Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
domingo, 7 de março de 2021
SADER_FULL
Busca
PROSSEGUIR

Governo de Mato Grosso do Sul atualiza bandeiras dos municípios

Maioria dos municípios estão na faixa de risco médio (laranja) com piora do grau de risco em 15 cidades

24 Set 2020 - 15h47Por Portal do MS

O Governo do Estado atualizou, nesta quarta-feira (23), as bandeiras do grau de risco de todos os municípios do estado e encaminhou aos prefeitos as recomendações referentes à 38ª semana epidemiológica do Programa de Saúde e Segurança da Economia (Prosseguir).

O sexto mapa situacional, apresentado na live diária do Coronavírus,  indica que 33 municípios mantiveram seu grau de risco, 31  municípios melhoraram e 15 municípios pioraram, evidenciando a necessidade de manutenção das medidas de isolamento e protocolos de biossegurança, conforme ressaltou o Secretário de Estado de Governo e Gestão Estratégica, Eduardo Riedel: “Observamos que a epidemia ainda está muito forte. À primeira vista, pode parecer que existe uma melhora, mas tivemos 15 municípios que pioraram seu grau de risco, por isso temos que tomar muito cuidado com as atitudes e manter um olhar atento não somente à estruturação da saúde, mas, principalmente, ao comportamento individual já amplamente divulgado”, destacou.

Os municípios que regrediram de bandeira foram: Anastácio, Anaurilândia, Antônio João, Brasilândia, Dourados, Japorã, Ladário, Laguna Carapã, Maracaju, Miranda, Mundo Novo, Ponta Porã, Porto Murtinho, Rochedo e Sete Quedas.

Outro ponto enfatizado pelo Secretário de Governo foi a união entre os setores para o êxito do Prosseguir: “Vale lembrar que o programa foi criado para manter o equilíbrio entre as atividades e temos obtido êxito em virtude do envolvimento de todos, incluindo o da iniciativa privada por meio do comércio e atividades empresariais. Mas precisamos persistir no cuidado individual e consciência de que o vírus ainda está aí e não temos vacina ainda. É um cuidado coletivo para o bem da nossa sociedade".

Mapa Situacional

O mapa situacional das quatro macrorregiões de Saúde (Corumbá, Campo Grande, Três Lagoas e Dourados), referente à 38ª Semana Epidemiológica (de 13 a 19/9) com recomendações para o período de 24 de setembro a 8 de outubro, apresenta 18 municípios na faixa de risco tolerável (amarela), 46 municípios no grau médio (bandeira laranja) e 15 no grau de risco alto (bandeira vermelha). O estado não tem nenhuma cidade nas faixas de risco baixo (bandeira verde) ou extremo (bandeira cinza).  

Para gerar essa classificação, o programa avalia indicadores municipais relacionados à disponibilidade de leitos de UTI, quantidade de Equipamentos de Proteção Individual (EPI’s), busca por contatos de casos confirmados, redução da mortalidade por Covid-19, disponibilidade de testes, incidência na população indígena, redução de casos entre profissionais da saúde, redução de novos casos, necessidade de expansão de leitos e situação de fronteira com país ou divisa com estado que tenha aumento de casos.  

Os mapas situacionais  atualizados, recomendações para os municípios e a distribuição das atividades econômicas por faixa de risco, estão disponíveis no site www.coronavirus.ms.gov.br (link prosseguir).

Sobre o Prosseguir – Programa do Governo Estadual que classifica os municípios em faixas de cores, de acordo com o grau de risco que cada cidade apresenta (de baixo a extremo), traz recomendações de medidas no âmbito da Saúde Pública, de Serviços Públicos e do Social a fim de nortear agentes da sociedade, principalmente entes públicos, a tomarem suas decisões e tornarem suas ações mais eficientes no combate à propagação e aos impactos da Covid-19.

Metodologia do Programa

  • Periodicidade – A cada duas semanas são enviados relatórios com recomendações para todos os municípios, baseadas nos dados do fim da semana (último sábado), obtidos pelo cruzamento dos indicadores de Vigilância Epidemiológica, Saúde e Impacto Econômico. 
  • Alimentação dos Dados - A atualização dos dados que compõem os indicadores é de responsabilidade das Secretarias Municipais de Saúde de cada município, de forma que o atraso ou o não fornecimento das informações compromete a avaliação situacional do município. 
  • Mudança de Bandeiras - Seguindo as recomendações da Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS), embora o monitoramento dos dados seja diário, com reunião semanal de análise, os municípios só podem mudar de cor (faixa) após 14 dias - mesmo que os dados diários indiquem a mudança de situação. Quando a mudança de situação for para melhor, a metodologia prevê que não se pode ‘pular’ faixas (por exemplo, mudar diretamente da faixa laranja para a verde sem passar pela amarela). Já quando a mudança de situação for para pior, permite-se ‘pular’ bandeiras (sair da amarela e ir diretamente para a vermelha, por exemplo), devido à urgência na adoção de medidas. 
  • Classificação de Risco das Atividades Econômicas - A Classificação de Risco das Atividades Econômicas (em baixo, médio e alto) também pode ser alterada a qualquer momento pelo Comitê Gestor, pautada em justificativa técnica com foco na melhoria dos resultados da matriz de risco (conforme artigo 10 do Decreto nº 15.462 de 25/06/2020). 
  • Divulgação – A atualização do mapa situacional será divulgada periodicamente no site www.coronavirus.ms.gov.br.

Assessoria de Comunicação da Secretaria de Estado de Governo e Gestão Estratégica.

Mapa: Marketing/ Governo MS

Deixe seu Comentário

Leia Também

BOLETIM COVID-19
16 óbitos em 07 cidades nas últimas 24h, já faltam leitos nos hospitais da microrregião da Capital
TUDO PARADO
INSS interrompe atendimentos após servidores testarem positivo para a Covid-19 em Dourados
CORONAVÍRUS NO MS
Trabalho da SES possibilita habilitação de 115 leitos de UTI-Covid em MS
NA LUTA PELA VIDA
Sertanejo campo-grandense Paulo Sérgio está internado em estado grave com coronavírus
100 UTI = OBITO
Ministério da Saúde prevê 3 mil mortes por dia por covid-19 nas próximas duas semanas
PICO DA PANDEMIA
SES registra 23 novos óbitos por Covid, e MS já acumula 3.416 vidas perdidas
TRISTEZA NA FAMILIA
'Não tem UTI,amo vcs':a história por trás do tuíte viral que revela mensagens de mãe morta por covid
CORONAVIRUS EM JUTI
Com alta ocupação de leitos em MS, Juti proíbe até reuniões familiares
FÁTIMA DO SUL - VACINAÇÃO CONTRA COVID
Idosos a partir de 75 anos começam ser vacinados nesta sexta-feira em Fátima do Sul
AQUISIÇÃO DE VACINA
Vicentina e 10 cidades do MS aderiram a consórcio para compra de vacina contra Covid-19