MEGA_OKA_CARROS_
FatimaNews - Notícias de Fátima do Sul e região
Fátima do Sul, 17 de Dezembro de 2017
SADER_FULL
31 de Julho de 2004 10h45

Clube dos 13 mantém nomes de auditores preferidos da CBF

A briga entre Luiz Zveiter e Nelson Thomaz Braga pela presidência do STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) teve mais um capítulo nesta sexta-feira. Ambos se proclamam detentores do cargo, mas o primeiro é quem deve permanecer com a vaga caso não ocorra nenhuma reviravolta judicial. Nelson Thomaz Braga é o preferido da CBF.

Nesta sexta-feira, no entanto, foi realizada uma assembléia do Clube dos 13 por exigência da Justiça para que fossem indicados novamente os nomes dos dois auditores dos clubes no STJD. A reunião foi convocada judicialmente graças a uma ação do Vasco, que está rompido com a CBF e alegava não ter sido consultado pela entidade.

Apesar de toda a movimentação dos dirigentes dos clubes, Nelson Thomaz Braga e Francisco Mussnich foram mais uma vez os escolhidos praticamente por unanimidade para representar as equipes no STJD.

O Vasco, que apóia Zveiter, surpreendeu ao votar também em Nelson Thomaz Braga, amigo de longa data do presidente Eurico Miranda, como um dos auditores dos clubes. O segundo voto do time cruzmaltino, no entanto, foi o único que destoou dos demais. O escolhido foi Celso Rodrigues, diretor jurídico do Clube dos 13.

“Eu nunca fui contra os nomes indicados pelos clubes. Meu problema era em relação aos mecanismos de pressão utilizados pela CBF para que esses nomes fossem os indicados”, afirmou Eurico Miranda.

O presidente do Vasco ainda disse que alguns dirigentes de clubes receberam telefonemas de Ricardo Teixeira, que usaria as arbitragens e até mesmo adiantamentos financeiros para influenciar nas decisões dos dirigentes. A CBF nega esta versão.

Marcelo Portugal Gouvêa, presidente do São Paulo, foi o primeiro a sair da reunião e lamentou por ter sido necessária toda esta movimentação para que fossem ratificados os nomes previamente indicados pelos clubes. “O que estamos vendo é uma briga de poder e é lamentável que tenhamos de conviver com esta confusão”, afirmou o dirigente.

Fábio Koff, presidente do Clube dos 13, achou equivocada a forma com que haviam sido indicados os nomes dos auditores dos clubes à CBF. O próprio STJD deveria ter comandado este procedimento. “A CBF tratou o tribunal como um departamento dela. Pela lei, ele é um órgão independente”, lembrou o dirigente, que não vê muitas possibilidades de Luiz Zveiter perder o cargo de presidente do STJD.

O vice de futebol do Corinthians, Antônio Roque Citadini, disse não fazer idéia de quem presidirá o STJD nos próximos anos. Fábio Koff também ficou na dúvida. “Mudam os auditores dos clubes no tribunal. Se haverá outra eleição para a presidência, ninguém sabe.”

Já Eurico Miranda, que apóia Zveiter, garante não ver qualquer possibilidade de mudança. “A eleição do Zveiter foi legítima e não há reparo. Só mudam os auditores dos clubes”, garantiu o vascaíno.

Dos 17 clubes da primeira divisão pertencentes ao Clube dos 13, apenas três (Cruzeiro, Santos e Vitória) não votaram na assembléia por terem enviado representantes sem este direito. Os outros times que disputam a Série A, que não fazem parte do Clube dos 13, não participaram da reunião e, portanto, também não votaram.

 

Gazeta Esportiva

Comentários
Veja Também
ÓTICA_DOURADOS
Nossa_Lojas
MBO_SEGURANÇA_300
Últimas Notícias
  
FÁBRICA_CALÇADOS
Eventos
dothCom © Copyright FatimaNews - Todos os Direitos Reservados.