Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
terça, 7 de julho de 2020
SADER_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
ABUSO SEXUAL

Fotógrafo investigado na Deam fazia "ensaios sensuais" com adolescentes em MS

Ele já foi autuado quando polícia achou fotos no computador e agora será indiciado pela Deam por "passar a mão" em jovem em ensaio

4 Jun 2020 - 12h56Por Campo Grande News

Investigado depois de ser um dos expostos no Twitter com a tag #exposedcg, fotógrafo alvo de inquérito na Deam (Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher) tem 25 anos e já foi autuado, em 2018, porque fazia o mesmo “ensaio sensual” com menores de 18 anos. Foi o que contou a delegada adjunta Anne Karine.

Ela afirma que a polícia encontrou fotos de adolescentes com lingerie no computador dele, prática probida por lei. Ele tem um estúdio e os atos de importunação sexual e atos libidinosos pelo qual é investigado, agora, depois de ser exposto em rede social, ocorreram na mesma situação.

A delegada conta que vai ouvir mais uma testemunha e apresentar o inquérito em até 30 dias para que a Justiça abra uma ação contra ele. Ainda assim, até agora, é o único caso levado até ela depois do movimento criado no Twitter. Ou seja, o movimento ainda está apenas nas redes sociais. Ela pede que as vítimas não tenham medo e denunciem.

Depoimento – Em depoimento nesta quinta, ele negou a acusação. Segundo a delegada, pelo depoimento da vítima de 19 anos, quando ela chegou no dia 14 de março para a sessão de fotos, o fotógrafo já pediu “para que ela tirasse a roupa”.

Segundo a delegada, ele lançou concurso no Instagram para escolher modelo para a sessão de fotos. Quando a vítima pediu que ele tirasse a mão dela, não parou e só cessou de tocá-la quando amigos da vítima chegaram no estúdio.

A delegada contou “já ter elementos suficientes para a denúncia”. “Não precisa ter medo de vir, precisa procurar a polícia e denunciar”, encorajou ela.

Exposedcg – Campo Grande acompanhou movimento nacional e hoje já tem 22,7 mil publicações com a tag #exposedcg no Twitter. Entre relatos que não são crimes e até memes, surgem milhares de histórias sobre assédio sexual e estupro contra jovens mulheres, adolescentes e até crianças.

Ainda assim, delegadas e advogadas que atuam nas causas de gênero têm alertado contra o perigo da exposição dos nomes, que pode gerar avalanche de acusações judiciais contra as vítimas. Elas pedem, também, que as denúncias não fiquem no Twitter: levem os casos até a delegacia.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CRUELDADE
Homem descobre que bebê de 2 meses não é sua filha e mata criança por vingança em MS
ONÇA PINTADA
Câmera flagra onça se alimentando de bezerro em fazenda de Aquidauana
VIOLENCIA DOMESTICA
VÍDEO: atendente é agredida por ex-marido, expulsa de casa e pede ajuda para proteger animais
COBRA - SUCURI
Famosa nas redes, sucuri de 5 metros flagrada no Rio Sucuriú é encontrada morta
SEQUESTRO
‘Mãe, tô sendo roubada’: em vídeo é possível ouvir gritos de jovem raptada no Tiradentes
MAIS UM CASO NA CAPITAL
VIU A EMILLY?, Adolescente sai para visitar madrinha e desaparece na Capital
AÇÃO DA PMA
Usina é multada em R$ 294 mil por incêndio em lavoura de cana-de-açúcar
CICLONE BOMBA
Efeitos do Ciclone: mais de 12 mil residências ainda estão sem energia elétrica
ENTREVISTA NO SBT
Roberto Cabrini traz entrevista exclusiva com Frederick Wassef nesta segunda
PROTESTO
Em oração, mulheres se juntam para mostrar luto e pedido de justiça para Carla