Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
sexta, 23 de outubro de 2020
SADER_FULL
Busca
ZANZI
RASTREAR

SES cria sistema de rastreamento e monitoramento de casos confirmados de Covid-19

Pessoas suspeitas, confirmadas e aquelas que tiveram contatos serão monitoradas no Estado

23 Set 2020 - 08h32Por Portal do MS

Realizar o monitoramento diário de pacientes de coronavírus e de seus contatos, a fim de quebrar a cadeia do vírus e diminuir a taxa de contágio no Estado, este é o objetivo do Rastrear, iniciativa do Governo do Estado, por intermédio da Secretaria de Estado de Saúde (SES), que começa no próximo dia 28. É mais uma ação de combate à Covid-19 em Mato Grosso do Sul.

O secretário de Estado de Saúde (SES), Geraldo Resende, explica que o Rastrear foi desenvolvido em parceria com a Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS). “Mato Grosso do Sul será o único Estado a fazer esse tipo de acompanhamento. O Programa é uma nova estratégia, que estamos lançando com o objetivo de diminuir a taxa de contágio. Essa ferramenta será muito importante para o enfrentamento da Covid-19 em nosso Estado”.

Para o consultor Epidemiológico da OPAS, Rodrigo Said, o rastreamento significa uma identificação precoce dos casos suspeitos ou casos confirmados de Covid. “Vai permitir que tenhamos a localização e a identificação de quem são os seus contatos. A partir dessa identificação, as equipes de saúde vão elaborar uma estratégia de monitoramento diário de aparecimento de sinais e sintomas de Covid."

Segundo o coordenador de Tecnologia da Informação da SES, Marcos Espíndola de Freitas, um profissional da saúde irá fazer o monitoramento diário deste paciente e apurar com quem essa pessoa teve contato. “Os profissionais vão criar uma cadeia de relacionamentos, de contatos, onde o desafio maior será identificar o mais rápido possível uma pessoa contaminada”.

O Programa Rastrear já está em operação e à disposição dos 79 municípios do Estado. “Todos os secretários e secretárias municipais de saúde já passaram por treinamento. Esperamos que com essa nova ferramenta possamos ter certa desaceleração da doença no Estado”, pontua Resende.

Taxa de Contágio

Dados da Secretaria de Estado de Saúde apontam que desde o dia 14 de setembro, a taxa de transmissão do coronavírus apresenta redução quanto ao contágio no Estado. “Essa taxa pode variar dia após dia. Neste momento, ela apresenta um decréscimo, mesmo assim, nós estamos em um platô elevado. Ou seja, se estamos com a taxa em 1.03, significa que a cada caso confirmado, ele pode contaminar até 103 pessoas. Então, esperamos que com esta ferramenta possamos ficar abaixo de 1 ponto”, explica Geraldo Resende.

Somente neste final de semana, a taxa apresentou um ligeiro aumento, partindo de 1.01 para 1.03 na taxa de contágio. “Em Mato Grosso do Sul, há uma certa resistência por parte da população quanto a questão do isolamento social. Temos ainda a questão eleitoral, onde muitos gestores, com receio de perder apoiadores, flexibilizam as medidas sanitárias. Nossos índices estão altos e a doença não passou. Ainda não temos o controle desta doença e uma nova onda pode surgir”, alerta o secretário.

Rodson Lima, SES 

Deixe seu Comentário

Leia Também

VITIMA DA COVID-19
Auxiliar de enfermagem perde batalha contra covid-19 em Água Clara
GUERRA DA VACINA
Bolsonaro diz que não comprará vacina chinesa, mesmo se aprovada pela Anvisa
MS - 1524 MORTES
Número de pessoas internadas por coronavírus aumenta em MS e traz preocupação
BRASIL - 155.403 MORTES
Covid-19: Brasil tem 24.818 novos casos em 24 horas
AJUDA
Caixa Econômica paga auxílio emergencial para 5,2 milhões de beneficiários
FÁTIMA DO SUL - EDUCAÇÃO FÍSICA
Em avaliação do MEC, cursos de Educação Física de MS variam entre 'muito fraco' e de 'excelência'
PANDEMIA
Dourados tem mais de 500 pessoas em isolamento devido ao coronavírus
CORONAVIRUS
Morre voluntário brasileiro que participava de testes da vacina de Oxford
VACINA COVID 19
Autoridades de MS defendem vacina chinesa mesmo com recuo de Bolsonaro
MS - 1.518 MORTES
MS registra 78.360 casos confirmados e soma 1.518 mortes por coronavírus