Menu
SADER_FULL
quinta, 28 de maio de 2020
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
JULGAMENTO DE LULA

STF marca para quinta-feira julgamento que pode definir liberdade de Lula

Segundo um dos ministros do STF, ouvidos pelo O Estado de S.Paulo, as decisões a serem adotadas representarão uma vitória da Constituição

15 Out 2019 - 07h15Por Brasil 247

O julgamento do dia 17 será o primeiro de uma sequência que pode desmontar por completo a Lava Jato até o fim do ano. Estão na agenda da Corte a suspeição de Moro, o fim das investigações ilegais da Receita Federal e Coaf e as condenações da Lava Jato em processos nos quais a acusação teve a última palavra.

O presidente do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli, marcou para a próxima quinta-feira (17) o julgamento sobre a prisão em segunda instância, o que pode beneficiar o ex-presidente Lula. O julgamento do dia 17 será o primeiro de uma sequência que pode desmontar por completo a Lava Jato até o fim do ano. Estão na agenda da corte a suspeição de Moro, a o fim das investigações ilegais da Receita Federal e Coaf e as condenações da Lava Jato em processos nos quais a acusação teve a última palavra.

O Supremo Tribunal Federal (STF) está preparando o funeral da operação Lava Jato. Prevê-se até o fim de novembro uma sequência de decisões que devem decretar o fim das ilegalidades cometidas por Sérgio Moro e os procuradores: suspeição do próprio Moro, fim das prisões depois de condenção em segunda instância, fim do compartilhamento de dados fiscais e bancários de órgãos como a Receita e Coaf sem autorização judicial, além de definir critérios sobre a anulação de condenações nos casos em que réus delatados não tiveram assegurado o direito de falar depois de réus delatores.

Segundo um dos ministros do STF, ouvidos pelo jornalista Rafael Moraes Moura, de O Estado de S.Paulo, as decisões a serem adotadas representarão  uma “vitória da Constituição”.

“Todo mundo é a favor do combate à corrupção, mas observados os meios contidos na ordem jurídica. Em Direito, o meio justifica o fim, não o fim ao meio. Não dá é para levar essa persecução penal de cambulhada. Não avançamos culturalmente a qualquer custo”, disse o ministro Marco Aurélio Mello ao jornalista Rafael Moura.

A pauta de fim de ano foi possível graças às revelações da Vaza Jato, pelo Intercept. Moro está isolado e sem apoio no Congresso, Deltan Dallagnol está demoralizado e Bolsonaro entrou em guerra contra quase todo o universo político nacional.

Deixe seu Comentário

Leia Também

AÇÃO PARLAMENTAR
Governo atende pleito de Onevan e prorroga entrega da Declaração do Proacap
FÁTIMA DO SUL - COVID-19 - BOLETIM
Fátima do Sul já tem 04 recuperados de Covid-19 e não registra novos nas últimas 24h, veja o BOLETIM
ECONOMIA
Senado aprova MP do aumento do salário mínimo para R$ 1.045 Agência Brasil há 1 hora Economia
ECONOMIA
Conselho do FCO aprova R$ 146,1 milhões para empreendimentos em MS, com destaque para suinocultura e
DEODÁPOLIS - AÇÕES
Agehab sorteia quadras e lotes de bases para a construção da casa própria em Deodápolis
ELEIÇÕES MUNICIPAIS
PSDB confirma Doreli Portela como pré-candidato a prefeito de Laguna Carapã
AÇÕES DO GOVERNO DE MS
Governo de MS define empresas para obras de R$ 8,4 milhões em 07 municípios
FÁTIMA DO SUL - NA TRIBUNA
Diego pede distribuição de Kit Covid e que façam testes nos funcionários da JBS em Fátima do Sul
CORONAVÍRUS NO MS
Governo de MS convoca mais 40 técnicos de enfermagem em processo seletivo da Funsau
CORONAVÍRUS NO MS
Governo de MS vai comprar 3 milhões de máscaras e estuda kit para volta às aulas