Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
sábado, 6 de junho de 2020
SADER_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

Desarticulada quadrilha que revende medicamentos ilegais

16 Mar 2007 - 09h09

A Polícia Civil do Mato Grosso conseguiu desarticular uma quadrilha que revende medicamentos ilegais e atua em pelo menos 8 Estados - Mato Grosso, Goiás, Mato Grosso do Sul, Distrito Federal, São Paulo, Rondônia, Bahia e Pará. O braço da quadrilha no Mato Grosso foi quebrado após ser localizado ontem um barracão, no bairro Santa Izabel, em Cuiabá (MT), com cerca de R$ 1 milhão em medicamentos, sendo que as caixas de remédios não tinham notas fiscais.

Sem condições alguma de armazenamento, as caixas de remédios estavam todas empilhadas, havendo inclusive vacinas e remédios de distribuição gratuita. O galpão foi alugado em fevereiro pelo ex-policial Givanildo Gomes, preso em flagrante na quarta-feira acusado de participação com a quadrilha que revende medicamentos ilegais.

No galpão foi encontrada uma agenda com diversos cartões, possíveis contatos da quadrilha, e notas fiscais de venda de medicamentos, inclusive para farmácias conhecidas na capital do Mato Grosso. Alguns dos medicamentos encontrados no galpão eram da mesma composição do que os que foram apreendidos na quarta-feira na casa de Givanildo, no Jardim Nova Várzea Grande, que também não tinham documentos sobre a procedência.

Segundo informações de vizinhos repassados à Polícia, o movimento no galpão era apenas à noite e nos finais de semana, quando havia muito descarregamento e carregamento de caixas. Entre as caixas de medicamento chama a atenção, além das que possuem a impressão de venda proibida, algumas com origem de Itatuí (SP), cidade em que um outro acusado de ser integrante da quadrilha, Ronaldo Lemes da Silva, tinha um mandado de prisão em aberto por receptação.

Ronaldo, assim como o terceiro acusado, Lisandro Paternez Martins, também foram presos na quarta-feira durante as investigações. Lisandro também era procurado, uma vez que cumpria pena em regime semi-aberto. Ele tinha se "ausentado" do local. Além disso, a polícia afirma que ele era procurado por roubo de cargas. Os dois tinham um escritório de revenda de medicamentos em nome da filha de Ronaldo e do sogro de Lisandro.

 

 

 

A Gazeta

Deixe seu Comentário

Leia Também

OPORTUNIDADE DE EMPREGO
Concurso federal com salário de até R$ 6 mil encerra inscrições nesta sexta-feira
100 ANUNCIOS
Covid-19: Bolsonaro ordenou atrasar boletins para não passar em telejornais
AUXILIO EMERGENCIAL
Veja se o seu CPF foi usado e como denunciar a fraude
3º EM NÚMERO DE VÍTIMAS
Com recordes seguidos, Brasil passa dos 34 mil mortos por coronavirus
COVID-19
Micro e pequenas empresas terão acesso a crédito facilitado
VÍDEO - CAPIVARA BOA DE MERGULHO
Capivara boa de mergulho é flagrada em rio de MS, assista
CASO DE POLÍCIA
Patroa é presa sob suspeita de homicídio culposo após filho de empregada cair do 9º andar
LUTA PELA VIDA
Cantora gospel que morreu por coronavírus, fez vaquinha para pagar tratamento
ELEIÇÕES 2020
Vai ter eleição, TSE autoriza convenções partidárias virtuais para eleição deste ano
BOA NOTICIA
Auxílio emergencial deve ser estendido em mais duas parcelas de R$ 300