Menu
SADER_FULL
sexta, 5 de junho de 2020
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
SUPER MÃE

Mulher com 38 filhos aos 40 anos passa por cirurgia para não engravidar mais

Mariam Nabatanzi, aos 36 anos, já tinha dado à luz 44 vezes. Seis filhos não sobreviveram.

17 Out 2019 - 14h42Por Daily Mirror

 Mariam Nabatanzi, aos 36 anos, já tinha dado à luz 44 vezes. Seis filhos não sobreviveram. Assim, a moradora de um pobre vilarejo e Uganda tem o recorde de 38 filhos aos 40 anos. Recente e finalmente, Mariam passou por cirurgia para deixar de procriar, um desejo que ela alimentava havia muitos anos.

A ugandense teve o primeiro par de gêmeos aos 12 anos, não muito tempo após ter se casado com um homem 28 anos mais velho. De acordo com médicos, Mariam possuía ovários muito grandes, o que fazia com que ela ovulasse múltiplas vezes a cada ciclo e a deixava, obviamente, mais fértil.
Aos 23 anos, Mariam já tinha 25 filhos. Nessa época, ela já implorava que os médicos interviessem para que ela deixasse de engravidar. Porém eles diziam que tomar pílula anticoncepcional poderia acarretar sérios problemas de saúde, por causa do tamanho dos ovários.
Ao todo, a ugandense teve seis pares de gêmeos, quatro casos de trigêmeos e três outros de quadrigêmeos, além de gestações "mais simples", com apenas um bebê no ventre.

Mariam foi abandonada pelo marido há cerca de três anos, mesma época do nascimento do seu último par de gêmeos - um deles morreu. Sozinha, ela consegue criar todos os filhos em quatro casebres, onde os filhos dividem camas e outros dormem no chão. A mulher faz bicos como cabeleireira e decoradora de eventos, recolhe sucatas, participa da colheita de café, produz o próprio gin e medicamentos à base de ervas.
"Todo o meu tempo é gasto cuidando dos meus filhos e trabalhando para ganhar algum dinheiro. Assumi resposanbilidades de adulta muito cedo. Não me divirto desde que nasci", disse Mariam, em reportagem publicada no "Daily Mirror".

A esterilização de Mariam foi feita em hospital de Kampala, capital do país. "O caso dela é predisposição genética para hiperovular, que libera vários óvulos em um ciclo, o que aumenta significativamente a chance de ter múltiplos bebês. É sempre genético", comentou Charles Kiggundu, médico que cuidou de Mariam.
Mulheres têm, em média, 5,6 filhos em Uganda - uma das taxas mais altas da África. O caso de Mariam superou em muito o padrão já altíssimo.

Deixe seu Comentário

Leia Também

VICENTINA - 48H SEM CASOS
Vicentina entra nas 48h sem registrar casos de Covid-19 e já conta com 16 pacientes recuperados
CORONAVÍRUS NO MS
Saúde testa 60 e confirma mais dois casos de coronavírus na Câmara
LUTA PELA VIDA
Cantora gospel que morreu por coronavírus, fez vaquinha para pagar tratamento
ÓTIMO TRABALHO NA SAÚDE DE MS
Geraldo Resende fica no governo e não irá disputar a prefeitura de Dourados
BOA NOTICIA
Auxílio emergencial deve ser estendido em mais duas parcelas de R$ 300
FUTEBOL
Clubes de futebol brasileiros se unem contra homofobia
CORONAVIRUS NO MS
Curva cresce com mais de 5 confirmações por hora e quase 2 mil infectados em MS
FÁTIMA DO SUL - ASSISTA - CURADO COVID-19
ASSISTA: Curado de Covid-19 recebe corrente de palmas e sorrisos no Hospital SIAS em Fátima do Sul
CORONAVIRUS EM DOURADOS
Hospital da Vida tem nove servidores da saúde infectados pelo novo coronavírus
FÁTIMA DO SUL E CULTURAMA
Com 80 casos suspeitos, Confira o mapeamento dos 138 confirmados e recuperados em Fátima do Sul