Menu
SADER_FULL
segunda, 26 de outubro de 2020
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
DENGUE MATA

Dengue volta a matar e 03 óbitos são registrados, 01 delas em Itaporã e outras 02 cidades do MS

Dengue volta a matar e 03 óbitos são registrados, 01 delas em Itaporã e outras 02 cidades do MS

27 Ago 2020 - 17h56Por Correio do Estado

Depois de dois meses e meio sem registrar mortes, a dengue voltou a fazer vítimas em Mato Grosso do Sul.

De acordo com boletim epidemiológico divulgado nesta quinta-feira (27), foram confirmados três novos óbitos no Estado, que soma 42 mortes no ano. Desde o dia 11 de junho não havia mortes pela doença.

Uma das vítimas é um homem de 72 anos, morador de Itaporã, que sofria de doença renal crônica e morreu no dia 5 de junho, mas houve a comunicação tardia à Secretaria Estadual de Saúde.  

Em Miranda, a dengue vitimou uma mulher de 68 anos, que tinha como comorbidade hepatopatias e tabagismo; e em Anastácio vítima era mulher de 58 anos, com obesidade, cardiopatia crônica e tabagismo.

Outras 39 mortes registradas no ano ocorreram em Campo Grande (7), Corumbá (4), Dourados (3), Naviraí (3), Chapadão do Sul (2), Ponta Porã (2), Caarapó (2), Mundo Novo (2) e Sete Quedas, Itaquiraí, Laguna Carapã, Ivinhema, Nova Andradina, Sidrolândia, Bodoquena, Aquidauana, São Gabriel do Oeste, Itaporã, Pedro Gomes, Costa Rica, Cassilândia e Paranaíba.  

Em todo o ano passado, 29 pessoas morreram de dengue em Mato Grosso do Sul, sendo que em oito meses deste ano mortes já são 41% maiores.  

De janeiro até esta quinta-feira (27) foram notificados 68.029 casos suspeitos de dengue no Estado.  

Taxa de incidência de dengue é de 2.448,0, o que o mantém o Estado em segundo lugar no ranking de estados com maior incidência da doença no País.  

É considerada alta incidência quando há mais de 300 casos para cada 100 mil habitantes. Todos os 79 municípios do Estado se enquadram nesta definição.
 
DENGUE

Dengue é uma doença febril aguda, transmitida pelo mosquito Aedes aegypti. 

Segundo a Secretaria Estadual de Saúde (SES), enquanto a maioria dos pacientes se recupera após evolução clínica leve e autolimitada, uma pequena parte progride para doença grave. Fatores de risco individuais determinam a gravidade da doença e incluem idade, comorbidades (doenças pré-existentes) e infecções secundárias.  

Principal forma de prevenção é evitar água parada em qualquer local em que ela possa acumular, que são locais de criadouro do mosquito, que também transmite zika e chikungunya.

Deixe seu Comentário

Leia Também

ABSURDO
Mulher abandona o bebê no hospital após ele ser infectado pelo coronavírus
Paramédico retira mulher de uma ambulância na entrada de hospital em Burgos, na Espanha, na quarta-feira (21)  Foto: Cesar Manso/AFP 2ª ONDA DE CORONAVÍRUS
Com mais jovens infectados, Espanha declara novo estado de emergência por 2ª onda de Coronavírus
FÁTIMA DO SUL - LUTO
CORONAVÍRUS: Idosa é a 13ª morte registrada por covid-19 nas últimas 24h em Fátima do Sul
DOURADOS - MORTE POR COVID
Mulher morre por Covid após passar menos de um dia internada em Dourados
AÇÕES DO GOVERNO MS
Resultado do leilão da Sanesul encurta tempo de universalização e garante saúde para população de MS
SIM A VIDA
Brasil se une a Egito, Indonésia, Uganda, Hungria e EUA em declaração contra o aborto
VAMOS AJUDAR - COMPARTILHE
Mãe faz vaquinha para custear tratamento da filha com síndrome de West em Navirai
DOURADOS
Decreto estabelece que visitantes no cemitério devem usar máscara e ter distanciamento
VITIMA DA COVID-19
Auxiliar de enfermagem perde batalha contra covid-19 em Água Clara
GUERRA DA VACINA
Bolsonaro diz que não comprará vacina chinesa, mesmo se aprovada pela Anvisa