Menu
SADER_FULL
sábado, 23 de junho de 2018
PASSARELA
Busca
ITALÍNEA
Brasil

Caixa começa a pagar mais uma parcela da correção do FGTS

16 Jul 2004 - 08h51
Começou esta semana o pagamento de mais uma parcela da correção do FGTS aos trabalhadores que tiveram perda com os planos Collor e Verão. Mais de R$ 1,3 milhão, segundo as informações da Caixa Econômica Federal. Pelo menos 1,2 mil trabalhadores receberam a correção no valor do FGTS.

Essa é a quarta parcela para o repasse das diferenças, iniciado em dois mil e dois, para quem aceitou abrir mão de processo na justiça.
Está sendo paga a quarta parcela para quem tem de R$ 2 mil a R$ 5 mil a receber, a terceira parcela de quem tem crédito entre R$ 5 mil e R$ 8 mil e a quarta para aqueles que devem receber mais que esse montante. A conclusão será só em 2007 e a próxima parcela a ser paga é daqui um ano.

Em Mato Grosso do sul, mais de 500 mil pessoas assinaram os acordos com o governo federal.

Só recebe quem fez o acordo com o governo federal. A pessoa precisa procurar uma agência da Caixa Econômica Federal, levando carteira de identidade, de trabalho e o número do PIS, que é essencial. A Caixa tem um telefone para informações: é o 0800-5740101.
 
Bom Dia MS

Deixe seu Comentário

Leia Também

HAJA CORAÇÃO
Neymar é o autor do gol mais tardio, em tempo normal, de uma Copa na história
COPA DO MUNDO
No sufoco, Brasil supera a Costa Rica e consegue primeira vitória na Copa do Mundo
NOVELA GLOBAL
Segundo Sol: Rosa coloca fim em relação com Ícaro e ele toma atitude
SAUDE
Mulher dá a luz em calçada no Cajuru
FAMOSIDADES
Ex-apresentadora do ‘Vídeo show’, Alinne Prado sofre assalto a mão armada dentro de casa
RELIGIÃO
Padre é flagrado dando tapa em criança durante batismo
APOCALIPSE
André (Sidney Sampaio) é assassinado por Ricardo (Sérgio Marone)
DEMORA
Diesel cai R$ 0,62 em distribuidoras e apenas R$ 0,32 nos postos de MS
Brasil
Terceiro homem que assediou russa na Copa diz que “estão transformando um copo d’água em uma tempestade”
‘Alta Pressão’
Exército deflagra Operação para fiscalizar armamento e reduzir desvios para o comércio ilegal