Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
quinta, 3 de dezembro de 2020
SADER_FULL
Busca
CIA DO BICHO
eleições 2014

Se não for agora, PMDB e PT devem se unir no segundo turno em MS

14 Fev 2014 - 10h48Por Dourados Agora

Aliados no plano nacional, PT e PMDB têm ainda problemas para resolver em Estados como Rio de Janeiro, Maranhão, Paraíba e Mato Grosso do Sul. No entanto, se não for agora, são grandes as chances de aliança entre os rivais em eventual segundo turno das eleições.

A leitura que se faz hoje é que há grande possibilidade de segundo turno no Estado em caso de pulverização de candidaturas, já que, além da participação do prefeito de Dourados, Murilo Zauith (PSB), o deputado federal Reinaldo Azambuja (PSDB) avisou que entrará na disputa na eventualidade de PMDB e PT se juntarem em Mato Grosso do Sul.

Em Brasília, o governador André Puccinelli, principal articulador político do PMDB no Estado, deve ser aconselhado pela presidente Dilma Rousseff a convencer o ex-prefeito de Campo Grande, Nelsinho Trad (PMDB), a abrir mão de sua candidatura em favor do senador Delcídio do Amaral (PT).

A ideia é que, além do governador, que já declarou publicamente apoio a reeleição de Dilma, o PMDB se inclua no projeto, reeditando no Estado a aliança nacional que tem como candidato a vice-presidente da República, Michel Temer (PMDB-SP).

Essa proposta sempre foi defendida publicamente pelo presidente da Assembleia Legislativa, Jerson Domingos, mesmo diante da resistência do lado conservador do PMDB. Jerson sempre foi simpático a candidatura de Delcídio, tendo o seu partido no mesmo palanque.

Há informação de que André irá anunciar, como já antecipou à imprensa, sua candidatura ao Senado no dia 6 de abril na chapa petista, tendo como suplente o nome de Nelsinho, atualmente secretário de Estado de Articulação com os Municípios.

Com a eventual renúncia de André, a vice-governadora Simone Tebet (PMDB) concluiria o segundo mandato do PMDB no Estado.

Para analistas, como o governador pensa na prefeitura da Capital em 2016, a acomodação política seria ideal para que o PMDB continuasse no Senado em caso de vitória nas próximas eleições municipais.

O projeto inclui ainda o nome do deputado federal licenciado Edson Giroto (PR) como vice na chapa petista.

NACIONAL

Principal aliado na base do governo Dilma, o PMDB é disputado por PT e PSDB em três Estados que, juntos, concentram 20% do eleitorado: Minas Gerais, Paraná e Ceará, segundo o jornal Folha de São Paulo.

Além disso, o aliado no plano nacional já definiu que estará contra o PT na disputa local em ao menos quatro Estados: Bahia, Rio Grande do Sul, Pernambuco e Piauí.

Secretário-geral do PSDB, o deputado federal Mendes Thame não esconde a intenção de atrair o aliado de Dilma. "Não temos uma campanha para presidente da República, temos 27 campanhas e precisamos nos fortalecer em 27 Estados", disse o tucano.

Apesar de peemedebistas reconhecerem que são remotas as chances de desembarque do governo, a preocupação no PT é que o aliado libere diretórios estaduais para apoiar adversários de Dilma na disputa presidencial.

"Nossa prioridade é reeleger a Dilma. Evidente que precisamos de um PMDB unido em todos os Estados no palanque dela", afirma o presidente do PT-RS, Ary Vanazzi.

Além do presidente nacional do PT, Rui Falcão, o ex-presidente Lula também fará uma rodada de conversas nos Estados que mais preocupam, como no Ceará e Mato Grosso do Sul.

O senador Eunício Oliveira (PMDB-CE) tem repetido que não abre mão de concorrer ao governo e que, se for dispensado pelo PT, estará aberto a uma aliança com o PSDB.

Líder nas pesquisas no Estado, Eunício já foi procurado pelo senador e presidenciável tucano Aécio Neves (PSDB-MG) para fechar uma chapa com o ex-governador Tasso Jereissati (PSDB), que disputaria uma na vaga ao Senado.

Ainda segundo a publicação, no Ceará, o PT tem compromisso de apoiar o nome indicado pelo governador Cid Gomes (Pros), que, para apoiar Dilma, rompeu com o PSB, do pré-candidato ao Planalto Eduardo Campos (PE).

Em Minas, o PMDB se divide em três correntes.

A maioria defende a candidatura do senador Clésio Andrade. Parte quer indicar o ministro Antônio Andrade (Agricultura) como vice de Fernando Pimentel (PT).

Menos provável, mas usado como carta para negociar espaço na Esplanada, é o apoio ao PSDB, cujo candidato mais cotado hoje é o ex-ministro Pimenta da Veiga.

O presidente do PMDB mineiro, deputado Saraiva Felipe, aponta a falta de diálogo da cúpula com os diretórios estaduais como causa das dissidências. "É a primeira vez que não tem uma reunião para tentar adequar [as alianças]. É como se tivesse um 'liberou geral'", disse.

No Paraná, tucanos querem indicar o deputado Osmar Serraglio (PMDB) para vice do governador Beto Richa (PSDB), favorito nas pesquisas. Os dois são aliados, e Serraglio tem a seu favor o comando do diretório estadual.

Já as negociações do lado da candidata petista, Gleisi Hoffmann, ocorrem no plano nacional. O vice-presidente Michel Temer (PMDB) vê na candidatura do senador Roberto Requião (PMDB) a única chance de levar a disputa ao segundo turno.

Alguns casos já são considerados batalha perdida, como Bahia e Rio Grande do Sul, onde historicamente o PMDB faz oposição ao PT, e Pernambuco, onde o aliado apoiará o candidato do governador e presidenciável Eduardo Campos (PSB).

No Piauí, a avaliação de peemedebistas é que a ruptura poderia ter sido evitada. Lá, foi o PT quem rompeu com PMDB, após cobranças para apoiar o aliado.

Deixe seu Comentário

Leia Também

INVESTIMENTOS DO GOVERNO MS
Parque dos Poderes vai ganhar primeira revitalização em mais de três décadas
NOVOS PRAZOS
Detran-MS alerta para retomada de prazos que estavam suspensos por conta da pandemia
NOTA PREMIADA MS
No combate à sonegação fiscal, Nota MS Premida distribui R$ 3 milhões em prêmios
AÇÕES DO GOVERNO DE MS
Conselho do PPI qualifica relicitação das concessões da Malha Oeste e da BR-163
128177839_3626238317444161_664616014474920901_o AÇÕES DO GOVERNO DE MS
Reinaldo Azambuja destaca realização do sonho da casa própria para cerca de 23 mil famílias de MS
PRORROGADO
Deputado Barbosinha articula com governo e consegue prorrogar validade do concurso da Agepen
VALORIZAÇÃO
Com 13º integral pela primeira vez, professora da REE agradece pela valorização dos convocados em MS
EM BRASÍLIA
Em Brasília, Reinaldo Azambuja pede inclusão de rodovia Sul-fronteira no Orçamento da União
GESTÃO EFICIENTE
Com gestão eficiente, Governo paga 13° salário dos servidores nesta terça-feira
VICENTINA - SICREDI CHEGOU!
Inauguração do Sicredi é mais um passo dado no caminho do desenvolvimento, diz prefeito de Vicentina