Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
sexta, 7 de agosto de 2020
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
BANNER ECO TOUR
capital - bastidores

Bernal pediu uma semana, mas PT deu até terça para ele dar lugar a 'quem gosta'

24 Out 2013 - 09h15Por Mídia Max

O prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP), baixou a guarda e pediu para o PT dar mais um prazo para que ele pensar como conseguirá atender as solicitações necessárias para que o partido continue na fragilizada base de sustentação dele na Câmara e fazendo parte da administração, onde tem Thais Helena e Semy Ferraz.

Bernal chegou a dizer que é o responsável pelas indicações no governo e que o PT precisaria avaliar o peso dele para a eleição de 2014, mas acabou se rendendo e ligando para o presidente municipal do PT, Gildo Oliveira, solicitando prazo até quarta-feira (30) para decidir o que fazer.

O vereador Zeca do PT contou que após o telefonema, Gildo ligou para a bancada do PT, que decidiu esperá-lo só até terça-feira (29), quando ele promete fazer ponderações e mudanças solicitadas. “É pra valer. Está todo mundo muito descontente. A decisão é dele, mas são condições para dar musculatura para ele sair da enrascada e andar para frente”, garantiu Zeca.

Zeca entende que o prefeito só sairá desta rede que parou a administração se seguir os conselhos dados ao PT por meio de uma carta, que inclui até a indicação de um articular para fazer a política que ele não consegue.

“Tem que sair desta rede que está metido, que parou a administração, e poder andar. São quatro elementos básicos: conselho político, com principais partidos que vão continuar com ele; imediata indicação de um articulador político, para fazer o que ele não gosta, porque o Bernal não gosta de política; fazer de fato um governo de coalizão e ter um espaço mínimo de relação respeitosa com o legislativo”, detalhou.

O vereador diz que a decisão de ficar ou não com o PT só depende do prefeito, que precisará atender as reivindicações. Zeca ressalta que a saída ou não será uma decisão da bancada de vereadores e do diretório municipal, sem interferência de deputados ou senador.

“Eles podem até opinar, mas a decisão será da executiva com a bancada. Sempre achamos que estava tentando entender a administração, porque sei que leva um tempo. É uma cidade com quase um milhão de habitantes, com vícios que herdou do PMDB, não é fácil. Mas, não tem alternativa. A situação do Bernal é crítica”, concluiu.

Deixe seu Comentário

Leia Também

DEODÁPOLIS - PESQUISA IMPUGNADA
Por risco de manipulação de dados, TRE/MS mantem pesquisa de Sartor impugnada em Deodápolis
INVESTIMENTOS DO GOVERNO MS
Com investimento de R$ 25 milhões, duplicação da MS-156 começa nas próximas semanas
FÁTIMA DO SUL - EMENDAS DA SENADORA
Entre construção do Corpo de Bombeiros e saúde, Simone já destinou R$ 1,8 milhão para Fátima do Sul
JATEÍ - TRABALHOS RETOMADOS
Reeducandas retomam trabalho de limpeza urbana com adoção de medidas preventivas em Jateí
RETORNO ÀS AULAS EM MS
MS discute estratégias de retorno às aulas presenciais de forma segura
PONTE DE MADEIRA
Fogo 'engole' ponte e Agesul trabalha para liberar tráfego na MS-228
JATEÍ - PESQUISA REGISTRADA
Eraldo tem 71,2%, indica instituto London Pesquisas, veja os números em Jateí
AÇÕES DO GOVERNO DE MS
Polícias e Bombeiros do MS recebem R$ 50 milhões em investimentos do Governo do Estado
AGRICULTURA FAMILIAR
Fátima do Sul, Glória e Deodápolis receberão caminhões para conservação de estradas 5ª feira
LOCKDOWN
Governador recomenda lockdown, mas diz respeitar autonomia dos municípios