Menu
LIMIT ACADEMIA
quinta, 24 de janeiro de 2019
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
CANTINA BAH
Brasil

Naviraí luta para estar no traçado da Ferroeste

10 Jun 2010 - 14h59Por Dourados News

Um grupo empresários, sindicalistas, industriais, diretores de escolas, líderes comunitários e profissionais liberais de Naviraí estão sendo reunidos com o apoio dos membros da Loja Maçônica Ordem, Trabalho e Progresso para lutar pela inclusão da inclusão da cidade no trajeto da Ferroeste.

Uma comissão foi indicada, com a presidência do industrial Vinicius Andrade (Erva Mate Campanário), que deve agendar uma reunião para lançar oficialmente a mobilização, com uma palestra sobre os pontos a ser argumentados, do ponto de vista econômico e social, para defender a idéia e demonstrar a importância e a viabilidade do projeto de inclusão da cidade pólo-regional.
Vinicius disse que a ferrovia é necessária para permitir a continuidade do progresso do município de Naviraí, mas que precisa da ferrovia margeando o perímetro urbano.

O traçado projetado passa há cerca de 30 quilômetros a oeste da cidade. O movimento já está sendo iniciado com a adesivagem dos carros e a comissão foi em direção ao governador André Puccinelli , na visita à Eldorado, para marcar uma audiência, pois o governo estadual está sendo parceiro do projeto originariamente lançado pelo Paraná.

Agora o objetivo é expor a ideia através dos meios de comunicação e conseguir o apoio e a união da sociedade naviraiense em torno do projeto de inclusão, para em seguida haver a demonstração de que Naviraí quer e é importante para Naviraí ter um ramal ferroviário.

A preocupação naviraiense é com a manutenção do crescimento do parque industrial e despertar o interesse de novos investidores, pois a ferrovia é um modal de transporte que permite o barateamento de 20 a 30% sobre os custos de produção. "As grandes empresas e exportadoras gostam de investir em municípios que tenham ferrovias e uma cidade pólo como Naviraí e da importância econômica que Naviraí tem, não pode ficar a margem deste processo de modernização", argumenta Vinícius.

O Plano de Aceleração do Crescimento (PAC 2) prevê seis mega projetos para Mato Grosso do Sul, entre eles, a implantação da ferrovia que vai ligar Dourados e Maracaju ao porto de Paranaguá. Conforme a Casa Civil da Presidência da República, a primeira edição do PAC prevê investimento de R$ 12,9 bilhões no Estado, sendo R$ 8,2 bilhões até 2010 e R$ 4,7 bilhões após este período.

Na nova fase, o Governo federal incluiu os dois principais projetos ferroviários defendidos pelo governador André Puccinelli (PMDB). A previsão de investimento é de cerca de R$ 4 bilhões, nesse projeto. A primeira é a Ferrovia da Integração Oeste, que interligará os municípios de Dourados (MS) a Panorama (SP). A outra é o Corredor Ferroviário, entre Dourados e Cascavel (PR). A Ferroeste terá 625 quilômetros, interligando os dois maiores municípios produtores de soja do Estado, Dourados e Maracaju, ao porto de Paranaguá. A obra deverá ser executada sob supervisão do Exército.

Com a ligação via Cascavel Paranaguá, será possível viabilizar o escoamento de grãos, minérios e qualquer tipo de produção industrial, via navios, através do oceano Atlântico. Com a Ferroeste também pode ser viabilizado o corredor de exportação através de ferrovias e rodovias que levam até os portos chilenos de Iquique e Antofagasta, onde pode haver o embarque para países asiáticos, com a utilização do oceano Pacífico.

Este traçado reduz a atual distância entre Cascavel e Paranaguá dos atuais 738 km para 613 km. São 125 quilômetros a menos. Isto representa uma redução importantíssima no transporte das cargas que vem da Região Centro-Oeste em direção ao porto.

O acordo com o presidente da Fiems, Sérgio Longen, em plena safra de grãos, o sistema de transporte, tanto no Estado quanto no resto do país, dá mostras de estar estrangulado. “A BR-101 que leva a produção do Mato Grosso do Sul ao Porto de Paranaguá é um comboio só de carretas e caminhões”, afirma.

O objetivo de Longen é mostrar aos técnicos do Ministério as dificuldades logísticas que o Estado encontra para escoar sua produção, por rodovia, até o Porto de Paranaguá.
Na tentativa de ganhar maior apoio do governo federal ao projeto de expansão da Ferroeste até Maracaju, os governadores do Codesul (Conselho de Desenvolvimento e Integração Sul) criaram a Ferrosul, uma operadora pública de propriedade dos quatro estados, para atuar a partir da plataforma da Ferroeste.

Deixe seu Comentário

Leia Também

BBB 19
Vanderson é eliminado e vai prestar depoimentos sobre casos de agressão
INVESTIGAÇÃO
Mourão volta a dizer que é preciso investigar Flávio Bolsonaro e punir se for o caso
HEROI
Porteiro ganha homenagem: salvou criança de 3 anos que caiu na piscina (VIDEO)
FAMOSIDADES
Aos 67 anos, Amado Batista assume namoro com jovem de 19 anos de idade
LUTO - TV
Ator Caio Junqueira morre no Rio uma semana após acidente
ANJO DA GUARDA
Amigo dá lar a mulher que viveu 40 anos internada no HC
MAMATA
General corta contratinho de R$ 30 milhões para manter jornalistas no exterior
PERSISTÊNCIA
Filho de faxineira e porteiro passa em medicina no Paraná
RENOVAÇÃO LICENÇA
Extinção de mais 130 rádios comunitárias no Brasil deve alcançar emissora de Ponta Porã
CENAS FORTES
Vídeo flagra mulher sendo agredida por ex-marido com socos e chutes