Menu
SADER_FULL
quinta, 3 de dezembro de 2020
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
CIA DO BICHO
O SONHO

Com sonho de ser médico, menino vive em ambulância a socorrer vítima de acidente

O primeiro acidente que ele ajudou no socorro aconteceu no final de dezembro de 2012

11 Jan 2014 - 12h05Por CAMPO GRANDE NEWS

Aos 14 anos ele não tem outro sonho a não ser o de salvar vidas. Em Chapadão do Sul, Gabriel Schultz Silva, vai pela manhã à escola e depois passa o dia acompanhando ocorrências de acidentes junto dos bombeiros. Filho de jornalista, o adolescente fica na redação e quando a equipe vai à rua atrás de notícia e ele acompanha para prestar socorro.

O primeiro acidente que ele ajudou no socorro aconteceu no final de dezembro de 2012, um capotamento na rodovia, a caminho de Cassilândia, com quatro vítimas. “Foi grave e precisou de várias pessoas para socorrer. Não tinha nem bombeiro, porque eles estavam atendendo outro acidente, foi o resgate da prefeitura. Foi aí que comecei a gostar cada vez mais”, fala.

O menino fez cursos pela internet para aprender a teoria e na prática, gruda os olhos nos bombeiros. “Eu queria fazer mais, só que pela minha idade tem poucas coisas que eu posso fazer. Meu sonho era de poder, desde agora, ficar no resgate”, conta.

 
Do próprio bolso, menino já gastou R$ 2,5 mil para montar mochila de resgate. Do próprio bolso, menino já gastou R$ 2,5 mil para montar mochila de resgate.

Os projetos futuros são o de se tornar médico de urgência de ambulâncias. Enquanto o tempo não avança para a formação superior, ele montou uma bolsa de resgate com dinheiro do próprio bolso. Segundo Gabriel, tudo o que tem na ambulância de unidade de resgate, ele carrega na mochila.

“Material de intubação, reanimação, acesso venoso, gases, material de imobilização, kit de parto, queimadura, hemorragia”. O investimento no trabalho voluntário já foi mais de R$ 2,5 mil. Quantia que apesar de alta, não pesa para Gabriel. “Não é dinheiro que me interessa e nem crédito. E sim salvar vidas, pois nada melhor que saber que você faz a diferença”, comenta.

Na cidade todo mundo conhece o menino socorrista e até quem já passou pelas suas mãos reconhece. “Esses dias eu recebi uma homenagem. Uma mulher sofreu acidente na rodovia e estava entre a vida e a morte. Fui de ambulância com ela, fiz vários procedimentos, senão ela não chegava viva. Depois o médico que atendeu ligou, me parabenizando que o atendimento foi perfeito”, recorda.

Enquanto a maioria dos amigos está começando a fase de festas, ele troca as saídas pelos estudos. “Eu estou em casa, com minhas apostilas de socorrista e meus vídeos/aula, estudando para cada vez mais ajudar o próximo”, finaliza.

 
Enquanto a maioria dos amigos está começando a fase de festas, ele troca as saídas pelos socorros.Enquanto a maioria dos amigos está começando a fase de festas, ele troca as saídas pelos socorros.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Casal Roberto e Magally foi infectado pelo coronavírus - Crédito: Foto: Arquivo Pessoal/Patrícia Küne JUNTOS PARA SEMPRE
Casados há 57 anos, idosos morrem de covid-19 no mesmo dia
COPA DE 94
'Bebê do Tetra', na Copa de 94, filho do jogador Bebeto é pai pela primeira vez
VITIMA DA COVID 19
Rosane Gofman pede orações para a atriz Nicette Bruno, internada com Covid-19
ALARMANTE
Com 951 novos infectados, MS tem 101 mil casos e 1.793 mortes por coronavírus
VACINA COVID 19
Vacinação contra a Covid-19: veja o que se sabe sobre o plano do Brasil e outros países
AUMENTO DE CASOS
Mortes por Covid tiveram queda menor em novembro do que em outubro, indicam secretarias de Saúde
AGENCIAS FECHADAS
Casos de coronavírus fecham três agências bancárias em Dourados
ALERTA EPIDEMIOLÓGICO
Sem restrição de mobilidade, casos de Covid disparam e Riedel pede consciência coletiva
DOURADOS - COVID-19
Perto do colapso, região de Dourados tem 1 UTI para cada 50 mil pessoas
BRASIL - 173.229 MORTES
Casos e mortes por coronavírus no Brasil: 1° de dezembro, segundo consórcio de veículos de imprensa