Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
segunda, 23 de novembro de 2020
SADER_FULL
Busca
BANNER ALVORADA
ASSUSTADOR

EUA batem recorde com mais 202 mil casos de Covid em um dia e 61 mil internações

O país é o mais afetado pela pandemia, com mais de 10 milhões de casos e cerca de 240 mil mortos.

11 Nov 2020 - 08h23Por G1

Os Estados Unidos seguem batendo recordes na pandemia do novo coronavírus. Segundo dados desta terça-feira (10) à noite da Universidade Johns Hopkins, o país superou seu recorde de novos casos diários de Covid-19, com mais 201.961 pessoas doentes, e também aumentou o número de hospitalizações de contaminados, com 61.694 internações.

O país é o mais afetado pela pandemia, com mais de 10 milhões de casos e cerca de 240 mil mortos.

De acordo com a “CNN” e o “The New York Times”, as hospitalizações estão sobrecarregando os hospitais e instalações médicas.

O recorde anterior de internações foi registrado em 15 de abril: 59.670 hospitalizações.

Atualmente, os EUA têm, em média, 1.661 novas hospitalizações por dia, mostram os dados da Universidade Johns Hopkins.

Estado americano do Texas é o primeiro a ultrapassar um milhão de casos de Covid-19

Estado americano do Texas é o primeiro a ultrapassar um milhão de casos de Covid-19

Os principais estados atingidos neste momento da pandemia são Texas, Illinois, Dakota do Sul, Ohio e Utah.

Os números são preocupantes porque aumentos nas hospitalizações são geralmente seguidos por aumentos no número de mortos.

O Instituto de Avaliação e Métricas de Saúde da Universidade de Washington, por exemplo, está prevendo mais 110.000 mortos nos próximos dois meses, caso o país não altere a forma de combate à propagação do vírus.

Joe Biden e o combate ao vírus

Joe Biden: 'Vamos começar fazendo tudo possível para controlar a Covid-19'

Joe Biden: 'Vamos começar fazendo tudo possível para controlar a Covid-19'

A velocidade no aumento no número de internações ocorre uma semana após a conturbada eleição presidencial, que levou o democrata Joe Biden à Casa Branca.

Biden, inclusive, já antecipou que seu principal foco ao assumir o poder será conter o avanço da pandemia no país e salvar vidas. Ele criou uma força-tarefa, defendeu o uso de máscara e disse que a vacina será de graça.

O conselho consultivo para o combate à Covid-19 anunciado por Biden tem entre seus integrantes uma brasileira: Luciana Borio, pesquisadora sênior de saúde global do Conselho de Relações Exteriores dos EUA, ex-diretora de preparação médica e de biodefesa do Conselho de Segurança Nacional do país e ex-cientista-chefe interina da FDA (sigla em inglês para Food and Drug Administration), órgão equivalente à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Luciana Borio, em foto de setembro de 2014  Foto: Alex Wong/Getty Images North America/Getty Images via AFP/Arquivo

Luciana Borio, em foto de setembro de 2014 — Foto: Alex Wong/Getty Images North America/Getty Images via AFP/Arquivo

Biden diz que vai nomear força-tarefa contra Covid-19 nos EUA

Biden diz que vai nomear força-tarefa contra Covid-19 nos EUA

A equipe de especialistas em saúde pública vai aconselhar Biden, a vice-presidente, Kamala Harris, e a equipe de transição do governo para enfrentar a pandemia. O conselho consultivo será liderado pelos copresidentes David Kessler, Vivek Murthy e Marcella Nunez-Smith.

"Lidar com a pandemia do coronavírus é uma das batalhas mais importantes que nosso governo enfrentará, e serei guiado pela ciência e por especialistas", afirmou Biden.

Em discurso na segunda-feira (9), Biden pediu aos americanos que usem máscara.

"Eu imploro: usem máscara".

"Eu serei o presidente de todos os americanos, esta eleição acabou", disse ele, ao afirmar que é preciso ter união para derrotar o vírus. "Uma máscara não é uma declaração política, mas uma boa forma de unir o país."

A missão de Biden é bem diferente do rival republicano derrotado. Donald Trump defende a retomada de atividades e sempre desestimulou o uso da máscara.

Restrições na Europa

Europa supera a marca de 300 mil mortes por Covid

Europa supera a marca de 300 mil mortes por Covid

Países europeus, que agora estão contabilizando 300 mil mortes por Covid, temem a segunda onda da pandemia e um aumento no número de doentes e mortos. A França vive outro período de "lockdown" e está até enviando pacientes para a AlemanhaItália e Espanha recorreram a novos toques de recolher e impuseram restrições. A Alemanha e Portugal também endureceram as regras para enfrentar a crise sanitária.

Deixe seu Comentário

Leia Também

ALTA NO PREÇO
Bolsonaro diz que alta nos preços dos alimentos é consequência do "fique em casa"
CORONAVIRUS
UFPR confirma que dois cachorros testam positivo para coronavirus
AUXILIO POPULAÇÃO
Ala política defende prorrogar auxílio emergencial, mas Bolsonaro ainda não decidiu
DIAGNÓSTICO COMPROMETIDO
Bolsonaro diz que estados e municípios devem explicar testes de Covid sem uso prestes a vencer
PANDEMIA
Brasil acumula 6,07 milhões de casos e 169 mil mortes por covid-19
COMBATE AO MOSQUITO
Ação estratégica: Governo faz Dia D da campanha "Aproveite a Quarentena e Limpe o seu Quintal"
CULTURAMA CULTURAMA E FÁTIMA DO SUL
Culturama registra mais 02 positivos e chegando a 03 ativos, confira o mapeamento em Fátima do Sul
boletim covid FÁTIMA DO SUL - BOLETIM COVID-19
BOLETIM: Mais 05 casos positivos de coronavírus é registrado nas últimas 24h em Fátima do Sul
CORONAVÍRUS EM MS
Em 24 horas, MS registra sete novos óbitos por coronavírus
AUXILIO POPULAÇÃO
Auxílio emergencial é creditado para nascidos em dezembro