Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
sexta, 26 de fevereiro de 2021
SADER_FULL
Busca
CAMPO GRANDE

Pedreiro manteve outras duas famílias em cárcere privado por 11 anos

3 Jan 2014 - 10h01Por Campo Grande News

Anterior ao casamento com Cira da Silva, 44 anos, e os quatro filhos, de 15, 13, 11 e cinco anos, mantidos sob tortura e agressões por 22 anos, o pedreiro Ângelo da Guarda Borges, 58 anos, ainda agiu da mesma maneira nos relacionamentos anteriores. Segundo o filho mais novo do primeiro casamento, eles trancou a 1ª mulher por cinco anos, até ela abandonar o imóvel. Após isso, ele se envolveu com uma outra mulher por mais seis anos, agindo da mesma maneira, conforme o depoimento da vítima.

"Foram 11 anos, juntando as duas esposas, que ele agia da mesma maneira. Após isso, ele conheceu a Cira e mantinha o comportamento que todos nós já conhecemos", afirma a delegada Rosely Aparecida Molina, responsável pelas investigações.

Além do cárcere, a filha de 37 anos confessou ter sido estuprada pelo pai quando tinha dez anos. Os abusos ocorreram por cinco anos. Ontem (2), a Polícia ainda ouviu o irmão da vítima, que confirmou o mesmo comportamento do pedreiro. “A conversa dele era a mesma, de que não sairíamos de casa para não nos transformarmos em bandidos”, disse Cláudio de Brito Borges, 34 anos.

Atualmente Cláudio, que nasceu no Tocantins, reside em Goiânia. “Já fizemos o pedido para que ele seja ouvido por carta precatória, porém, em conversa informal por telefone, o filho comentou sobre as agressões e o cárcere que vivia, ressaltando o comportamento que já conhecemos do suspeito com a segunda família”, afirma a delegada.

Nas palavras do filho, o pai seria preso “uma hora ou outra”, principalmente por “aprontado a vida inteira”. Com a oitiva formalizada, diligências, além de colegas de trabalho de Ângelo que já foram intimados, a Polícia pretende finalizar o inquérito nos próximos dez dias.

“Temos os depoimentos e respostas de solicitações, como a dos postos de saúde para saber se a atual mulher fez o pré-natal dos filhos e se eles já obtiveram atendimento médico. Após isso, vamos concluir o inquérito policial”, afirma a delegada.

Ajuda – Com relação à família, mantida por mais de 20 anos em cárcere, conforme a Polícia, a delegada conta que muitas pessoas se sensibilizaram para ajudar as vítimas, tanto Cira quanto os filhos.

 
Pedreiro permanece na 4ª D.P. Foto: Arquivo/ CG NewsPedreiro permanece na 4ª D.P. Foto: Arquivo/ CG News

“Eles continuam em um abrigo, já fizeram o cartão do SUS (Sistema Único de Saúde), estão recebendo atendimento psicológico e muitas doações de alimentos, roupas e até presentes para as crianças neste período de datas festivas. Já o suspeito permanece preso na 4ª Delegacia de Polícia”, finaliza a delegada.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CARCERE PRIVADO
Homem é preso por cárcere privado e violência doméstica após mulher pedir socorro com foto nas redes
MUNDO DO CRIME
Após morrer de Covid-19 no mesmo dia, casal tem oficina invadida e furtada
VAMOS AJUDAR - COMPARTILHE
Jovem desaparece com namorado e família faz buscas em Aquidauana
ESTUPRO DE VULNERÁVEL
Idoso invade barraco e abusa de criança de 11 anos em Maracaju
ABUSO SEXUAL
Esposa de pastor sabia de abusos sexuais contra fiel no Macaúbas; igreja é fechada em MS
TENTATIVA DE LATROCINIO
Major aposentado do Exército é baleado por assaltantes em Campo Grande
ENCONTRADA
Jovem de Glória de Dourados que estava desaparecida procura por atendimento no hospital de Itaporã
AÇÕES DO GOVERNO DE MS
Governo de MS reforça segurança pública e entrega 127 novas viaturas e 590 previsto para 2021
ENCONTRADA
Professora que desapareceu em Campo Grande ao sair para almoço de família é encontrada
SONAMBULA
Fisioterapeuta cai de janela de hotel após crise de sonambulismo