Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
segunda, 23 de novembro de 2020
SADER_FULL
Busca
UNIGRAN DOURADOS
siamesas de MS

“Separação é impossível”, diz médico responsável por gêmeas siamesas de MS

2 Jan 2014 - 14h59Por MS Record

O médico responsável por acompanhar as gêmeas siamesas de Naviraí, que foram transferidas da Santa Casa de Campo Grande para o Hospital Materno Infantil de Goiânia desde o dia 16 de dezembro de 2013, disse a reportagem do MS Record.com.br que a separação das meninas é impossível. 

“Já foi avaliado e a separação delas é impossível. Não tem como fazer o procedimento. Elas dividem um coração e por esse fator a separação é impossível. Se elas sobreviverem, vão viver unidas para sempre. Agora, é esperar”, explica o cirurgião pediátrico, Zacharias Calil.  

O médico explicou ainda como está sendo o procedimento com as meninas no hospital. 

“Nós estamos acompanhando o dia-a-dia das meninas. Estamos dando todo o suporte para elas sobreviverem, pois não há mais o que fazer. Mas, estou surpreso de elas estarem vivas até hoje”, afirma Zacharias.

O pediatra informou que o estado de saúde das meninas continua grave. 

“Elas respiram por aparelhos, alimentação por sondas, mas com os parâmetros estáveis, ou seja, saturação de oxigênio, frequência cardíacas. Porém, a partir de algum estresse, se tornam instáveis e pode ter um desequilíbrio muito grande com relação a respiração e a frequência cardíaca”, finaliza o cirurgião. 

De acordo com o médico não há possibilidade de escolher uma delas. 

“Não tem como, porque é o mesmo coração, então qualquer procedimento agressivo que se fizer pode levar a morte das duas. Para se fazer uma cirurgia dessas tem que fazer uma circulação extracorpórea, então todo sangue é retirado e colocado em uma maquina, então é uma cirurgia agressiva, então não tem como, talvez um transplante de coração, precisa de dois corações e nessa idade é impossível”

Caso

As meninas nasceram prematuras no dia 28 de novembro em Campo Grande, após 34 semanas de gestação. Ficaram internadas na Santa Casa, até serem transferidas para o Hospital Materno Infantil de Goiânia, que é referência no acompanhamento de gêmeos siameses no Brasil.

Um relatório médico feito ainda pela equipe da Santa Casa apontou que, após a realização de ecocardiograma e tomografias, foi constatado que as meninas dividem o mesmo coração, e o mesmo fígado, aumentando ainda mais a complexidade do caso.

A família das gêmeas é de Naviraí, a 359 quilômetros de Campo Grande. Ana Paula Alves, a mãe das crianças, foi encaminhada à Capital quando ainda estava em processo de parto. Ela explicou aos médicos que fez um pré-natal tardio, e sabia que as meninas nasceriam grudadas. A meninas nasceram unidas pelo tórax e abdômen. 

Deixe seu Comentário

Leia Também

PANDEMIA
Brasil acumula 6,07 milhões de casos e 169 mil mortes por covid-19
COMBATE AO MOSQUITO
Ação estratégica: Governo faz Dia D da campanha "Aproveite a Quarentena e Limpe o seu Quintal"
CULTURAMA CULTURAMA E FÁTIMA DO SUL
Culturama registra mais 02 positivos e chegando a 03 ativos, confira o mapeamento em Fátima do Sul
boletim covid FÁTIMA DO SUL - BOLETIM COVID-19
BOLETIM: Mais 05 casos positivos de coronavírus é registrado nas últimas 24h em Fátima do Sul
CORONAVÍRUS EM MS
Em 24 horas, MS registra sete novos óbitos por coronavírus
AUXILIO POPULAÇÃO
Auxílio emergencial é creditado para nascidos em dezembro
1,3 MILHÕES DE MORTES NO MUNDO
Índia passa de 9 milhões de casos de Covid; México supera 50 mil mortes
# PROTEJA-SE
O Brasil tem 168.141 mortes por coronavírus, e 13 estados apresentam alta na média móvel de mortes.
POLEMIZANDO
'Parabéns a vocês que não se mostraram frouxos', diz Bolsonaro citando covid-19
ALERTA EPIDEMIOLÓGICO
A cada hora, 1 pessoa é internada por covid em MS