Menu
SADER_FULL
quarta, 30 de setembro de 2020
SADER_FULL
Busca
ZANZI
PROGRAMA ASSISTENCIAL

Após desistir do Renda Brasil, Bolsonaro autoriza criação de novo programa social

O relator do Orçamento da União para 2021 no Congresso, o senador Márcio Bittar (MDB-AC), anunciou que presidente disse sim para criação de novo programa em reunião nesta quarta (16/9)

16 Set 2020 - 15h01Por Correio Braziliense

O presidente Jair Bolsonaro desistiu do Renda Brasil, mas continua com planos de criar um novo programa social. Após reunião com o presidente nesta quarta-feira (16/9), no Palácio do Planalto, o relator do Orçamento da União para 2021 no Congresso, o senador Márcio Bittar (MDB-AC), anunciou que Bolsonaro autorizou estudos para a área.

“Tomei café da manhã com o presidente da República. Agora, antes do almoço, conversamos mais um pouco, e eu fui solicitar ao presidente se ele me autorizava a colocar dentro do Orçamento a criação de um programa social que possa atender a milhões de brasileiros que foram identificados ao longo da pandemia e que estavam fora de qualquer programa assistencial. O presidente me autorizou”, apontou Bittar.

Porém, o senador não informou qual será a fonte de recurso para a proposta, que será fechada na próxima semana. “Não adianta agora a gente especular da onde que vai cortar, mas estou autorizado pelo presidente. Ele me deu sinal verde e, a partir de agora, vou conversar com os líderes do governo no Senado e na Câmara, conversar com a equipe econômica. Mas, na semana que vem, a ideia é apresentar um relatório que tenha as PECs e também a criação desse programa”.

Por fim, o senador justificou que há 20 milhões de brasileiros desassistidos no país. “O que é fundamental é que, a partir de janeiro, o decreto de calamidade vai ter terminado, mas você tem 20 milhões de brasileiros que vão continuar desempregados. E o Estado precisa deixar esses brasileiros irem dormir no dia 31 de dezembro tranquilos, com o programa já criado, garantindo dignidade humana”, concluiu.

Proibido falar em Renda Brasil

Na manhã de ontem (15), Bolsonaro ameaçou com um “cartão vermelho” a equipe econômica. Em uma publicação nas redes sociais, o chefe do Executivo postou uma mensagem afirmando que “congelar aposentadorias, cortar auxílio para idosos e pobres com deficiência, um devaneio de alguém que está desconectado com a realidade”.

Ele emendou ainda que o governo “jamais tiraria dinheiro dos pobres para dar aos paupérrimos”. Em nova indireta para Guedes, Bolsonaro ressaltou também que os que pensam nesses tipos de medidas “não tem coração”.

Por fim, Bolsonaro anunciou a desistência sobre o programa Renda Brasil, que ficaria no lugar do Bolsa Família. “Até 2022 no meu governo, está proibido falar em Renda Brasil, vamos continuar com o Bolsa Família e ponto final”.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

imagem Google ABERTURA FRONTEIRA
Pedro Juan Caballero vive expectativa da abertura da fronteira
NOTAS FRIAS
Prefeito de cidade de MS é cassado e vice assume
O programa Nota MS Premiada já contabiliza 2.300 sorteados NOTA PREMIADA MS
Oitavo sorteio do Nota MS Premiada acontece nesta quarta-feira
AUXÍLIO EMERGENCIAL DE R$ 300
AUXÍLIO DE R$ 300: Caixa começa a pagar nesta quarta-feira, confira o calendário
Marcela, Patrícia e Ilda disputam à reeleição. ELEIÇÃO 2020
Com 79 municípios, mulheres são candidatas à prefeitura em apenas 29 cidades de MS
Para Simone, ações preventivas e equilíbrio entre agro e ambientalistas são essenciais para evitar nova destruição no Pantanal PANTANAL EM CHAMAS
Pantanal: Para Simone, ações preventivas entre agro e ambientalistas são essenciais para evitar nova
VICENTINA - COMEÇOU
Confira os nomes dos 33 candidatos a vereadores e números de cada um em Vicentina
AÇÕES DO GOVERNO MS
Governo do MS dá início ao processo de licitação para restauração do Centro Cultural José Octávio
INVESTIMENTOS DO GOVERNO MS
Governo investe R$ 5,4 milhões em munições para a Polícia Civil e Militar
GLÓRIA DE DOURADOS - COMEÇOU
Confira os nomes dos 78 candidatos a vereadores e números de cada um em Glória de Dourados