Menu
LIMIT ACADEMIA
segunda, 18 de março de 2019
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ITALÍNEA
Brasil

Brasil quer ampliar acesso à moradia e saneamento

13 Set 2004 - 13h16
O ministro das Cidades, Olívio Dutra, apresentou hoje, durante a abertura do II Fórum Urbano Internacional, que será realizado até a próxima sexta-feira (17) em Barcelona (Espanha), proposta de um pacto internacional que exclua os investimentos em habitação e em saneamento do conceito de dívida para efeito dos cálculos do superávit primário dos países devedores pobres e em desenvolvimento. Co-presidente do evento, Olívio Dutra alertou que, sem essa mudança, torna-se mais distante a tarefa de universalizar o acesso à moradia e a serviços básicos de saneamento.

“Esse novo paradigma, da cidade includente e democrática, requer a revisão das políticas e estratégias adotadas nos anos 90”, defendeu Dutra, diante de um público formado por representantes do governo e da sociedade civil de mais de 150 países. Também participaram da solenidade, realizada no Centro de Convenções de Barcelona, a diretora-executiva do Programa de Assentamentos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU-Habitat), Anna Tibajuka; a ministra da Habitação da Espanha, Mara Antonia Trujillo, presidente do fórum; o prefeito de Barcelona, Joan Clos; o ex-presidente da União Soviética Mikhail Gorbatchev e o presidente da organização-não governamental Cidades e Governos Locais Unidos, Jeffrey Sachs, que é assessor especial do secretário-geral das ONU, Kofi Annan, no que se refere às Metas do Milênio.

Segundo Olívio Dutra, nos países não-desenvolvidos, 80% do total de habitantes vivem em cidades. Um terço de toda a população urbana mundial vive em assentamentos precários, o que é uma “demonstração evidente de que o processo de urbanização da pobreza está em pleno vigor”.

Entre os temas centrais do fórum estão os desafios e compromissos internacionais para o cumprimento das Metas do Milênio, definidas pelas Nações Unidas. O Brasil integra o conjunto de países que se comprometeram a trabalhar pela melhoria de vida nas cidades de todo o mundo. Uma das diretrizes definidas pela ONU é a redução, pela metade, até 2015, do número de pessoas sem acesso à água potável e aos serviços básicos de saneamento, e, até 2020, a melhoria significativa da situação de pelo menos 100 milhões de pessoas que não têm acesso à moradia digna.
 
Agência Brasil

Deixe seu Comentário

Leia Também

RESGATADO
Cão abandonado em ilha estava sendo comido vivo por urubus
SEXTUPLOS
Americana dá à luz seis bebês em nove minutos
TRAGÉDIA EVITADA
Garoto de 11 anos leva faca na mochila para matar colega no ônibus escolar
ALERTA AOS PAIS
Menino de quatro anos corta os pulsos em Goioerê e pode ser influência da Momo
FAKE NEWS
Padre Fábio de Melo desmente texto atribuído a ele sobre o ataque em Suzano
ATROPELAMENTO
Idoso é derrubado de bicicleta e atropelado por veículo – Imagens Fortes
PENA MÁXIMA
Pai, madrasta e outros dois réus são condenados pela morte do menino Bernardo
DOCUMENTO UNICO
CPF substitui a partir de hoje diversos documentos
SEM FILA E SEM ESTRESSE
#SemEstresse: sofre com o mal de ficar horas nas filas lotéricas? Veja como se livrar delas
TRAGÉDIA NA FAMILIA
Morre Avós e menino de quatro anos feridos em acidente