Menu
SADER_FULL
quarta, 21 de abril de 2021
Busca
ENFRENTAMENTO DA PANDEMIA

Medidas de enfrentamento à pandemia mantêm limite de ocupação a 50% dos assentos no transporte

O serviço de viagens intermunicipais permanece operando com ocupação máxima da metade da capacidade nos ônibus e vans. Medidas de biossegurança também são obrigatórias

6 Abr 2021 - 07h12Por Portal do MS

O mais recente decreto do Governo do Estado sobre medidas restritivas de enfrentamento à pandemia (nº 15.644, de 31 de março de 2021) permite a partir desta segunda-feira (5/4) o funcionamento de praticamente todas as atividades econômicas em Mato Grosso do Sul, no entanto os estabelecimentos devem cumprir protocolo de biossegurança. Isso inclui limitação de atendimento ao público a no máximo 50% da capacidade instalada, distanciamento mínimo de 1,5m entre as pessoas presentes, e protocolo de biossegurança. Para o transporte rodoviário intermunicipal de passageiros valem, portanto, as medidas que vinham sendo adotadas desde o dia 26 de março: ocupação máxima da metade da quantidade de lugares nos ônibus e micro-ônibus, para assegurar a distância entre os viajantes, além da adoção de todas as medidas de higienização e uso de máscara.

O serviço de transporte já constava entre os autorizados no Decreto anterior (nº 15.638), com o cumprimento das limitações e cuidados de saúde. A operação, então, continua permitida e, assim como as atividades antes vedadas e agora retomadas, deve observar as medidas necessárias para conter a propagação da Covid-19.

Apenas 50% dos assentos podem ser disponibilizados pela transportadora e, para quem for viajar, é obrigatório utilizar máscara de proteção facial durante toda a viagem.

Veja outras dicas e orientações:

Se precisar, remarque

Os ônibus e micro-ônibus intermunicipais de linha regular e de todas as modalidades de fretamento só podem embarcar o equivalente à metade dos assentos disponíveis. Uma dica para quem não tem urgência e pode adiar uma viagem é reprogramar para data futura.

Mesmo quem já tiver adquirido o bilhete, pode remarcar, sem custo, considerando que não estará disponível a quantidade regular de assentos normalmente vendida.

Antecipe a compra

Se a viagem for inadiável, procure adquirir o bilhete com a máxima antecedência, para evitar transtornos, visto que a empresa não poderá vender passagem além da capacidade de 50%.

Respeite as orientações sanitárias

É essencial cumprir à risca as recomendações das autoridades de saúde. Desde a ida ao guichê para retirar um bilhete, passando pelo despacho de bagagem, deslocamento em paradas e desembarque, é importante procurar se manter afastado a, no mínimo, 1,5 metro das outras pessoas. Observe e respeite as sinalizações sobre as distâncias.

Aliado ao distanciamento, a higienização das mãos constantemente com álcool em gel ou água e sabão (nos sanitários e paradas) ajuda a diminuir o risco de contágio.

Não tire a máscara

O uso de máscara facial adequada é obrigatório e vale para todo o percurso. Não há determinação sobre o tipo de equipamento, mas as recomendações científicas aponta como mais seguras as máscaras cirúrgicas, profissionais do tipo N95, PFF2, FFP2 e as caseiras, confeccionadas em tecidos como algodão e tricoline, desde que possuam mais de uma camada de proteção e ajuste adequado ao rosto cobrindo o nariz e a boca, sem aberturas que permitam a entrada ou saída de ar e gotículas respiratórias.

É recomendável ter uma máscara reserva em um local de fácil acesso, especialmente se o deslocamento for longo.

Não aceite transporte clandestino

Com a oferta temporariamente reduzida, podem aumentar as propostas de transporte clandestino. O que parece uma “oportunidade” é, na verdade, um risco à segurança, à saúde e ao direito do passageiro de sair da origem e chegar ao destino como planejado.

Um operador não autorizado é alguém que não teve a documentação emitida, não passou por checagem, por vistoria veicular, não porta as devidas licenças e não tem compromisso com o serviço público de transporte de pessoas.

Denuncie

O usuário que tiver conhecimento, seja do descumprimento das normas por transportador regular ou da existência do transporte clandestino, pode denunciar à Ouvidoria da Agepan, pelos telefones (67) 3025-9534 e 3025-9535; o E-mail: ouvidoria@agepan.ms.gov.br, ou diretamente no sistema eletrônico e-Ouvidoria, no endereço eletrônico ouvidoria.agepan.ms.gov.br.

Gizele Oliveira, Subcom 

Deixe seu Comentário

Leia Também

images MS - 5.335 MORTES
Neste feriado, 53 pessoas morreram em decorrência da Covid-19 em Mato Grosso do Sul
LUTO NA EDUCAÇÃO
Após perder 03 professoras para o coronavírus, Escola decreta luto em MS
VENCERAM A COVID-19
Edival(Vidraçaria) e esposa Maria vencem a covid-19 e agradecem Hospital da SIAS de Fátima do Sul
VACINA RUSSA
Governador diz que consórcio vai adquirir 28 milhões da vacina Sputnik V
LUTO NA SAÚDE
Dias após perder os pais, médica de 36 anos morre de Covid-19
POLÍCIA MILITAR DE LUTO
PM DE LUTO: "Sorriso fácil e alto astral": a marca deixada pelo subtenente Lobo
VACINA CONTRA COVID-19
Mato Grosso do Sul participa de consórcio para compra de 28 milhões de doses de vacina contra Covid
LUTO NA LINHA DE FRENTE
Dias após perder os pais, médica de 36 anos morre de Covid-19
VITIMA DA COVID 19
Vídeo: enfermeiro que receitava cloroquina se passando por médico morre de Covid-19
MAIS AGILIDADE NO RESULTADO
Quem fizer exame para o coronavírus, poderá acessar o resultado de casa e pela internet, confira