Menu
SADER_FULL
sábado, 16 de outubro de 2021
Busca
Brasil

Americanos pretendem investir R$ 1,2 milhão na Coopernavi

22 Set 2006 - 13h36
A usina de açúcar e álcool Coopernavi, de Naviraí, vai ser mesmo comprada por investidores dos Estados Unidos. O investimento total dos compradores será de R$ 1,22 bilhão (US$ 560 milhões), envolvendo a compra das instalações atuais e mais a compra de terras e de maquinário a ser utilizado na expansão da área plantada de cana e da própria indústria de açúcar e álcool. O valor de R$ 1,22 bi é seis vezes maior do que o que vinha sendo informado desde o início das negociações entre a cooperativa de Mato Grosso do Sul e o grupo norte-americano.
O prefeito de Naviraí, Zelmo de Brida, um dos cinco maiores quotistas da usina de açúcar e álcool da Coopernavi, surpreendeu ao revelar, em entrevista na TV Mais (à cabo) o valor de venda a ser fechada, na negociação a ser fechada após a assembléia-feral que está marcada para a próxima quarta-feira (27). De acordo com ele, um grupo de investidores deverá pagar U$ 560 milhões (cerca de R$1,22 bilhão). O preço de pagamento, só para a indústria, teve preço anunciado para a imprensa como sendo algo em torno de R$ 230 milhões a R$ 260 milhões.
A autorização para a venda da usina foi dada em uma assembléia realizada no dia 25 de julho deste ano, com a presença de mais de 70% dos 28 cooperados. O processo de negociação se arrasta há pelo menos 15 meses e será a quarta reunião específica envolvendo o trâmite burocrático, que pode ser finalizado ainda em setembro ou em outubro.
O presidente da cooperativa, Ibanês Viero, ainda não quer falar sobre a possível venda, mas informou que a última assembléia aprovou a conferência dos bens para a subscrição e integralização de capital, que em síntese, transforma a cooperativa em Usina Coopernavi Sociedade Anônima. A transformação de cooperativa em regime SA era uma exigência dos investidores americanos.
Zelmo disse que o novo grupo de investidores pretende multiplicar por seis a produção da usina Coopernavi, criada em 1980, que processa 2 milhões de toneladas de cana por safra. Fechado o negócio à indústria passaria a moer 12 milhões de cana. “Isso é um salto extraordinário na produção e plantio de cana e vai melhorar toda economia local e regional”. Ele declarou também que não tem dúvida que este é um grande negócio para o município, pois haverá mais necessidade de mão-de-obra.
Atualmente, os usineiros da Coopernavi plantam 25 mil hectares de cana. Esta quantia permite a produção de 80 milhões de litros de álcool e três milhões de sacas de 50 quilos de açúcar por safra. Na safra 2005/2006 a Coopernavi moeu 1,8 milhão de toneladas. Com mix de produção de 50% para açúcar e 50% para álcool, a Coopernavi é a maior usina do Cone Sul do Estado de Mato Grosso do Sul, e uma das maiores do Estado, que já emprega no pico da safra, mais de 2,5 mil empregados.
 
 
Sul News

Leia Também

LIÇÕES DA BÍBLIA
Ame o Senhor, seu Deus
BRASIL VERDE
Governadores avançam na criação de consórcio em defesa do desenvolvimento sustentável
LIÇÕES DA BÍBLIA
Estudo adicional
LIÇÕES DA BÍBLIA
Outras imagens
LIÇÕES DA BÍBLIA
Seu povo especial
REVOLTANTE
Vanessa, de 18 anos, é atropelada e morre após reagir a assédio
LIÇÕES DA BÍBLIA
O livro da aliança
PAVOROSO
Acumulador de lixo transforma rua de cidade modelo em paraíso das ratazanas
JOGOS MORTAIS
Escola envia carta aos pais alertando sobre a série 'round 6'
NAUFRÁGIO
Barco naufraga e duas pessoas desaparecem; buscas continuam nesta segunda (11)