Menu
LIMIT ACADEMIA
quarta, 16 de janeiro de 2019
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
CANTINA BAH
Brasil

PFL abrirá processo de expulsão de ACM

14 Set 2004 - 13h06
O PFL abrirá um processo de expulsão do senador Antônio Carlos Magalhães (BA) do partido nos próximos dias. O motivo seria o fato de o senador ter articulado o jantar realizado na noite de ontem entre seis senadores pefelistas (ele mesmo estava entre os presentes) e o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O processo não inclui os outros cinco senadores que participaram do jantar.

A proposta é do deputado federal Onyx Lorenzoni (PFL-RS), candidato a prefeito de Porto Alegre. O pedido já foi aceito pela presidência do PFL e foi feito com base na resolução do partido editada pela Executiva Nacional em outubro de 2002, situando o PFL na oposição ao governo Lula.

O jantar patrocinado pelo presidente Lula ontem teve a intenção de levar parte dos tucanos a apoiar os projetos do governo federal no Senado, onde a base aliada não é maioria. "Ele coordenou o processo político da reunião de ontem. O encontro só ocorreu porque houve a articulação do senador ACM", justificou Lorenzoni.

O presidente do partido, senador Jorge Bornhausen (SC), informou que vai indicar um relator para que ACM seja intimado a se defender no processo. Bornhausen acusa ACM de oferecer apoio ao governo e aceitar uma aproximação com Lula. O senador acredita que ACM está descumprindo resolução da executiva. Bornhausen vai presidir o processo de expulsão de ACM. Após instaurado o processo, ACM tem até oito dias para apresentar defesa.

Bornhausen salientou que tanto ACM quanto os demais que estiveram no jantar feriram o estatuto do partido. "O jantar de ontem retrata a lastimável realidade da política brasileira. De um lado o comandante José Dirceu e seus comandados, o presidente Lula e o ministro Aldo Rebelo, praticando o ato explícito de cooptação partidária. E de outro, o senador ACM oferecendo adesão", ponderou. "Do ponto de vista do PFL, nós temos que cumprir com a resolução unânime da executiva do partido, no sentido de fazer oposição", complementou.

Além de ACM, participaram do jantar os senadores do PFL Cesar Borges e Mário Tourinho (Bahia), Edson Lobão e Roseana Sarney (Maranhão), João Ribeiro (Tocantins) e do PSDB, Eduardo Siqueira Campos (Tocantins). O senadores do PFL Paulo Otávio(DF) e Romeu Tuma (SP), que constavam da lista de convidados, não compareceram ao jantar.

Ao final do jantar, ACM declarou que "essas conversas são muito boas e servem para aproximar os senadores e o governo. Vejo esse tipo de diálogo como uma coisa indispensável para o País, porque você não pode resolver problemas com facções." No entanto, para ACM, a presença dos senadores oposicionistas no jantar não significa apoio certo ao governo.

 

Terra Redação

Deixe seu Comentário

Leia Também

TRAGÉDIA
“Tentei socorrer ele, mas não deu certo”: conta filho de motociclista levado por enxurrada
FURIA DA NATUREZA
Enxurrada derruba casa e provoca pânico e destruição
NOVELA GLOBAL
Gabriel e Valentina viram inimigos mortais em 'O sétimo guardião'
REALITY SHOW
BBB 19 começa hoje. Na Rocinha Casa de Darnrley vira "QG" de Torcida
POSSE DE ARMAS
Bolsonaro assina nesta terça-feira decreto que facilita posse de armas
HEROINA
Professora Helley, que salvou crianças de incêndio em Janaúba, é homenageada e dá nome a rodovia
FAMOSIDADES
Doente, José Mayer foi esquecido pela Globo e abandonado por ‘Amigos’
NOVA LEI
Motoristas condenados por contrabando vão perder a CNH por cinco anos
SUCATA
Jovem transforma pneus velhos em lindas caminhas para pets.
ENTRETENIMENTO
Com direito a uniforme e crachá, “cão frentista” viraliza e ganha milhares de fãs