Menu
SADER_FULL
domingo, 28 de fevereiro de 2021
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
política na capital

Com Bernal desesperado, partidos fazem leilão de cargos entre prefeitura e governo

8 Nov 2013 - 16h01Por Mídia Max

A busca desesperada do prefeito Alcides Bernal (PP) pela salvação do mandato pode render bons frutos para os partidos que têm representantes na Câmara. Desesperado para conseguir 10 votos e derrubar a Comissão Processante, o prefeito tem tentado a todo custo atrair aliados e pode pagar um preço bem caro para conseguir até partido com número inexpressivo de vereadores na Câmara.

Após promessa ao PT, de que ampliaria a base, o prefeito deu início à busca com reunião com o PTB, que traiu ele na votação para abrir a comissão processante. Na última hora, Edson Shimabukuro (PTB) disse que ouviu o partido e pessoas que o elegeram e trocou o voto, ajudando a abrir a comissão que pode cassar o mandato. Mesmo com a traição, o prefeito não se mostrou magoado e pediu para o PTB informar o que precisa para apoiar a administração.

Experiente, o presidente estadual do PTB, Ivan Louzada, reuniu o partido e já começou a colocar na balança se será mais vantajoso apoiar o prefeito ou continuar no barco do governador André Puccinelli (PMDB), onde tem vários cargos pelo Estado. A decisão poderia ser mais fácil se o prefeito não corresse o risco tão grande de sair antes dos quatro anos. Neste caso, sem o risco, seria fácil escolher a prefeitura, já que os indicados do partido teriam mais três anos de salários garantidos.

O vereador Edson Shimabukuro confirma o “quem da mais” quando lembra que o PTB tem uma parceria com o governador, que inclusive lhe fez mudar de voto e ser favorável a abertura da comissão processante. “Antes de qualquer acordo com o prefeito, tem que desfazer com o governador. Se o governador oferecer este espaço também, tem que decidir em nível do PTB. Agora é o PTB. Já coloquei as posições que vinha tendo. Tinha liberdade, agora o prefeito foi procurar o presidente estadual do PTB”, justificou.

Shimabukuro contou que antes de votar a favor da comissão foi chamado por Puccinelli para uma conversa. No encontro, o governador pediu para o vereador votar a favor da abertura da comissão, alegando que a investigação não era a condenação. “Ele me disse que não votaria pela condenação, mas que se o prefeito tivesse correto, provaria. Não é que o mandato dele já iria embora. Daria a chance de defesa”, contou.

Secretário Articulando

Pedro Chaves nem bem chegou e já está atuando fortemente para garantir novos aliados. Porém, já iniciou a busca querendo privilegiar o próprio partido, o PSC. Em vez de priorizar siglas com maior número de vereadores, o que poderia ajudar mais, ele está tentando convencer o PSC, que nem tem mandato garantido, a apoiar Bernal.

Juliana Zorzo assumiu o mandato por um arranjo de Puccinelli, que promoveu Herculano Borges para a secretaria de Juventude. Porém, Herculano trocou o PSC pelo Solidariedade e Juliana pode perder o mandato a qualquer momento. Ciente da fragilidade do mandato, a vereadora resiste em ir para a base, mas Pedro Chaves já informou que ela pode ser abrigada na administração de Bernal se perder o cargo. A vereadora é cotada para assumir a secretaria da Juventude, que ainda está vaga na administração de Bernal.

A ampliação do número de aliados é uma das condições dadas pelos sete vereadores para continuarem apoiando o prefeito. O líder de Bernal, Alex do PT, já declarou que é inconcebível aceitar as goleadas que tem tomado na Câmara com tantos cargos vagos que poderiam atrair novos partidos. Todavia, o PT alega que não quer cargos, mas condições de defender o prefeito. Apesar de negar a busca por cargos, o PT enfrenta críticas até de filiados. Insatisfeito, Zeca chegou a dizer que não foi a posse de Pedro Chaves porque não é da "ala da boquinha".

Bernal já tentou, pessoalmente, conseguir o apoio do PSB, do vereador Carlão. Porém, ainda não definiu qual o espaço que dará ao partido. O vereador já informou que não pode assumir o ônus de virar base do prefeito sem ter espaço para o partido, que deseja, pelo menos, uma secretaria do tamanho da Semadur.

A dificuldade de Bernal com o PSB será a mesma que terá se conseguir convencer o PDT a integrar a base. Paulo Pedra chegou a defender Bernal na Câmara, mas desistiu depois que o presidente estadual do partido, João Leite Schimidt, assumiu o controle e o proibiu de falar em nome da sigla. Para valorizar o partido, Schimidt disse a Pedro Chaves que é difícil apoiar Bernal, visto que o PDT esteve em palanque oposto em 2012.

Além de PDT, PSB e PTB, Bernal ainda terá que arrumar cargos para partidos que estão com um representante na base, como PSDB e PPS. Resistente, João Rocha continua na base, mesmo sem autorização do PSDB. Porém, para conseguir apoio integral dos tucanos, que ainda tem na Câmara a vereadora Rose Modesto, Bernal terá que contornar a insatisfação pelo desrespeito com o diretório estadual, que não teve espaço na administração, e ainda oferecer secretarias.

Na gestão de Nelsinho Trad (PMDB) o PSDB participou com duas secretarias, a de Educação e a Funesp. Bernal até tentou seguir o exemplo de Nelsinho, dando cargos a José Chadid e Leila Machado. Porém, o PSDB considerou as indicações pessoais, expulsou Chadid e pode expulsar Leila se ela não deixar o cargo.

Soma-se a insatisfação do PSDB o desrespeito de Bernal com Athayde Nery, presidente estadual do PPS. Ele foi convidado por Bernal para trabalhar como articular político, mas viu o prefeito indicar Pedro Chaves, sem ao menos informar que ele seria preterido.

Divulgação
 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

AÇÕES DO GOVERNO DE MS
Com novo cronograma, complexo hospitalar de Corumbá está com 85% de sua estrutura pronta
AÇÕES DO GOVERNO DE MS
Inédita no país, granja em Dourados usa ração líquida e novas tecnologias da Suinocultura 4.0
AÇÕES DO GOVERNO DE MS
Governo de MS paga R$ 392 milhões em salários nesta segunda-feira
AÇÕES DO GOVERNO DE MS
Mineradora anuncia projeto de R$ 40 milhões para extração de basalto em Inocência
NOVO AUXILIO
Presidente afirma Auxílio emergencial deve voltar em março, com parcelas de R$ 250
VACINAS POR MUNICÍPIOS
Confira quantas doses de vacina contra a Covid cada município está recebendo neste 5º lote em MS
Governo de Mato Grosso do Sul desmente boatos de redução de 20% nos salários dos servidores públicos  Foto: Redes sociais FAKE NEWS
Governo de MS desmente boatos de redução de 20% nos salários dos servidores públicos
AÇÕES DO GOVERNO MS
Investimento em saneamento ultrapassa os R$ 5 milhões em Mundo Novo
AÇÕES DO GOVERNO DE MS
Governo de MS congela pauta fiscal da gasolina e garante economia ao consumidor
Foto: Cyro Clemente - assessoria presidência da Casa AÇÕES DEPUTADO EDUARDO ROCHA
Eduardo Rocha compõe união de esforços para o não fechamento de Frigorífico em Coxim