Menu
SADER_FULL
segunda, 30 de novembro de 2020
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ZANZI
eleições de 2014

Rivais no plano nacional, PSDB e PT montam plano para destronar PMDB em MS

28 Mar 2014 - 16h35
Enquanto em nível nacional o PSDB quer investigar o governo da presidente Dilma Rousseff por meio da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Petrobras, em Mato Grosso do Sul o partido está disposto a se unir ao PT se for para destronar o PMDB do governo. 
 
Essa leitura foi feita pelo deputado federal Reinaldo Azambuja (PSDB) em entrevista à imprensa da Capital na quinta-feira. 
 
Reinaldo é lembrado para disputar o Senado nas eleições de outubro na chapa a ser encabeçada pelo senador Delcídio do Amaral, pré-candidato do PT à sucessão do governador André Puccinelli (PMDB). 
 
Para o tucano, o fato de o PSDB ter o senador Aécio Neves (PSDB-MG) como candidato da oposição a Dilma, não impede de se unir ao PT no Estado se for para derrotar o PMDB, aliados dos petistas no plano nacional, nas eleições deste ano. 
 
“O que nos une em nível estadual é o combate aos oito anos de atraso que o PMDB causou”, disparou o deputado em entrevista ao Midiamax, ao afirmar que o fato de ter assinado o requerimento de criação da CPI da Petrobras  não atrapalha sua aliança com Delcídio em Mato Grosso do Sul. 
 
Ele justifica que assinou a CPI por entender que todas as denúncias têm de ser apuradas e que o colegiado tem apenas o papel de investigar e não de condenar. 
 
Pensamento semelhante tem o presidente regional do PSDB, deputado estadual Márcio Monteiro, que está semana distribuiu nota à imprensa em favor da CPI. 
 
Em Brasília, o senador Ruben Figueiró (PSDB-MS) assinou a CPMI para investigar a compra da refinaria de Pasadena, no Texas (EUA). 
 
No início da tarde de terça-feira, Figueiró foi à tribuna do Senado para defender a instalação da comissão para investigar os negócios internacionais da Petrobras, especialmente a aquisição da refinaria em Pasadena, que causou um prejuízo de mais de US$ 1 bilhão à estatal brasileira.
 
Para Figueiró, é legítimo que a oposição questione a compra da refinaria dos Estados Unidos, um negócio em que há suspeita de superfaturamento e evasão de divisas, já que a refinaria valia bem menos do que a Petrobras pagou por ela.
 
Apesar de focos de resistência, Delcídio e Reinaldo articulam uma composição na tentativa de derrotar o grupo político liderado pelo governador, da mesma forma com que fizeram nas eleições municipais de 2012, quando PT e PSDB se uniram no segundo turno em favor da candidatura de Alcides Bernal (PP), que venceu a disputa contra o deputado federal Edson Giroto (PMDB). 
 
A ideia dos dois líderes políticos é impedir a ascensão do ex-prefeito de Campo Grande, Nelsinho Trad, pré-candidato do PMDB ao governo estadual. 
 
OPOSIÇÃO 
 
Em Brasília, a oposição apresentou na quinta-feira o pedido de criação da CPI da Petrobras no Senado. A comissão vai investigar suspeitas de irregularidades na estatal como a compra da refinaria de Pasadena (EUA), que envolve a presidente Dilma Rousseff, e a suspeita de que a empresa holandesa SBM Offshore, que aluga plataformas a companhias de petróleo, teriam pago suborno a funcionários da estatal.
 
Também vai investigar suposto superfaturamento de refinarias e irregularidades em plataformas da estatal.

Deixe seu Comentário

Leia Também

REFORÇO NO COMBATE A COVID-19
Governo de MS abre processo seletivo para 80 profissionais de saúde para o Hospital Regional
JATEÍ - BALANÇO POSITIVO
JATEÍ: Reeleito, Eraldo cita obras, ações e resgate da história 'Fechando gestão com chave de ouro'
AÇÕES DO GOVERNO DE MS
Em Caarapó, Reinaldo Azambuja inaugura indústria com 300 empregos e entrega reforma de escola
PÁTIO ZERO
VEJA COMO PARTICIPAR: Detran-MS abre três leilões com mais de 700 motocicletas nesta terça-feira
NOTA MS PREMIADA
SERÁ QUE FOI VOCÊ: Mais de R$ 640 mil ainda não foram resgatados do Nota MS Premiada
VALORIZAÇÃO
Salários dos mais de 79 mil servidores estaduais será depositado nesta sexta e disponível no sábado
PREFEITO
Sul Mato grossense perfumeiro desbanca atual prefeito e vence eleição em Foz do Jordão-PR
JAIME VERRUCK. Secretário de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar de Mato Grosso do Sul - Álvaro Rezende/Correio do Estado RELAÇÃO COMERCIAL
"A China é um mercado prioritário para MS", diz secretário
AÇÕES DO GOVERNO MS
Com delegacia virtual, Governo amplia combate a violência contra as mulheres
Política
Estado de MS destina novos equipamentos de borrifação aos municípios no combate ao Aedes Aegypti