Menu
LIMIT ACADEMIA
sábado, 23 de fevereiro de 2019
SADER_FULL
Busca
CONTAINER
Brasil

Atleta paraolímpico brasileiro morre após acidente de ônibus

19 Out 2010 - 07h52Por Redação Terra

Medalha de bronze no Mundial Paraolímpico de Atletismo de 1998, Sandro Alex Cruz Santos, 33 anos, morreu no último sábado. O atleta foi vítima de um acidente de ônibus em Minas Gerais.

Natural de Duque de Caxias, no Rio de Janeiro, Sandro havia acabado de competir com a equipe de Ipatinga nos Jogos do Interior de Minas Gerais (Jimi), que foram realizados em Montes Claros. No retorno, o ônibus em que viaja a delegação bateu na proteção de uma ponte e caiu no Rio Araçuaí, próximo ao município de Carbonita, no Vale do Jequitinhonha. No acidente, 11 pessoas morreram e 23 ficaram feridas.

"Este é um dia muito triste para o Esporte Paraolímpico Brasileiro. Eu conheci o Sandro em 1998, quando fomos juntos ao Campeonato Mundial de Atletismo, na Inglaterra, no qual ele conquistou a medalha de bronze. Era uma ótima pessoa e um grande atleta. Desejamos aos seus familiares a força para seguir em frente neste momento tão difícil", disse o presidente do CPB, Andrew Parsons.

Sandro, que ficou conhecido na delegação brasileira como Forrest Gump, pela sua performance nos 400m, foi um dos 65 atletas que defenderam o Brasil nas Paraolimpíadas de Sydney, em 2000, em que conquistou o oitavo lugar nos 400m T20.

Deixe seu Comentário

Leia Também

PEDOFILIA
Babá de 15 anos recebia dinheiro para ter relações com patrão
PREOCUPANTE
Mineradora declara situação de emergência em barragem de Araxá
INTOLERANCIA RELIGIOSA
Delegado solicita ida à casa do 'BBB 19' para interrogar Paula, investigada por intolerância
RESUMO DAS NOVELAS
Mercedes convoca Murilo para uma conversa
CORTE CEGO
Megaoperação da PM em 18 bairros tem três mortos e cinco feridos
PERSISTÊNCIA
Ex-faxineiro se forma em Jornalismo e já está empregado
O QUE IMPORTA PARA VOCÊ?
Equipe médica leva paciente de UTI à formatura do filho
INDIGNAÇÃO
Pedreiro desafia Rodrigo Maia: 'Trabalhe 30 dias numa obra, que trabalho até os 80'
AMOR INCONDICIONAL
Cadela espera toda noite pela chegada de Boechat, diz mulher do jornalista
VIOLENCIA DOMESTICA
Reconstrução de rosto de mulher espancada na Barra vai durar seis meses, diz médico