Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
quinta, 25 de fevereiro de 2021
SADER_FULL
Busca
CONGRESSO

Senado aprova fim do voto secreto para cassação e veto presidencial

27 Nov 2013 - 09h55Por G1

O Senado Federal aprovou em segundo turno nesta terça-feira (26) por 58 votos a 4 o texto da proposta de emenda da Constituição (PEC) que acaba com o voto secreto nas sessões de cassação de mandato parlamentar e de análise de vetos presidenciais. O texto agora vai à promulgação e passa a vigorar após a publicação.

Na votação, os senadores mantiveram a votação secreta para eleição de membros da Mesa Diretora de Câmara e Senado e indicações de autoridades, como ministros do Supremo Tribunal Federal e procurador-geral da República.

Além de ministros do STF e procurador-geral da República, o chefe do Executivo também indica dirigentes de autarquias e agências reguladoras. Antes de serem empossados, porém, os indicados precisam passar por sabatina dos senadores e serem aprovados em plenário durante votação secreta.

A abertura dos votos para cassação e vetos valerá apenas para Câmara, Senado e sessões conjuntas do Congresso. O texto original, aprovado na Câmara em setembro, estendia o fim do voto secreto também para assembleias legislativas dos estados e câmaras municipais, mas esse trecho foi excluído pelos senadores.

A abertura total dos votos no Congresso ganhou força após a votação secreta, em agosto, que manteve o mandato do deputado Natan Donadon (sem partido-RO), condenado por peculato e quadrilha pelo STF e preso na Penitenciária da Papuda, em Brasília.

Divergência
Durante a votação, senadores divergiram se mantinham ou não sigilosa a votação para escolha dos membros das Mesas Diretoras da Câmara e do Senado, conforme determina regimento interno das Casas. A manutenção só foi possível porque o plenário rejeitou um destaque que abria todos os tipos de deliberações do Poder Judiciário.

O senador Rodrigo Rollemberg (PSB-DF) foi um dos senadores que criticou a retirada desse dispositivo. "A eleição da Mesa não é tratada do ponto de vista da Constituição. Se tivesse sido aprovado o texto que a gente queria, proibiria qualquer tipo de votação secreta, e, com isso, também a eleição da Mesa. Como não foi proibido, isso ficará no âmbito regimental".

Pedro Taques (PDT-MT), por outro lado, defendeu que todas as votações, com exceção das indicações de autoridades, deveria ser aberta, independentemente do que diz o regimento interno.

"A regra é votação aberta. Excepcionalmente possível fechá-la desde que a Constituição determine. Se o regimento dessa casa isso estabelece, ele é inconstitucional. Entender que alteramos a Constituição e permitimos que o regimento diga de forma adversa, isso é um absurdo", afirmou Taques.

O entendimento de Taques foi seguido pelo relator da matéria na Comissão de Constituição e Justiça, Sérgio Souza (PMDB-PR). "A regra da Constituição é voto aberto. Quando o voto é secreto ele é explicitado [no texto constitucional]", disse. Para ele, a aprovação – ainda que parcial – da PEC se deu devido à "pressão da sociedade".

O senador Aécio Neves (PSDB-MG) se manifestou sobre o tema apenas no final da discussão, quando plenário já tinha decidido pelo fim da votação secreta nas apreciações de vetos. O tucano, provável candidato à Presidência da República em 2014, defendeu o sigilo alegando "fortalecimento" do Parlamento frente o Executivo.

"Eu não gostaria, aqui, no momento em que caminhamos para o final dessa votação, de pecar pela omissão", disse. "O voto secreto para avaliação de vetos presidenciais é um instrumento do Parlamento, de fortalecimento do Parlamento, de defesa do Parlamento. Gostaria de ter tido a oportunidade de poder ter aprovado o veto secreto apenas nessa circunstância, mas isso é voto vencido", afirmou Neves.

Deixe seu Comentário

Leia Também

MS EM DESTAQUE
MS é reconhecido por sua política de assistência social e direitos humanos
AÇÕES DO GOVERNO DE MS
Governo de MS reforça segurança pública e entrega 127 novas viaturas e 590 previsto para 2021
AÇÕES DO GOVERNO DE MS
Em entrega de motoniveladoras, governador anuncia mais de mil equipamentos para agricultura familiar
AÇÕES DO GOVERNO DE MS
Reinaldo Azambuja troca secretários para dar mais dinamismo à administração
MINI REFORMA
Comandos da Delegacia Geral e Corpo de Bombeiros mudam em MS
Riedel é considerado o homem forte de Reinaldo Azambuja - Crédito: The Report Company NOVO COMANDO
Riedel assume obras para comandar maior empreita da história de MS
INVESTIMENTOS DO GOVERNO MS
Obra do HR de Dourados avança e população já comemora ampliação de leitos para região
AÇÕES DO GOVERNO DE MS
Governo de MS entrega 28 motoniveladoras e 127 viaturas nesta segunda-feira
AÇÕES DO GOVERNO MS
Governo do Estado amplia benefícios e garante competitividade do setor atacadista no MS
AÇÕES DO GOVERNO DE MS
Com mais de 200 Km da rodovia, operação tapa-buraco na MS-040 deve terminar na próxima semana