Menu
SADER_FULL
sexta, 23 de abril de 2021
Busca
DIAS TERRÍVEIS

'Vamos viver dias terríveis': MS chega a média de 850 casos por dia e internações aumentam

Secretário diz que já faltam leitos de UTI em hospitais de Campo Grande e Dourados

26 Fev 2021 - 13h19Por Midiamax

A situação da pandemia de coronavírus tem preocupado as autoridades de saúde em Mato Grosso do Sul. Os números voltaram a crescer e MS chegou a uma média móvel de 850 casos por dia, a maior das últimas semanas. Além disso, as internações aumentaram e já faltam leitos de  (Unidade de Terapia Intensiva) no Estado, principalmente em Campo Grande e 

O secretário da SES (Secretaria de Estado de Saúde) Geraldo Resende se mostrou bastante preocupado com o cenário da pandemia durante a live nesta sexta-feira (26). “Vamos viver dias terríveis a partir desta semana”, disse Resende logo no início da transmissão. 

A preocupação se deve ao aumento da média móvel de casos novos, ao número de internações e de mortes em Mato Grosso do Sul. “A partir da semana passada, houve um acréscimo significativo na média móvel de casos. Estivemos por vários dias abaixo de 700 casos. Agora, a nossa média móvel já ultrapassa 850 casos por dia”, lamentou o secretário. 

Resende ainda citou o aumento de internações em MS. Há duas semanas, havia 474 pessoas internadas no Estado. Nesta sexta-feira (26), o número de internações chegou a 594. O secretário disse que não há leitos de  na cidade de  e que já faltam leitos em hospitais da Capital.

“Não temos como ampliar leitos de  em Naviraí, montados e bancados pelo Governo do Estado, não temos como ampliar em Ponta Porã. Nós também não temos como ampliar leitos de  no Hospital Regional, nos falta o essencial: recursos humanos. Nós não temos médicos, não temos enfermeiros, não temos profissionais para fazer o manuseio correto desses pacientes”. 

O número de óbitos também aumentou. Na semana anterior, a 7ª semana epidemiológica, MS teve 83 óbitos por . A 8ª semana, que só encerra no sábado (27), já ultrapassou em número de óbitos: foram 95 mortes registradas entre domingo (21) e esta sexta (26). “Nestes últimos dias, o número de óbitos nos assombra”, disse o secretário, ao lembrar que foram mais de 20 óbitos registrados nos últimos boletins. 

O secretário de Saúde de MS chegou a dizer que o cenário visto em Manaus e que chegou a atenção do país inteiro, onde não havia mais onde internar pacientes, pode acontecer em Mato Grosso do Sul caso a população continue a desrespeitar as orientações.

Internados em Campo Grande

Na live da SES desta sexta-feira (26), Geraldo Resende também comentou sobre os pacientes internados em Campo Grande. Ele citou que o Hospital Regional atingiu o limite de sua capacidade e que serve como ‘desaguadouro’ para os casos da Capital. 

Nesta semana, a  (Câmara de Dirigentes Lojistas) divulgou nota, citando que pacientes do interior sobrecarregam a saúde pública da Capital. Porém, Geraldo Resende disse que trata-se de uma falácia. O secretário estadual de saúde ressalta que cerca de 90% dos casos no HRMS são de moradores da própria Capital. “É uma mentira deslavada de alguns dirigentes, que têm interesses mercantis”.

Deixe seu Comentário

Leia Também

TRABALHO NA PANDEMIA
Ricardo Barros, líder do governo Bolsonaro, diz que 'só o professor não quer trabalhar na pandemia'
111841398 061018258 MS - 5.374 MORTES
Covid-19 impõe luto e tristeza a mais 39 famílias em MS
AJUDA DO GPS
Após ficar 30h desaparecida, médica é encontrada em ribanceira com ajuda de GPS de celular
BRASIL - 381.687 MORTES
Brasil passa de 380 mil mortes por Covid; mais de 3 mil delas foram registradas nas últimas 24 horas
images MS - 5.335 MORTES
Neste feriado, 53 pessoas morreram em decorrência da Covid-19 em Mato Grosso do Sul
LUTO NA EDUCAÇÃO
Após perder 03 professoras para o coronavírus, Escola decreta luto em MS
VENCERAM A COVID-19
Edival(Vidraçaria) e esposa Maria vencem a covid-19 e agradecem Hospital da SIAS de Fátima do Sul
VACINA RUSSA
Governador diz que consórcio vai adquirir 28 milhões da vacina Sputnik V
LUTO NA SAÚDE
Dias após perder os pais, médica de 36 anos morre de Covid-19
POLÍCIA MILITAR DE LUTO
PM DE LUTO: "Sorriso fácil e alto astral": a marca deixada pelo subtenente Lobo