Menu
LIMIT ACADEMIA
domingo, 19 de agosto de 2018
SADER_FULL
Busca
ITALÍNEA
DE OLHO EM 2014

André manda PMDB articular chapa com o PR e ter 30 candidatos

3 Out 2013 - 07h33Por Campo Grande News

O presidente regional do PMDB, deputado estadual Oswaldo Mochi Júnior, recebeu esta tarde a incumbência do governador André Puccinelli de formar uma chapa com 30 candidatos às vagas da Assembleia Legislativa junto com o PR, presidido pelo deputado Londres Machado. “O governador pediu que eu trabalhe, corra, junto com o Londres, porque ele quer que nossa chapa proporcional para deputado estadual tenha no mínimo 30 candidatos a deputado estadual”, informou Mochi, esta tarde, depois de se reunir com Puccinelli.

Se confirmada a forte coligação proporcional com o PR, a expectativa do PMDB é conquistar de sete a oito vagas na Assembleia Legislativa. A quantidade projetada é até conservadora, já que hoje as bancadas peemedebista e republicana somam oito deputados (cinco do PMDB e três do PR).

Embora haja um entendimento inicial de coligação, PMDB e PR trabalham isoladamente na conquista de novas adesões de pré-candidatos, de olho no prazo fatal para trocas partidárias, 5 de outubro. “À princípio, é formação da chapa do PMDB, assim como o PR vai se preocupar com melhoria e filiação de mais nomes”, explicou Junior Mochi, como é mais conhecido.

A meta quanto à Câmara Federal também conservadora. “Temos a chance de repetir o número de federais, que são quatro”, informou Mochi. Atualmente, os deputados federais peemedebistas são Fábio Trad, Geraldo Resende, Akira Otsubo e Marçal Filho.

Questionado se o PMDB não estaria preocupado com a saída de Marçal, que já até assumiu o comando estadual do PROS, através de assessores, o presidente Oswaldo Mochi disse não acreditar que a troca partidária ocorra. “Marçal acha que chapa do PMDB é muito pesada. Mas acho que ele não deixa o partido porque sabe que para chapa de federal é melhor estar numa legenda que dá conta de fazer quociente eleitoral e, na pior hipótese, ser beneficiado pela sobra”, avaliou o dirigente, enfatizando que o quociente eleitoral para a Câmara Federal é de mais de 150 mil votos por vaga. “Não é fácil uma legenda conseguir isso”, ponderou.

Indagado se a perda de parlamentares preocupa o PMDB, Mochi declarou: “Possivelmente a gente pode ter alguma baixa, mas que esteja dentro da nossa previsão, da nossa discussão com outras legendas”.

Novas filiações – O PMDB está também se preparando para ganhar novos filiados até o dia 5 de outubro. “Isso entra na discussão da formação de nossa chapa proporcional. Estamos mapeando as regiões do Estado, verificando quais são nossos companheiros, em especial mulheres para serem candidatas, e os que podem ser convidados”, disse Mochi.

Inexiste, porém, discussão sobre filiação de parlamentares no PMDB de Mato Grosso do Sul. “Está todo mundo conversando. Estamos convidando lideranças para ser candidato a deputado federal e estadual”, informou.

Deixe seu Comentário

Leia Também

VICENTINA - FOTOS DO PROJETO
Veja as FOTOS do Projeto 'Seu Bairro em Boas Mãos' e Dia' da vacinação em VICENTINA
POLITICA
No 1º fim de semana, campanha tem gravações e candidatos no interior
INELEGÍVEL
Procuradoria pede impugnação de candidatura do Zeca do PT
POLITICA
Candidatos ao governo têm entrevistas e caminhadas no 2º dia de campanha
COMPROMISSO COM A SAÚDE
Saúde permanecerá como alicerce do trabalho de Onevan de Matos
AÇÕES DO GOVENO DO MS
MS aposta nos pequenos negócios para manter 2ª melhor taxa de empregos do país
NOVO HORIZONTE DO SUL - OPORTUNIDADE
Prefeitura abre inscrições para processo seletivo em Novo Horizonte do Sul
DEFINIÇÃO NA POLITICA
Fim da indecisão: seis candidatos entram na disputa ao Governo e 13 ao Senado
ELEIÇÕES 2018 - ONEVAN DE MATOS
Onevan disputa o 9º mandato no parlamento estadual, confira sua trajetória e ações no MS
AÇÕES DO GOVENO DO MS
Sob a gestão de Reinaldo, MS tem a maior renda do trabalhador no país, afirma IBGE