Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
terça, 17 de setembro de 2019
LIMIT ACADEMIA
Busca
ÁGUAS DE BONITO
EDUCAÇÃO

Mercadante: universidades não têm vagas para garantir 2ª edição do Enem

8 Nov 2013 - 15h45Por Terra

O ministro da educação, Aloizio Mercadante, conversou com o Terra nesta sexta-feira em Paris, onde participou de um grupo de estudos sobre o Brasil na Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), com sede na capital francesa. Apesar de satisfeito com a organização do último Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), aplicado para mais de 5 milhões de candidatos no final de outubro, o ministro disse que não há previsão para a realização de duas edições da prova.

De acordo com Mercadante, o Enem será aplicado apenas uma vez por ano enquanto o número de vagas nas universidades brasileiras for insuficiente para absorver a demanda pelo ensino superior no País.  "O problema é o seguinte: não há vagas nas universidades. Se eu fizer duas (edições anuais), não estou aumentando o número de vagas", disse.

As duas edições do Enem era uma promessa da presidente Dilma Rousseff, feita no início de 2012. No entanto, o ministro lembrou que realizar um exame no primeiro semestre prejudicaria os alunos que estão terminando o ensino médio, pois muitas das vagas disponíveis seriam ocupadas por quem realizasse a primeira das provas.

"Nós ainda temos uma complexidade operacional muito grande. Estamos consolidando o Enem", disse o ministro. "Nesse momento não temos condições de fazer (duas edições) e não resolveria o problema prioritário, que é os concluintes do ensino médio terem acesso à universidade", sentenciou Mercadante.

Reajuste dos professores
O ministro também falou sobre o reajuste salarial dos professores, motivo de protestos não só do magistério – em greve em diversas cidades do País -  como também de prefeitos e governadores, que alegam não ter dinheiro em caixa para custear os aumentos aprovados pelo Congresso e pedem um novo cálculo para o reajuste, baseado na inflação.

Apesar de números preliminares do governo federal terem apontado para um reajuste de 19% para os professores em 2014, Mercadante acredita que esse percentual será menor.

"Este ano, pelo desempenho da receita fiscal, eu acho que não vai ter um reajuste que tivemos no passado, de 19% ou 20% - o que era muito pesado. Vai ser um reajuste menor", disse o ministro, antes de defender uma melhora nos vencimentos de professores das redes estadual e municipal.

"Com todo o esforço que foi feito, o piso é de dois salários mínimos. Nós temos que continuar esse esforço de crescimento real", disse o ministro.

Mercadante encerrou nesta sexta uma série de encontros na capital francesa. Ao longo de toda a  semana, o ministro teve uma agenda corrida, com diversas reuniões de trabalho, além de ter proferido um discurso na 37a Sessão da Conferência Geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco).

Deixe seu Comentário

Leia Também

UNIGRAN DOURADOS
7ª AGROTEC Acontece nos dias 25, 26 e 27 de setembro na UNIGRAN Dourados
UNIGRAN DOURADOS - MOTORADOS
Motorados reúne apaixonados por motos e garante experiência a alunos de Publicidade da UNIGRAN
PASSEIO CICLÍSTICO
Escola de Fátima do Sul arrecada brinquedos para o dia das crianças
AÇÕES DO GOVERNO DO MS
Em encontro com prefeitos, Azambuja diz que todas as escolas estaduais serão reformadas
LANÇAMENTO DE LIVRO
Professor da UNIGRAN lança livro sobre proteção dos direitos dos autistas
FÁTIMA DO SUL - VISITA NA UNIGRAN
Fátima do Sul: Alunos conhecem a UNIGRAN e tem aula nos Laboratórios de Anatomia e Realidade Virtual
BRIGA NA RUA
VÍDEO: alunas saem no tapa em calçada de delegacia na Capital
MULTA SALGADA
PROCON-MS multa Anhanguera em R$ 821 mil por não respeitar consumidores
FAMILIA NA ESCOLA
Reino do Saber reuniu familias numa agradável confraternização em Fátima do Sul
UNIGRAN DOURADOS - JORNADA NUTRIÇÃO
Jornada na UNIGRAN aborda 'Nutrição prática e qualidade em alimentação' em Dourados