Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
segunda, 30 de novembro de 2020
SADER_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
caiu na net

Google deve pagar R$ 50 mil a mulher que teve vídeo íntimo divulgado na internet

28 Nov 2013 - 09h59Por STJ

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu que o Google terá que pagar R$ 50 mil de indenização a uma mulher que teve um vídeo mostrando cenas íntimas divulgado na internet. A decisão, divulgada nesta quarta-feira, afirma que a empresa não pode ser responsabilizada pela circulação do vídeo, mas que a empresa se comprometeu a remover os links que levavam ao material e descumpriu o acordo.

A mulher foi demitida da emissora de televisão em que trabalhava após o vídeo ser detectado em seu correio eletrônico corporativo. As imagens haviam sido gravadas no interior da empresa. Posteriormente, o vídeo foi publicado na rede social Orkut e podia ser facilmente localizado no serviço de busca também mantido pela Google.

A autora buscava fazer com que qualquer menção a seu nome, isoladamente ou associado à empresa de onde foi demitida, fosse emovida dos serviços da Google. Pedia também que fossem fornecidos os dados de todos os responsáveis pela publicação de mensagens ofensivas a ela.

Em audiência de conciliação, segundo o STJ, o Google se comprometeu a excluir dos resultados de buscas os sites com expressões referentes à autora da ação, mas o acerto foi descumprido. Em nova audiência, o Google foi obrigado a excluir as páginas que a autora considerasse ofensivas, mas outra vez não cumpriu a decisão.

Na época, a sentença reconheceu a impossibilidade de remover as páginas que continham o vídeo, e converteu a obrigação do Google em pagar um indenização de R$ 50 mil em perdas e danos. Tanto o Tribunal de Justiça de São Paulo quanto o STJ mantiveram a decisão.

A ministra Nancy Andrighi ponderou na decisão que o Google e outros provedores de pesquisa não podem ser obrigados a eliminar de seus sistemas os resultados derivados de busca. "As vítimas muitas vezes relevam a conduta do autor direto do dano e se voltam exclusivamente contra o provedor, não propriamente por imputar-lhe a culpa pelo ocorrido, mas por mera conveniência, diante da facilidade de localizar a empresa e da certeza de indenização", avaliou

Porém, a juíza reprovou o comportamento do Google de por duas vezes assumir judicialmente o compromisso de retirar o conteúdo do ar e não tê-lo cumprido, alegando impossibilidade técnica.

Para a ministra, a obrigação assumida pela empresa é realmente impossível, mas do ponto de vista jurídico e não técnico. "O comportamento da Google, além de ter causado sentimento de frustração – criando para a autora a expectativa de estar resolvendo ao menos em parte o seu drama –, interferiu diretamente no trâmite da ação, gerando discussão incidental acerca do efetivo cumprimento dos acordos, que atrasou o processo em quase dois anos", concluiu a relatora.

O Google afirmou apenas que não comenta casos específicos e que irá recorrer da decisão.

Deixe seu Comentário

Leia Também

PREVISÃO DE CHUVA
Meteorologia prevê semana com mudanças no tempo com muita chuva em Fátima do Sul
OPORTUNIDADES
De Xiaomi a Ipad: Sefaz realiza leilão de mercadorias apreendidas em MS
RECOMPENSA DO FACEBOOK
Adolescente de BH que ganhou prêmio de R$ 130 mil após ajudar a corrigir falha no Instagran
Feira das Profissões 2020 acontecerá em um ambiente totalmente virtual DOURADOS - UNIGRAN
Feira das Profissões 2020 inicia na próxima segunda-feira com novidades
ALERTA DE TEMPESTADE
Com bairros ainda sem energia, Fátima do Sul tem alerta de tempestade quinta feira, 29
Energisa aumentou número de equipes para dar conta da demanda Foto: Divulgação 100 ENERGIA
Nove bairros de Dourados ainda apresentam problemas com falta de energia
TEMPESTADE
Chuva e ventos de 46km/h derrubam árvores e levam sujeira às ruas de Dourados
MUITA CHUVA
Chuva chega em Fátima do Sul com muita ventania
TEMPO
Semana inicia com previsão de 64 mm de chuva para Fátima do Sul
DOURADOS - UNIGRAN
UNIGRAN realiza Feira das Profissões 2020 em um ambiente totalmente on-line