Menu
SADER_FULL
quarta, 16 de outubro de 2019
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
CANTINA BAH
BRASILEIRÃO 2019

Os desafios dos treinadores brasileiros no Brasileirão

Os desafios dos treinadores brasileiros no Brasileirão

11 Out 2019 - 19h55Por FÁTIMA NEWS / REDAÇÃO

Há alguns meses, o chefe do Liverpool, Jurgen Klopp, apontou algumas palavras duras para quem comanda o futebol brasileiro. "A maneira como os clubes brasileiros estão fazendo as coisas está definitivamente errada", disse ele. 

"Os treinadores entram por uma semana, um mês ou dois ou três, com esperança de que possam realizar maravilhas. Não é possível! É futebol, e não futebol, você precisa aceitar o que precisa fazer. É um trabalho árduo, em grupo, reunindo jogadores para que eles possam atuar juntos. Isso precisa de tempo. " 

Klopp ainda concluiu que "isso não é feito uma vez, em uma semana, um mês ou até um ano". O conselho de Klopp para os clubes brasileiros veio em abril deste ano. Seis meses depois, fica claro que apenas estavam ouvindo. Em um período de menos de 24 horas - do dia 26 ao dia 27 de setembro - o técnico Cuca renunciou a São Paulo sob pressão dos resultados, enquanto Rogério Ceni, Zé Ricardo e Oswaldo de Oliveira foram demitidos por Cruzeiro, Fortaleza e Fluminense, respectivamente . 

Nenhum deles estava no clube quando Klopp falou com um jornalista brasileiro. De todos esses, apenas o cenário acabou sendo aceito de volta por Fortaleza - os demais permanecem sob demanda por um novo clube, assim como muitos outros treinadores brasileiros. Os aplicativos de apostas estão populares - você pode usar esse código para fazer as ações - mas enquanto ainda há tempo, analisa os desafios que os treinadores brasileiros enfrentam.

Os desafios para os treinadores brasileiros

A qualidade dos treinadores brasileiros é claramente um motivo de preocupação. Eles estão fora do circuito. O ex-jogador do Arsenal e do Barcelona, Sylvinho, tornou-se recentemente o primeiro técnico brasileiro a assumir o comando durante uma fase de grupos da Liga dos Campeões, e já passou pelo mesmo problema, tendo sua saída do Lyon anunciada após 11 jogos sem comando de hora.

Enquanto isso, no Brasil, o impacto imediato do técnico Jorge Jesus no Flamengo tem sido impressionante. Com uma linha defensiva alta e uma abordagem ofensiva, sua equipe está jogando com uma marca encantadora do futebol moderno.

Mas não é fácil para os treinadores brasileiros construirem uma carreira. O calendário está cheio. Existem muitos jogos e pouco tempo para treinamento. Como Klopp apontou, uma pressão por resultados de curto prazo é excessiva. O contexto é difícil e há uma falta de direção do topo. Quando o Cuca saiu de São Paulo, por exemplo, ele confessou que seu estilo de jogo não era combinado com os recursos dos jogadores. Isso deixa uma pergunta óbvia; como isso não foi discutido antes de ele ser nomeado?

Além disso, os treinadores de clubes brasileiros podem apenas sonhar com uma herança como Klopp tanto estima. É praticamente impossível manter uma equipe unida por um ano. Os melhores jogadores provavelmente serão vendidos. O jogo sul-americano contemporâneo é um pouco parecido com um donut; há jovens promissores e veteranos no caminho - mas um buraco no meio onde deveria haver qualidade de classe mundial.

Alguns desses veteranos possuem um poder considerável, em muitos casos, muito mais do que merecem. Eles nunca foram bons ou suficientes para jogar lá, mas podem se destacar no Brasil. Eles têm bons contratos e, no caso de uma queda de braço, é mais fácil para o clube se livrar do treinador do jogador experiente. Rogério Ceni, por exemplo, foi demitido do Cruzeiro após uma briga envolvendo o craque veterano Thiago Neves. E Oswaldo de Oliveira recebeu suas ordens de saída do Fluminense após uma briga pública com Paulo Henrique Ganso.

Companheiro de Neymar no Santos e apontado por muitos como o melhor dos dois, Ganso teve uma carreira extremamente decepcionante. Lesões não ajudadas, é verdade, mas a verdade é que falta dinamismo sempre ou impedimento de tornar um jogador de renome. 

Mas, no Brasil, Ganso é frequentemente declarado um gênero, mesmo quando o Fluminense entra na zona de rebaixamento. Nenhum comando de Oswaldo de Oliveira, ao ser substituído em um jogo, Ganso Gritou que ou treinador era "interrompido". Oswaldo respondeu que Ganso era "um vagabundo", e eles começaram a brigar sem a intervenção de membros da equipe técnica. Na manhã seguinte, Oswaldo de Oliveira foi demitido. Parece que Klopp estava certo.

Deixe seu Comentário

Leia Também

ESPORTE
Agüero sofre acidente com carro de R$ 428 mil a caminho do treino do Manchester City
DICAS DE INFORMÁTICA
Usando o Windows no Trabalho? Como se Certificar de que o seu PC está Seguro
CICLISMO
Ciclista afastado por doping posta foto chocante de perna após voltar a competir
VICENTINA - ALMOÇO NO PESQUEIRO
Pesqueiro 7 Bello solta 8 Ton. de peixes e almoço deste domingo terá música Ao Vivo em VICENTINA
FÁTIMA DO SUL - DIA DAS CRIANÇAS
Mercado Julifran abre neste sábado com muitas ofertas para o DIA DAS CRIANÇAS em Fátima do Sul
VICENTINA - FEIRA LIVRE
Hoje tem 'Feira Livre' com música Ao Vivo em Vicentina
FÁTIMA DO SUL - DIA DAS CRIANÇAS O BOTICÁRIO
O Dia das Crianças do O Boticário está incrível, aberto hoje até às 18h em Fátima do Sul
BRASILEIRÃO
Santos toma 2º lugar do Palmeiras, e Fla pode abrir oito pontos
FÁTIMA DO SUL - DICA CIA DO BICHO
Fátima do Sul: Cia do Bicho dá dicas de como identificar o câncer de mama no seu Pet
VICENTINA E O PROJETO CONVIVER
Vicentina dá um show com Conviver em participação da 13ª Mostra Cultural e Festival MS in Concert