Menu
SADER_FULL
terça, 4 de agosto de 2020
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Política

Bernal ignora ameaças e não procura PT e PSDB para conversar

26 Out 2013 - 10h58Por Midia Max

Até a manhã deste sábado (26) o prefeito Alcides Bernal (PP) não procurou lideranças do PT e PSDB para conversar sobre o futuro dele na Câmara de Campo Grande. No começo da semana o PT informou que na quinta-feira (24) poderia deixar a administração, mas o prefeito pediu um tempo, informando que até terça-feira (29) anunciaria mudanças.

Esperançosos, os vereadores Alex do PT e João Rocha (PSDB) disseram que o prefeito chamaria os partidos para conversas no fim de semana. Porém, até o momento, Bernal ainda não entrou em contato com nenhuma das lideranças do PT ou PSDB.

O presidente estadual do PT, Marcus Garcia, informou que o partido deu prazo até terça-feira para Bernal se posicionar, mas até agora não foi chamado para nenhuma conversa. Ele acredita que o prefeito deixará a conversa para o último dia.

O PT informou ao prefeito que só continua na base se ele nomear um secretário de Governo, ampliar a base de sustentação, criar um conselho político e melhorar a relação com a Câmara. O partido tem com o prefeito as secretarias de Obras, com Semy Ferraz, e de Assistência Social, com Thais Helena. A saída do partido também pode influenciar na Câmara, já que Alex do PT só assumiu a vaga depois que Thais foi para a secretaria, visto que ele é primeiro-suplente dela.

O presidente municipal do PSDB, Carlos Alberto de Assis, também informou que até o momento o partido não foi chamado para reunião com Bernal. Porém, deixou claro que o PSDB não está deixando o prefeito, visto que nunca fez parte da administração.

“O pessoal está falando que o PSDB abandonou. O PSDB nunca esteve dentro. Participou da eleição, tinha que escolher alguém e no segundo turno apoiou ele, mas não foi convidado para a festa.Você não pode sair de onde nunca entrou”, justificou.

O presidente municipal do PSDB afirma que o partido sempre esteve disposto a ajudar, mas não foi recebido pelo prefeito. “Se pede ajuda, eu te ofereço. É uma questão de aceitar. Nós não podemos ajudar quem não quer ajuda”, concluiu.

Sem o PT e o PSDB, Bernal pode decretar o fim da administração, já que enfrenta um processo de cassação na Câmara de Campo Grande, onde precisa de pelo menos 10 votos para continuar. Hoje, ele tem como aliados: Cazuza (PP), Luiza Ribeiro (PPS) e Gilmar da Cruz (PRB), que ainda não disseram que não são mais da base.

Se PT e PSDB saírem, o prefeito perde os votos de Alex do PT, Zeca do PT, Ayrton do PT e João Rocha (PSDB). Os vereadores Rose Modesto (PSDB), Waldecy Chocolate (PP) e Edson Shimabukuro (PTB) já foram da base, mas votaram favoráveis a abertura da comissão processante.

Deixe seu Comentário

Leia Também

AÇÕES DO GOVERNO DO MS
MS quer ampliar vendas de grãos para o Irã
CORONAVÍRUS NO MS
Ministério da Saúde entrega equipamentos e leitos no combate ao covid-19 em Mato Grosso do Sul
ENTREVISTA
Barbosinha sinaliza receita doméstica para boa gestão
SECA DO PANTANAL
Governo de MS socorre pecuária e garante alternativas de escoamento de commodities
INVESTIMENTOS DO GOVERNO MS
Governo equipa todas microrregiões de MS com estrutura de UTI’s-Covid
NOTA MS PREMIADA
CONFERE AÍ: 217 ganhadores da nota MS premiada podem perder R$ 620 mil
BONITO - MS - BALNEÁRIO MUNICIPAL
Balneário Municipal que reabre neste sábado em Bonito (MS), veja como funcionará
DOURADOS - PESQUISA
PESQUISA: Barbosinha lidera com ampla vantagem para Prefeito de Dourados, Veja os números
LOCKDOWN EM CIDADE DE MS
Cidade de MS adota lockdown por 7 dias após registrar 368 casos de covid-19
SAIBA EM QUE FAIXA SUA CIDADE ESTÁ
Prosseguir aponta 03 municípios na faixa preta para Covid-19, veja as 79 cidades de MS no mapa