Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
segunda, 18 de fevereiro de 2019
SADER_FULL
Busca
CANTINA BAH
OPNIÃO!!!

Leia o artigo “As eleições para Diretor nas Escolas Estaduais de MS”, por Wagner Cordeiro Chagas

Professor em Fátima do Sul e tutor á distância da EaD-UFGD

5 Jun 2015 - 09h01

AS ELEIÇÕES PARA DIRETOR NAS ESCOLAS ESTADUAIS DE MS

Wagner Cordeiro Chagas

As eleições diretas para diretor nas escolas estaduais de Mato Grosso do Sul (onde pais, alunos, professores e servidores administrativos podem votar) só foram aprovadas no ano de 1991, durante o segundo governo Pedro Pedrossian (PTB/1991-1994), por meio da atuação da Secretaria de Educação, sob comando da professora Leocádia Aglaé Petry Leme. Apesar do projeto ter sido elaborado em forma de Decreto, conforme escreve a pesquisadora da UFMS, Maria Dilnéia Espíndola Fernandes, ou seja, o governo não o encaminhou para aprovação dos deputados estaduais, o mesmo garantiu o direito de participação da população sul-mato-grossense nos rumos da educação pública estadual.

De acordo com pesquisa da historiadora Marisa Bittar, intitulada A esquerda e as políticas educacionais de Mato Grosso do Sul (1983-2006), publicada no livro “Educação em Mato Grosso e Mato Grosso do Sul (1796-2006): história, historiografia, instituições escolares e fontes” (Ed. UFMS, 2009), organizado pela pesquisadora em Educação, Olga Maria dos Reis Ferro, a luta pela eleição direta para diretor vinha desde a instalação do estado, em 1979, e tinha como principais entidades defensoras a Federação dos Professores de Mato Grosso do Sul (FEPROSUL), atual FETEMS, e a União Campo-Grandense de Estudantes (UCE).

Porém, foi somente no primeiro governo Wilson Barbosa Martins (PMDB/1983-1986), através da Secretaria de Educação, sob responsabilidade de Leonardo Nunes da Cunha, que a proposta começou a ser debatida com maior frequência nos famosos congressos “Educação para a Democracia”. O governo chegou a implantar as eleições diretas por meio do decreto 3.004, de maio de 1985, mas, a lei não foi bem recebida pela FEPROSUL, que dizia não ter sido consultada para a formulação da mesma, além de não concordar com alguns de seus critérios. Com isso o governador Wilson revogou o decreto e não voltou a discuti-lo.

Na segunda gestão Marcelo Miranda Soares (PMDB/1987-1991), a questão não recebeu a devida atenção, e a mesma só foi implantada no governo que viria em seguida, o de Pedro Pedrossian. Com a volta de Wilson Martins ao governo, a partir de 1995, houve a aprovação de um item para quem quisesse concorrer ao cargo de diretor de escola: uma avaliação feita pelos candidatos.

O governo que o sucedeu, o de Zeca do PT (1999-2006), cancelou essa avaliação. Conforme informações colhidas do deputado e ex-secretário de Educação daquele governo, Pedro Kemp (PT), no lugar criou-se um curso de capacitação para os diretores eleitos. Com André Puccinelli (PMDB) no comando do estado, entre 2007 e 2014, a prova para seleção de diretor foi retomada.

Neste início de 2015, um projeto deixou tenso professores e funcionários administrativos de Mato Grosso do Sul. Pretendia-se alterar a forma de eleger diretores nas escolas estaduais indígenas, de tempo integral e de educação especial, além de querer impedir a participação dos administrativos nos pleitos para direção escolar. No entanto, a pressão dos profissionais da educação, por meio da FETEMS, e as negociações com o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) fizeram com que o governo voltasse atrás. Falta discutir melhor a questão das eleições em escolas indígenas e de educação especial. É preciso que se chegue a um consenso o mais rápido possível para que um direito tão importante, que representa a prática da democracia nas escolas de nosso estado, não seja revogado.

Mestre em História pela UFGD, professor em Fátima do Sul e tutor á distância da EaD-UFGD. E-mail: wc-chagas@hotmail.com

Deixe seu Comentário

Leia Também

MUITA CHUVA DO MS
Tempestade alaga ruas e morador é visto atravessando cidade em caiaque em cidade do MS
LUTO ENTRE OS FAMOSOS
Irmão de Zezé di Camargo, Luciano Camargo lamenta morte de seu 'filho'
ALERTA DA DEFESA CIVIL VIA SMS
Saiba como cadastrar e receber SMS de alertas da Defesa Civil sobre temporais em MS
NA BANCADA FEDERAL
Rose Modesto é eleita vice-líder da bancada tucana na Câmara dos Deputados
EM CIDADE DO MS
Corpo de mulher assassinada é furtado menos de 24h após o enterro em cidade do MS
AÇÕES DO GOVERNO DO MS
Investimentos do Estado dobram trechos de rodovias pavimentadas em MS
MARACAJU - ASSASSINATO DE PM
Horas após crime, suspeito de matar PM é preso e um morre em confronto em Maracaju
ACIDENTE FATAL NAS ESTRADAS
Homem morre em colisão frontal na BR-267 em Bataguassu
A CASA CAIU
Suspeitos de tráfico são presos dentro de caixa d'água
ROSE MODESTO - TRABALHO FEDERAL
Rose Modesto destaca semana corrida e produtiva 'é apenas o começo', veja como foi a semana