Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
sexta, 3 de julho de 2020
SADER_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
CURADO DA COVID 19

CURADO HÁ UM MÊS: paciente lembra descoberta e fala da vida pós-covid-19

Ele relatou como foi todo o processo da descoberta, recuperação e, agora, a vida pós-covid

26 Mai 2020 - 10h35Por Topmidia news

O Guarda Municipal Reinaldo Marques de Mattos, 39 anos, é um dos pacientes que foi infectado e curado da covid-19 em Mato Grosso do Sul. Ele teve alta há um mês do Hospital Proncor, em Campo Grande.

Nesta semana, ele conversou com o TopMídiaNews e relatou como foi todo o processo da descoberta, recuperação e, agora, a vida pós-covid. Ele é sobrinho da primeira vítima morta pelo novo coronavírus na Capital.

“Quando fiquei sabendo que um parente teve, solicitei para fazer o exame, pois já estava há 4 dias com febre. No mesmo dia, o doutor Sandro Benites entrou em contato comigo, já é conhecido da família há anos, e pediu para estar no consultório dele”.

O tratamento, segundo ele, começou antes mesmo dos sintomas ficarem mais evidentes. “Já no outro dia estava iniciando o tratamento com a hidroxocloroquina e azitromicina, antes mesmo do resultado do exame sair, tudo antecipado. Depois fui para o hospital, pois estava há mais de 5 dias com febre, 3 tomando os medicamentos e a febre não parava definitivamente”, lembra.

Mesmo no hospital e com a febre, o servidor relata que não teve problema com a respiração. “Na minha visão estava normal, mas foi verificado um início de pneumonia bilateral e o sangue não estava recebendo o oxigênio normalmente, como deve acontecer no pulmão. Médicos já me informaram que iria ser internado por uns dias para tratamento. Não fui entubado. Penso que tive o melhor tratamento”.

 Recuperação

No dia 25 de abril, Reinaldo teve alta e, desde então, tem evitado sair de casa e está tomando algumas medidas preventivas.

“Fiz um isolamento pessoal, de evitar sair à toa até o dia 14, só ia para o serviço, pois lá não tem expediente de noite, mesmo assim tomando todos os cuidados possíveis. Hoje tenho saído nas ruas usando máscara e cuidando onde vou tocar, sempre usando álcool em gel”.

Conforme o servidor, durante todo esse período, o que mais tem discutido é o preconceito sobre a covid-19 e as preocupações futuras.

“A covid é uma doença que não sabemos por completo todas as reações, não sabemos se futuramente terei alguma sequela, tipo ser mais favorável a pegar uma pneumonia, simples que for, mas muitos nos discriminam por serem leigos e não entenderem que cada um deve se proteger e tomar os devidos cuidados”.

Ele pontua que é intrigante o ‘desleixo’ da população diante dos cuidados orientados pelas autoridades de saúde.

“O que fico impressionado é ver a população cobrando ações dos políticos nas redes sociais e, quando sai na rua, não se cuida. O uso da máscara nesse momento é fundamental, e não porque um político a ou b falou para usar, mas acredito que se cada um manter o distanciamento, se cuidar, nós estaremos evitando a propagação. Temos visto tantas cidades que fizeram isolamento no papel, mas a população não parou e nem se cuidou e hoje estão com tantas mortes e infectados”, finaliza.

Deixe seu Comentário

Leia Também

ILESAS DA DOENÇA
SEM COVID: 08 cidades de MS ainda não registraram casos de coronavírus
CUMULO DO ABSURDO
Universitários fazem festas Covid com aposta para ver quem pega coronavírus primeiro
PREVENÇÃO COVID 19
Giovanna Antonelli viraliza ao mostrar truque para evitar contaminação
CORONAVIRUS EM DOURADOS
Dourados confirma mais 58 casos da covid-19 e número de mortes chega a 31
FATIMA DO SUL - MARMITEX
Saborosa comida caseira por 5 reais é na Cantina Sabor da Maria em Fátima do Sul
100 MÁSCARAS
Bolsonaro veta obrigação do uso de máscara em igrejas e lojas
CLIMA FRIO
Madrugada de sexta-feira teve geada em 8 cidades de MS; uma delas foi Caarapó
DETENTAS COM COVID 19
Presídio de Rio Brilhante que tem 21 detentas com covid-19 tem princípio de motim
MS - 107 MORTES
Mulheres de 67 e 78 anos elevam mortes por covid a 107 óbitos nesta sexta em MS
BRASIL - 62.045 MORTES
Brasil passa de 62 mil mortes pelo novo coronavírus