Menu
SADER_FULL
segunda, 17 de dezembro de 2018
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
CANTINA BAH
Brasil

Vírus Bagle volta a atacar com a variante AH

22 Jul 2004 - 15h42
Nas máquinas de suas vítimas, o vírus Bagle.AH faz um cópia de si mesmo, adotando nomes com referências pornográficas como Porno pics arhive, xxx.exe, Porno Screensaver.scr e Porno sex.


São Paulo - Classificado como de médio risco pela Trend Micro, a variante AH do vírus Bagle foi detectada primeiramente nos Estados Unidos e ainda não causou grandes estragos no Brasil.

A nova versão se propaga por redes de trocas de arquivos e por e-mail. Neste último caso, serve-se de seu próprio Protocolo de Transferência de E-mails (SMTP) para enviar mensagens contendo seu código malicioso.

Nas máquinas de suas vítimas, o Bagle.AH faz um cópia de si mesmo, adotando nomes com referências pornográficas como Porno pics arhive, xxx.exe , Porno Screensaver.scr e Porno, sex, oral, anal cool, awesome!!.exe. A técnica é utilizada em redes peer-to-peer como a do Kazaa.

Da mesma forma que suas outras variantes, o Bagle.AH evita a ação de seu concorrente, o Netsky, e impede a execução de programas antivírus e firewalls. A praga afeta principamente a família Windows: 95, 98, ME, NT, 2000 e XP.
 
 
Agora MS

Deixe seu Comentário

Leia Também

NOVELA GLOBAL
'O sétimo guardião': Sóstenes cometeu crime por amor a Luz
ABUSO SEXUAL
João de Deus se entrega para a polícia
ACIDENTE
Criança de dois anos se enforca com a alça da bolsa enquanto brincava em escola
CASO JOÃO DE DEUS
Marina Ruy Barbosa intervém no caso João de Deus e impede uma grande tragédia
PRISÃO DECRETADA
Justiça de Goiás decreta prisão de João de Deus
STARTUPS NO BRASIL JÁ É SUCESSO
O sucesso das startups no Brasil e algumas novas apostas no mercado
REVOLTANTE
Filha de João de Deus diz que foi abusada dos 10 aos 14 anos: 'Meu pai é um monstro'
NOVELA GLOBAL
'O sétimo guardião': Robério beija Marcos Paulo e a agride ao descobrir que ela é trans
DESTAQUE MUNDIAL
Dois brasileiros estão no Top 50: melhores professores do mundo
JUSTIÇA - WHATSAPP
Administradora de grupo no WhatsApp, foi “condenada” á pagar 3 mil por discussão de membros