Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
segunda, 10 de maio de 2021
Busca
VARIANTES EM MS

Fátima do Sul na lista, ao menos 10 variantes do coronavírus em circulação, veja em quais cidades

18 Abr 2021 - 21h54Por Campo Grande News

Com origem em países da Europa, América do Sul, América do Norte e África, ao menos 10 variantes do coronavírus foram detectadas em pacientes com covid-19, em pelo menos 37 municípios de Mato Grosso do Sul.

A SES (Secretaria Estadual de Saúde) divulgou, por meio do boletim epidemiológico, o mapeamento genômico do coronavírus no Estado.

Os dados ressaltados pela pasta têm origem também do próprio Lacen (Laboratório Central de Mato Grosso do Sul).

A que é considerada mais letal e com maior chance de atingir jovens, a P1, teve origem em Manaus (AM) e foi detectada em pelo menos sete municípios. Tratam-se de Campo Grande, Bodoquena, Corumbá, Deodápolis, Eldorado, Itaporã e Itaquiraí. Mapa indica quais municípios têm variantes do coronavírus confirmadas. 

A P2, de origem no Rio de Janeiro (RJ), foi verificada em 23 amostras dos municípios de Campo Grande, Corumbá, Dourados, Eldorado, Iguatemi, Miranda, Nova Alvorada do Sul, Nova Andradina e Ponta Porã.

Conforme já noticiado pelo Campo Grande News, ela é considerada menos preocupante que a P1, mas gera muita preocupação por indicar que o vírus não tem apresentado redução e tem se motificado cada vez mais.

A "B.1.1.28", de origem brasileira e que deu origem a P1, foi detectada em 42 infectados nos municípios de Amambai, Aquidauana, Bandeirantes, Bonito, Campo Grande, Chapadão do Sul, Douradina, Dourados, Guia Lopes da Laguna, Inocência, Itaporã, Itaquiraí, Jardim, Maracaju, Miranda, Nova Alvorada do Sul, Paranaíba, Ponta Porã, Ribas do Rio Pardo, Rio Negro, Sonora, Tacuru e Três Lagoas.

Além dela, a "B.1.1.33", também de linhagem brasileira, foi verificada em 24 casos em Água Clara, Anastácio, Campo Grande, Chapadão do Sul, Corumbá, Coxim, Dourados, Fátima do Sul, Figueirão, Iguatemi, Ladário, Miranda, Rio Negro, Selvíria, Sonora, Três Lagoas e Vicentina. Variantes internacionais - 

A "B.1.1.247", detectada inicialmente na Inglaterra, Tailândia, Rússia e Estados Unidos, foi identificada em uma amostra de Nova Andradina.

A "B.1", associada ao surto no norte da Itália no início do ano passado, também foi identificada em Campo Grande e Três Lagoas. Sua variação "B.1.1", também europeia, foi detectada na Capital.

Além dessas, a "B.1.1.274", que teve origem no norte da Europa, África e em Gâmbia, foi apurada em Ladário, enquanto a "B.1.212", de origem sul-americana, esteve presente em amostras de Campo Grande e Chapadão do Sul.

Por fim, a "B.1.240", de origem estadunidense, foi vista em Fátima do Sul. Por fim, a "N4", que surgiu no Chile, ainda não foi detectada, conforme o documento.

Deixe seu Comentário

Leia Também

LUTO NO JORNALISMO
Cinegrafista, Auro Sávio perde luta para a covid após 15 dias internado em MS
20ª REMESSA
Mais de 14 mil doses da Pfizer pousam em Campo Grande nesta segunda
COMBATE À COVID 19
OSC's têm até hoje (10) para apresentar propostas para Edital da Sedhast com R$ 1,5 milhão
FÁTIMA DO SUL - BOLETIM COVID-19 FATIMA DO SUL - BOLETIM COVID-19
Domingo de Dia das Mães com mais 17 positivos, Centro e Centro Educacional disparam em Fátima do Sul
FGTS
Confira as doenças em que é permitido o saque integral do FGTS
LUTO NA EDUCAÇÃO
Professor de 36 anos morre após 30 dias de internação e complicações da Covid
VÍRUS DESTRUIDOR
COVID: Com 70% dos pulmões comprometidos, Cabo Almi é intubado
Foto: Saul Schramm CORONAVAC CHEGANDO AO MS
Lote de vacinas da Coronavac chegam neste sábado ao MS mas só para aplicação da segunda dose
LUTO NA LINHA DE FRENTE
Covid: Médico de 74 anos e mais 24 pessoas morreram nas últimas 24 horas em MS
Foto: Saul Schramm - Arquivo ÓBITOS POR COVID EM MS
Levantamento mostra que 17% das mortes por covid em MS eram de pacientes sem comorbidade