município terá o valor de R$ 6,5 milhões. O valor é um complemento aos repasses do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento).

A prefeitura de Dourados vai investir o dinheiro na construção de casas populares em uma área de 20 ha na região do bairro Estrela Porã.

Naviraí receberá R$ 1,5 milhão para projetos habitacionais. O município, Campo Grande e Dourados obtiveram a aprovação de projetos elaborados pelas prefeituras.

Já Amambai, Bodoquena e Maracaju receberão a verba via governo do Estado que será o executor dos projetos. Amambai receberá R$ 1,5 milhão, Bodoquena R$ 1,9 milhão e Maracaju R$ 1,1 milhão. Os municípios contemplados tem de entrar com contrapartida em recursos próprios que varia de 5% a 20% do valor do projeto.

Favelas

Um levantamento realizado em 2008 pela Secretaria Estadual de Habitação apontou que cerca de cinco mil famílias moravam em favelas em todo o Estado. Recursos federais tanto do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) quanto do FINIS ajudam as prefeituras a mudar esta realidade.

Além das prefeituras beneficiadas na data de hoje, também já foram contempladas com recursos do Fundo Anastácio, Bonito, Ponta Porã e Ribas do Rio Pardo.

“Se continuarmos trabalhando, poderemos transformar MS no primeiro Estado sem favelas” afirmou o secretário estadual de Habitação, Carlos Marun, em entrevista ainda em 2008.

O FINIS permite que o dinheiro seja investido em melhorias gerais nos municípios, como construção de escolas e outros itens básicos da moradia. As cidades são escolhidas pelos projetos e pela pesquisa social que o conselho gestor do FINIS realiza no País. A ideia é priorizar as cidades onde haja mais moradias precárias.

 

Leia Também

CARRO DESGOVERNADO
Aluno de 13 anos é atropelado e prensado contra muro de colégio por carro desgovernado
SOB INVESTIGAÇÃO
Amigos saem para pescar e encontram cadáver boiando em rio
DESASTRE AÉREO
Diretor da UPA que sofreu acidente aéreo no Pantanal morre em hospital
COVID-19
Covid-19: Brasil tem 15,7 mil novos casos e 537 mortes em 24 horas
+ AUMENTO
Gasolina sobe pela 8ª semana seguida nos postos, aponta ANP
PAN AMERICANO JUNIOR
Atleta de MS carregará as cores do Brasil no vôlei de praia nos Jogos Pan-Americanos Júnior
LIÇÕES DA BÍBLIA
Prefácio de Deuteronômio
ROTA BIOCEÂNICA
Comissão mista homologa consórcio que vai construir ponte da Rota Bioceânica em MS
CASTELO DE AREIA
Idoso casa com prostituta 35 anos mais nova e flagra com outro
DOENÇA DO SÉCULO
Servidor público é encontrado pendurado em árvore