Menu
SADER_FULL
terça, 18 de maio de 2021
Busca
CPI DA COVID NO SENADO

Pazuello entra em quarentena um dia antes de depor na CPI da Covid

O senador Omar Aziz (PSD-AM), presidente da CPI da Covid

4 Mai 2021 - 16h19Por JD1

O senador Omar Aziz (PSD-AM), presidente da CPI da Covid, disse na abertura da sessão desta terça-feira (4) que o depoimento do ex-ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, deve ser adiado. O depoimento de Pazuello está marcado para a quarta-feira (5).

De acordo com o jornal O Globo, Aziz disse que foi informado de que Pazuello teve contato com dois coroneis infectados com Covid e, por isso, decidiu entrar em quarentena. Ainda segundo o senador, Pazuello deverá mandar um comunicado à CPI informando o fato. Pazuello teve a doença no ano passado.

“O ministro Pazuello, vai chegar um comunicado aqui, eu fui comunicado hoje [terça] de manhã. O ministro Pazuello teve contato com dois coronéis auxiliares dele esse final de semana que estão com Covid. Segundo a informação que eu tenho, ele vai entrar em quarentena e não virar depor amanhã [quarta]. Essa é a informação, não é oficial, é extraoficial”, afirmou Aziz.

O presidente da CPI deu a informação antes do início do depoimento desta terça, do ex-ministro Luiz Henrique Mandetta.

Pelo cronograma da CPI, Mandetta falará nesta manhã e o sucessor dele no ministério, Nelson Teich, falaria na tarde desta terça.

De acordo com Aziz, se for confirmado o adiamento de Pazuello, a fala de Teich deve passar para a quarta-feira.

“Eu acho que se amanhã [quarta], caso não venha o ex-ministro Pazuello, eu estou pedindo para que, pedi para o meu gabinete entrar em contato com o ministro Teich para que fizéssemos com ele amanhã e hoje só ouviríamos o ministro Mandetta".

Expectativa para o depoimento

O depoimento de Pazuello é um dos mais esperados na CPI. General da ativa do Exército, ele assumiu o ministério após as saídas de dois ministros que não concordavam com as diretrizes do presidente Jair Bolsonaro: Mandetta e Teich.

Em outubro do ano passado, logo após ser desautorizado pelo presidente sobre compra da vacina CoronaVac (Bolsonaro era contra), Pazuello disse: "É simples assim: um manda e o outro obedece".

Pazuello era o ministro quando o governo recusou oferta de compra de 70 milhões de doses da vacina da Pfizer para serem recebidas em dezembro de 2020. Foi também durante a gestão dele que o sistema de saúde de Manaus entrou em colapso, registrando falta de oxigênio hospitalar e filas de vagas em UTIs.

Deixe seu Comentário

Leia Também

DEODÁPOLIS - NOVO DECRETO
Feiras livres, academia, novo toque de recolher e outros, confira o que fica proibido em Deodápolis
RIEDEL AÇÕES DO GOVERNO DE MS
Em reunião com setores, Riedel elenca três pilares para retomada da economia em MS
AÇÕES DO GOVERNO DE MS
Riedel acompanha obras em Dourados, reúne-se com lideranças e ouve demandas da população
AÇÕES DO GOVERNO MS
Itaipu Binacional garante a Reinaldo Azambuja licitação da ponte internacional em julho
AÇÕES DO DEPUTADO BARBOSINHA
Emenda de Barbosinha aperfeiçoa funcionalidade do Cartório Virtual em MS
AÇÕES DO GOVERNO DE MS
Ponte sobre o córrego da Figueira traz segurança a moradores da região do Mané Manco, em Coxim
AÇÕES DO GOVERNO DE MS
Semana foi marcada pelo reforço de 610 policiais civis e militares em MS
AÇÕES DO GOVERNO DE MS
Levantamento da Agraer abriu caminho para entrega de 1,1 mil títulos em assentamentos no MS
PRESIDENTE NO MS
"Não é favor, é missão nossa", diz Bolsonaro em entrega de títulos a assentados de MS
PROTESTOS
Vídeo: visita do presidente tem ato 'fora Bolsonaro' em Campo Grande