Menu
SADER_FULL
quinta, 21 de fevereiro de 2019
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
CANTINA BAH
Brasil

Nunca houve virada num 2º turno presidencial

8 Out 2010 - 05h49

São minoritários os casos em que um candidato vai para o segundo turno com minoria de votos e acaba ganhando a disputa. Até hoje, esse fato nunca foi registrado em eleições presidenciais.

Nas 70 eleições de governadores nas quais houve segundo turno até hoje (o sistema começou a ser usado em 1990), apenas em 20 (28,6%) ocorreram viradas. Ou seja, só em 3 de cada 10 segundos turnos o candidato que terminou em inferioridade de votos o primeiro turno acabou depois passando a liderar e venceu o pleito.

Neste ano haverá dez segundos turnos: para presidente (será a quarta vez na história), em oito Estados e no Distrito Federal.

No caso da disputa pelo Planalto, Dilma Rousseff (PT) terminou o primeiro turno com 46,9%. José Serra (PSDB) teve 32,6%. A diferença entre ambos foi de 14,3 pontos percentuais.

Em eleições presidenciais, já houve um caso em que a diferença foi menor do que a atual entre os dois concorrentes no segundo turno: em 2006, Luiz Inácio Lula da Silva (PT) ficou somente 7 pontos percentuais à frente de Geraldo Alckmin (PSDB). Mesmo assim, o petista acabou vencendo.

Analisados os cenários nos Estados, é possível encontrar só um caso de virada no qual a diferença entre os dois concorrentes era maior do que os 14,3 pontos que separam Dilma e Serra.

Esse cenário inusitado teve como palco a disputa pelo governo de Minas Gerais, em 1994. Naquela eleição, Hélio Costa (PMDB) terminou o primeiro turno com 48,3% dos votos. O outro candidato era Eduardo Azeredo (PSDB), com meros 27,2%. Quando os votos foram contados no segundo turno, o peemedebista obteve 41,3% contra 58,6% do tucano.

CURVA

Mas essa virada foi um ponto fora da curva nas histórias de segundos turnos. Em 16 dos 20 casos em que o azarão disparou no final, a diferença entre os dois candidatos no primeiro turno era inferior a 10 pontos percentuais. E em 9 dessas 16 viradas, a distância era abaixo de 5 pontos percentuais.

Em resumo, a inversão de posição entre candidatos existe na história dos segundos turnos. Mas é sempre um acontecimento fora do padrão e mais fácil de acontecer quando os concorrentes terminam bem mais próximos no primeiro turno.

Deixe seu Comentário

Leia Também

VIOLENCIA DOMESTICA
Reconstrução de rosto de mulher espancada na Barra vai durar seis meses, diz médico
REFORMA DA PREVIDÊNCIA
Aposentadoria é para viver, não para receber só à beira da morte
CHANTAGEM
Ladrões invadem estabelecimentos, obrigam funcionárias a tirarem a roupa, filmam e extorquem vítimas
FORAGIDO
Atirador invade escritório de advocacia e mata duas pessoas
BBB 19
Rízia chora por estar acorrentada: 'Vontade de desistir'
LARANJADA
Deputados do PSOL distribuem laranjas na chegada de Bolsonaro à Câmara
AMOR A PROFISSÃO
Pedreira caprichosa viraliza com trabalho detalhista e ganha novos clientes
FÁTIMA DO SUL - O BOTICÁRIO
O Boticário apresenta Quasar Brave, venha conferir no O Boticário em Fátima do Sul
SUPERAÇÃO
Jovem que morou 5 anos nas ruas se forma em Direito
FENÔMENO
Maior superlua de 2019 iluminará o céu nesta terça, 19