Menu
SADER_FULL
quarta, 25 de novembro de 2020
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
remédios que não exigem receita

Farmacêuticos são liberados para prescrever remédios que não exigem receita

26 Set 2013 - 17h38Por Dourados Agora

Desde ontem, quando foi comemorado o Dia Internacional do Farmacêutico, profissionais em todo o país já podem receitar medicamentos que não exigem prescrição médica. A resolução do Conselho Federal de Farmácia (CFF) foi publicada ontem no Diário Oficial da União. Com a nova regulamentação, os farmacêuticos vão poder receitar, por exemplo, analgésicos, medicamentos tópicos e fitoterápicos.

De acordo com os profissionais da área, a medida vai aproximar mais os clientes dos farmacêuticos. Para a farmacêutica Ieda Paiva, esse tipo de medicamento é mais utilizado em datas sazonais. Ela afirma que eles sempre estiveram preparados para fazer esse tipo de indicação.

“Aqui em Dourados temos um clima propício para que alguns tipos de doenças se propaguem. São casos que não exigem uma consulta. Com a liberação para receitar determinados remédios para as pessoas, vamos evitar que elas tenham que procurar uma unidade de saúde em busca de uma receita médica”, disse a farmacêutica.

Ieda lembra, ainda, que isso não dará direito ao farmacêutico de passar qualquer tipo de remédio às pessoas e ignorar a ida ao médico. “Sempre vamos indicar algo dentro da nossa capacidade e explicar que se não houver melhoras que ela procure um médico. Nós não vamos substituir este profissional”, ressaltou.

Para a farmacêutica e coordenadora do Curso de Farmácia da Unigran, Letícia Castellani, a medida adotada pelo governo vai formalizar o que já era um hábito nas farmácias.

“É comum que as pessoas busquem um farmacêutico para utilizar determinado medicamento. Agora, essa ação do profissional não será apenas verbal e sim formalizada. Isso vai gerar ainda mais responsabilidade para o farmacêutico”, enfatizou Letícia Castellani.

De acordo com a professora, todo o medicamento oferece riscos, mas os profissionais saem preparados das universidades para atuar com esse tipo de perigo. Ela explica, ainda, que essa é uma área onde o profissional passa por anos de estudo e aperfeiçoamento.

“O farmacêutico tem o total conhecimento das composições dos remédios, seus efeitos e benefícios. Por isso, esta medida vai ampliar nossa área de atuação, o que é um avanço para a classe”, conclui a coordenadora.

A regulamentação foi aprovada pelo CFF nove dias depois do Congresso Nacional aprovar os vetos feitos por Dilma Rousseff à Lei do Ato Médico. A lei prevê que o ato de prescrever tratamentos não é exclusiva para formados em Medicina. O Conselho Federal de Medicina (CFM) ainda não se pronunciou sobre a medida.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Zezé Di Camargo canta durante velório do pai, Francisco Camargo, em Goiânia  Foto: Vítor Santana G1 TRISTE PARTIDA
Zezé Di Camargo toca sanfona e canta 'É o Amor' durante velório do pai
MS - 1.738 MORTES
Adultos jovens são a maioria dos novos casos de coronavírus no MS
FÁTIMA DO SUL - BOLETIM CORONAVÍRUS
EXPLODIU: Mais 11 positivos nas últimas 24h em Fátima do Sul, Culturama já tem 05 ativos
CORONAVIRUS NO EXECUTIVO
Vice-prefeito de Ponta Porã está internado em UTI com covid-19
PARALIZAÇÃO
Em cidade com 118 mortes por Covid-19, protesto mostra que falta até álcool gel em Dourados
AÇÕES DO GOVERNO MS
Sedhast acompanha incidência da Covid-19 em trabalhadores da assistência social no Estado
ALTA NO PREÇO
Bolsonaro diz que alta nos preços dos alimentos é consequência do "fique em casa"
CORONAVIRUS
UFPR confirma que dois cachorros testam positivo para coronavirus
AUXILIO POPULAÇÃO
Ala política defende prorrogar auxílio emergencial, mas Bolsonaro ainda não decidiu
DIAGNÓSTICO COMPROMETIDO
Bolsonaro diz que estados e municípios devem explicar testes de Covid sem uso prestes a vencer