Menu
SADER_FULL
segunda, 30 de novembro de 2020
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ZANZI
violência sem limite

Mãe paga R$ 150 para dupla matar filho adolescente

Acusada é separada, não tem emprego fixo, e mãe de mais três filhos

12 Mar 2014 - 08h35Por Bol

Cristiane Aparecida de Oliveira de 31 anos, confessou à Polícia Civil de Minas Gerais ter encomendado a morte de seu filho Pablo de Oliveira Santana de 15 anos. O adolescente foi morto por Antônio Célio Máximo (que desferiu cerca de 30 facadas no jovem) e Marcelo Henrique Alves (que o segurou), ambos de 19 anos. O primeiro receberia R$ 100 pelo crime e, o segundo, seria remunerado em R$ 50. O crime aconteceu na sexta-feira (7), em Guaxupé (434 Km de Belo Horizonte).

"Ela custou a confessar o crime e não demonstrou nenhum remorso ou arrependimento. Foi um crime fora do comum. Muito cruel porque [com a facada] a pessoa demora mais para morrer. É mais sofrido", afirmou o delegado regional de Guaxupé Sérgio Elias Dias.

 

Cristiane Oliveira é separada, não tem emprego fixo, e mãe de mais três filhos: uma adolescente de 16 anos, que teria participação no crime contra o irmão, e mais duas crianças. "Eles moram numa casinhas pobres próximas do condomínio Alto da Colina, o mais sofisticado da cidade. É uma família totalmente desestruturada", disse o delegado.

Ele afirmou que conhecia a vítima há muitos anos. "Ele [Pablo Santana] era muito conhecido nosso. Não saía daqui. Frequentemente era detido por pequenos roubos e uso de drogas", afirmou. "Ela [a mãe] falou que não conseguia controlar o menino. Que era muito difícil porque ele era usuário de drogas."

Em seu depoimento, o acusado de desferir os golpes, Antônio Máximo, que também confessou o crime, disse que matou "por causa do dinheiro e porque ele [a vítima] tava dando muito trabalho no bairro".

"Tinha saído a proposta pra matar ele e eu aceitei".


Laços de família
Entre 7h30 e 8h da sexta-feira (7), os dois acusados pelo assassinato chamaram a vítima para fumar maconha, nas proximidades de sua casa. Armado de uma "faca de cozinha grande", Máximo desferiu os 30 golpes. Alves segurou o garoto.

Os dois deixaram o local, mas em questão de minutos a PM (Polícia Militar) de Minas Gerais recebia a denúncia do crime. Às 10h, os dois rapazes e a mãe já estavam presos na Delegacia de Guaxupé. A irmã do rapaz assassinado de 16 anos, detida também, namorada de Máximo, procurou assumir a culpa pela encomenda do crime, mas foi desmentida pelo réu confesso de ter desferido os golpes. Alves, que segurou o rapaz assassinado, por sua vez, é cunhado de Máximo.

"É muito complicado. Menor não pode ser indiciado e devemos [no inquérito] apenas apontar a sua participação de menor importância já que ela sabia do crime. Ela disse em seu depoimento que ela e a mãe apanhavam muito do irmão que morreu."

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

EXECUÇÃO
Homem é encontrado na fronteira com corpo carbonizado e com marcas de tiros
CRIME BANAL
Pedreiro e adolescentes mataram vizinho em cidade do MS em briga por registro de água
CNH EM 2021
Confira as 9 multas que não vão mais gerar pontos na CNH em 2021
Imagem retirada das redes sociais do Osvaldinho Duarte / Dourados News FORTE ACIDENTE
Colisão frontal deixa uma pessoa morta e duas gravemente feridas entre Dourados e Fátima do Sul
AGLOMERAÇÃO
VÍDEO: Guarda encerra festa em chácara com mais de 350 pessoas
TRAGEDIA NA RODOVIA
Pedi força a Deus, diz PM que atendeu ocorrência de acidente que matou a própria filha
ASSASSINATO
Ex liga para mulher dizendo que vai até a casa buscar documento da filha e mata atual namorado dela
ACIDENTE FATAL
Batida frontal entre carro e carreta mata jovem em Ivinhema
FESTONA NA PANDEMIA
Guarda Municipal acaba com 'festona' em flagrante com 119 adolescentes em MS
SEGURANÇA NO FIM DE ANO
Segurança no Estado durante as festas de fim de ano terá mais de 2 mil policiais nas ruas em MS